Além de Sánchez: Arsenal já perdeu outros 'vira-casacas' para times rivais

Vanderson Pimentel

Do UOL, em São Paulo

  • Julian Finney/Getty Images

A saída de um jogador para a equipe rival é algo que sempre chama atenção no mundo do futebol. Mas esta prática vem sendo uma constante no Arsenal nos últimos anos. O clube, que na última segunda-feira (22) vendeu Alexis Sánchez ao Manchester United pelo passe de Henrikh  Mkhitaryan e cerca de 30 milhões de libras, costuma ser alvo constante dos rivais ingleses.

O principal responsável por tirar jogadores da equipe londrina é o Manchester City, que contratou cinco atletas provenientes do Arsenal nos últimos nove anos. Além dos rivais de Manchester, Liverpool e Chelsea também já conseguiram bons negócios ao comprar dos Gunners.

Relembre os 'vira-casacas' que deixaram o Arsenal

Tom Hevezi/EFE
Tom Hevezi/EFE

Ashley Cole (Chelsea)

Ashley Cole conversava com o Chelsea desde 2005. Sem autorização do Arsenal, o jogador chegou a ser multado pela diretoria de sua então equipe. Apesar da insistência dos Gunners em contar com o jogador, o lateral fechou com o clube rival depois de se irritar com a contraproposta feita por Arsène Wenger. Ao todo, o Chelsea gastou 7,4 milhões de euros e deu o passe do zagueiro William Gallas no último dia da janela de transferências em agosto de 2006 para ter o lateral esquerdo, que jogou nos Blues até 2012.
AFP
AFP

Emmanuel Adebayor (Manchester City)

Após um início conturbado, Adebayor passou a se destacar pelo Arsenal em 2007, sendo o principal centroavante da equipe. Tamanho destaque fez com que o Manchester City pagasse 29 milhões de euros por sua contratação em julho de 2009. Apesar de um bom início, o togolês, que chegou a ser emprestado a Real Madrid e Tottenham, teve sua passagem pelo City marcada por correr na direção dos torcedores do Arsenal para comemorar um gol, dois meses depois de ter chegado ao seu então novo clube.
Nick Potts/AFP
Nick Potts/AFP

Kolo Touré (Manchester City)

Dez dias depois de Adebayor assinar com o City, era a vez de outro jogador do Arsenal seguir o mesmo caminho. Uma das lideranças da equipe de Wenger, Kolo Toure pediu para ser negociado ainda em janeiro de 2009, após se desentender com o então companheiro de zaga William Gallas. O defensor, que custou 18,7 milhões de euros ao Manchester City, conseguiu jogar ao lado do irmão Yaya, que passou a atuar pela equipe inglesa em 2010. No entanto, o histórico de lesões e um teste positivo para uso de drogas em 2011, que o deixou suspenso por 6 meses, atrapalharam uma estadia de sucesso do marfinense nos citizens, onde jogou até 2013.
AP
AP

Gaël Clichy (Manchester City)

Foi mais um a trocar o Emirates Stadium pelo Manchester City. No entanto, o clube comandado pelos sheiks dos Emirados Árabes Unidos gastou apenas 7,7 milhões de euros para ter o francês em 2011, já que seu contrato com o Arsenal expiraria em um ano. Apesar das expectativas positivas, Clichy não chegou perto de ter o mesmo desempenho que o fez ser eleito o melhor lateral esquerdo do Campeonato Inglês. Fora dos planos de Pep Guardiola, o jogador deixou o City em junho do ano passado.
Adrian Dennis/AFP
Adrian Dennis/AFP

Samir Nasri (Manchester City)

Além de Clichy, foi outro francês a chegar aos citizens na mesma janela de verão de 2011. Apesar da boa relação com Wenger, Nasri optou por assinar com o Manchester City em busca de títulos. Titular absoluto da equipe que venceu o Campeonato Inglês em 2012, chegou a renovar seu contrato até 2019 depois de outras boas temporadas. No entanto, uma lesão no tendão, aliado a problemas disciplinares que o deixaram fora da seleção francesa, fizeram com que Guardiola não quisesse trabalhar com o meia.
AP Photo/Kirsty Wigglesworth
AP Photo/Kirsty Wigglesworth

Robin Van Persie (Manchester United)

Teve o auge da carreira atuando como centroavante pelo Arsenal. Além dos gols, o holandês conquistou os prêmios de melhor jogador e artilheiro do Campeonato Inglês. Mesmo sendo ídolo do clube, não quis renovar com os Gunners, e foi anunciado pelo Manchester United em agosto de 2012 por 30,7 milhões de euros. No novo clube, o holandês foi mais uma vez artilheiro do Inglês em 2013. Mas seu desempenho foi caindo nos anos seguintes e ele se transferiu para o Fenerbahçe em 2015.
AFP PHOTO / ADRIAN DENNIS
AFP PHOTO / ADRIAN DENNIS

Bacary Sagna (Manchester City)

Intocável no Arsenal, fez parte da seleção do Campeonato Inglês em 2007/2008 e 2010/2011 e chegou a atuar como zagueiro em algumas ocasiões. Depois da Copa do Mundo de 2014, seu contrato chegou ao fim e acabou anunciado pelo Manchester City. Reserva do questionado Pablo Zabaleta, o francês deixou a equipe em junho de 2017, após o término de seu acordo com a equipe citizen. Desde então, o jogador encontra-se sem clube.
REUTERS/Toby Melville
REUTERS/Toby Melville

Alex Oxlade-Chamberlain (Liverpool)

Revelação do Southampton, Oxlade-Chamberlain foi contratado aos 17 anos pelo Arsenal, que desembolsou 13,8 milhões pelo meia em 2011. Além de se tornar o jogador mais jovem a fazer um gol pela equipe londrina, com 18 anos, ele foi eleito o melhor jovem do Campeonato Inglês. Apesar de se destacar cada vez mais na equipe, o Arsenal optou por vender o jogador no último dia da janela de transferência de julho de 2017 por 38 milhões de euros. Foi a segunda maior negociação da história do clube. Ele só perde para Marc Overmars, que foi vendido ao Barcelona por 40 milhões de euros em 2000.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos