Brasil passa (quase) ileso pela janela europeia. Agora, falta a China

Do UOL, em São Paulo

  • Eduardo Anizelli/Folhapress

Lembra do tempo em que os times brasileiros perdiam, a cada fim de ano, seus principais jogadores para o futebol do exterior? Em 2015, por exemplo, o Cruzeiro perdeu Everton Ribeiro, Ricardo Goulart e Lucas Silva de seu elenco campeão em 2014. Pior foi o Corinthians, que viu seus titulares do título de 2015, um a um, deixarem o Parque São Jorge em 2016.

A janela de transferências do futebol europeu se fechou nesta terça-feira (31) e o fenômeno não se repetiu. Olhe o atual campeão brasileiro. O Palmeiras perdeu apenas Gabriel Jesus para a Europa. E essa venda foi concluída ainda no meio do ano passado...

Veja, agora, como a janela afetou alguns dos principais clubes brasileiros. Mas fica um alerta: a China (em que a janela de transferências só fecha no dia 28 de fevereiro) ainda pode contratar destaques do futebol brasileiro, assim como times de Rússia (até 24/2) ou Ucrânia (até 2/3).

Divulgação
Divulgação

Atlético-MG

Quando Fred chegou ao Atlético-MG no meio do Brasileirão de 2016, muita gente dava como certa a saída de Lucas Pratto. Não aconteceu. O atacante até chamou atenção de clubes europeus e da China, mas segue em Belo Horizonte. A única consulta oficial para jogadores da equipe foi do Besiktas, sobre o zagueiro Erazo, mas o negócio não foi para frente. A grande perda acabou sendo o volante Júnior Urso. O jogador, porém, estava apenas emprestado pelo Shandong Luneng, que exigiu sua volta (para vende-lo por quase R$ 10 milhões para o Guangzhou R&F). O único vendido pelo Atlético-MG para o mercado internacional foi o zagueiro Wescley, que foi para o Japão - ele, porém, pouco atuou desde que se profissionalizou. Além disso, o clube não conseguiu renovar com Leandro Donizete, que foi para o Santos.
Divulgação
Divulgação

Atlético-PR

O Atlético-PR vendeu o volante Hernani para o Zenit, da Rússia, por 8 milhões de euros (R$ 27,2 milhões), uma das maiores vendas da janela nacional. Além disso, o meia Marcos Guilherme, pretendido pelo Flamengo, foi parar no Dínamo Zagreb, da Croácia, por empréstimo com opção de compra de 50% dos direitos. O valor pode chegar a 4 milhões de euros (R$ 13,6 milhões). O zagueiro Thiago Heleno também despertou interesse, mas foi mantido - o jogador, ligado ao Deportivo Maldonado, porém, ainda está sem condições de jogo pois sua documentação está retida no Uruguai, aguardando aval da Fifa.
Chris O'Meara/AP
Chris O'Meara/AP

Botafogo

Uma das surpresas do Brasileirão de 2016 não sofreu com a janela de transferências internacional. O problema alvinegro foi interno, mesmo. O Botafogo foi o time que mais perdeu jogadores chave para o mercado nacional. O goleiro Sidão e o atacante Neílton foram para o São Paulo e os laterais Diogo Barbosa (Cruzeiro) e Alemão (Internacional) também saíram.
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

Corinthians

Diferentemente do ano passado, quando foi alvo principal de clubes de fora após o título brasileiro de 2015, o Corinthians conviveu com uma janela de transferências morna. A única baixa foi no mercado local, com a venda de Uendel ao Internacional. Além de sondagens por Guilherme Arana, Moisés e Marlone, o clube lidou com a possibilidade de venda de Rodriguinho, mas recusou duas ofertas oficiais do Fenerbahce. Outro cotado a sair era o selecionável Fagner, mas nenhuma negociação ocorreu para ele.
Felipe Oliveira/Getty Images
Felipe Oliveira/Getty Images

Coritiba

Outro time que perdeu muito, mas não para a janela europeia. No total, 19 jogadores deixaram a equipe, mas o Coritiba só tinha direito sobre um deles: o zagueiro Luccas Claro, que foi para o Gençlebirligi, da Turquia. Para piorar, o Coxa ainda não recebeu nada pelo negócio, já que o defensor tinha menos de seis meses de contrato e não renovou. Outros, como o atacante Leandro e o zagueiro Nery Bareiro também foram para o exterior, para Japão e Paraguai, respectivamente, mas estavam emprestados ao time paranaense.
Juliana Flister/Light Press/Cruzeiro
Juliana Flister/Light Press/Cruzeiro

Cruzeiro

Três jogadores importantes apareceram no noticiário ligados a times do exterior. O zagueiro Manoel foi sondado pelo Besiktas e imprensa turca publicou que o Fenerbahce estaria interessado em De Arrascaeta, mas os dois negócios não evoluíram. Além disso, o nome de Ramón Ábila foi especulado na China. O jogador disse que iria, o Cruzeiro disse que venderia, mas a proposta nunca chegou. Além disso, o volante Bruno Ramires, fora dos planos do técnico Mano Menezes, ficou perto do Vitoria de Guimarães-POR, mas acabou empresta ao Vitória (da Bahia). Fechado, mesmo, para o exterior, só a venda do atacante Rafael Silva, que foi para o Hatta Club, dos Emirados Árabes. Como Bruno, ele não fazia parte dos planos no Cruzeiro.
Twitter/Reprodução
Twitter/Reprodução

Flamengo

O lateral Jorge era o único alvo da Europa e o Flamengo não chegou a classificar como uma perda. O clube queria muito fazer caixa com o prata casa e o vendeu em uma negociação que durou menos de dois dias - por 9 milhões de euros (R$ 30,5 milhões). O goleiro Paulo Victor também saiu, para o futebol turco e por empréstimo, mas por falta de espaço no elenco - Alex Muralha é o titular.
MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC
MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC

Fluminense

Quando o Brasileirão terminou, a impressão geral era que o meia Gustavo Scarpa seria o mais assediado do elenco. As propostas do futebol europeu, porém, nunca vieram - e a sondagem do Palmeiras não foi para frente. Com isso, o atacante Richarlyson foi o mais procurado, mas o Fluminense conseguiu segurá-lo nessa janela. O clube até recusou uma oferta de R$ 30 milhões do Ajax na última segunda-feira (30).
Divulgação/Hamburgo
Divulgação/Hamburgo

Grêmio

A única ausência sentida foi a saída do volante Walace, vendido ao Hamburgo por 10 milhões de euros (R$ 33,6 milhões) - o zagueiro Wallace Reis também saiu, para o Gaziantepspor, da Turquia. O time comemorou, porém, a manutenção de dois importantes jogadores: Luan e Pedro Geromel. O primeiro foi alvo de grandes como Barcelona e Inter de Milão, mas não recebeu propostas oficiais. O zagueiro esteve na mira dos portugueses do Sporting. O Grêmio ainda pretende vender jogadores para confirmar a previsão de R$ 60 milhões em transferências no ano. O clube não descarta negócios com mercados ainda abertos, como Rússia (fecha em fevereiro), Ucrânia (fecha em março), China e Japão, porém novas saídas deem ficar para a próxima janela.
Alexandre Lops/AI Inter
Alexandre Lops/AI Inter

Internacional

O Internacional teve problemas na janela justamente por não perder jogadores. O clube afastou o lateral direito William, que se negou a renovar contrato depois de receber uma proposta do Wolfsburg, da Alemanha. O valor, 4 milhões de euros (R$ 13,6 milhões), foi considerado baixo. A oferta foi rejeitada pelo Colorado e não houve contraproposta. Mesmo assim, o jogador permaneceu isolado do grupo. Agora, o clube tentará novamente renovar o vínculo, que vai até abril do ano que vem. A maior lamentação, porém, é não ter conseguido vender o meia Anderson: ele rejeitou propostas do Middlesbrought, da Inglaterra, do Braga, de Portugal, e de um fundo de investimentos chinês. Não recebeu outras e está encostado, treinando com o time B. Ele tem mais dois anos de vínculo.
Cesar Greco/Ag Palmeiras
Cesar Greco/Ag Palmeiras

Palmeiras

O atual campeão brasileiro temia o assédio estrangeiro a seus atletas, mas perdeu apenas um jogador importante, Gabriel Jesus. A venda, porém, já estava definida desde o meio do ano passado e não chegou a ser surpresa. O grande trabalho da diretoria foi a manutenção do restante do elenco - ao contrário do que aconteceu com os últimos campeões nacionais, como Corinthians em 2016 e Cruzeiro em 2015. Destaques da campanha vitoriosa, Róger Guedes, Vitor Hugo e Yerry Mina ficaram apesar do assédio europeu. Moisés e Tchê Tchê - além de Guedes - foram valorizados na questão salarial para afastar o mercado estrangeiro.
Ivan Storti/ Santos FC
Ivan Storti/ Santos FC

Santos

Conseguiu manter a base de 2016. Mais: permaneceu intacto na janela de transferências para a Europa. Lucas Lima, jogador mais assediado do elenco, recebeu propostas da Alemanha e do futebol chinês, mas acabou recusando-as especialmente para continuar sendo lembrado por Tite na seleção brasileira. O campeão olímpico Thiago Maia foi outro que disse não (a uma proposta tentadora do Zenit, da Rússia) e seguiu na Vila Belmiro, assim como o lateral Zeca, ligado a times da Espanha. A diretoria alvinegra ainda renovou com Renato e Vanderlei.
Rivaldo Gomes/Folhapress
Rivaldo Gomes/Folhapress

São Paulo

O clube tentou, mas não conseguiu segurar uma de suas principais joias das categorias de base. David Neres teve 80% dos seus direitos negociados com o Ajax, da Holanda, por 15 milhões de euros (R$ 51 milhões). O zagueiro Lyanco também quase saiu: uma oferta de 5 milhões de euros (R$ 17 milhões) da Juventus, da Itália, foi rejeitada - os dois clubes ainda negociam e ainda existe a possibilidade de venda, com o zagueiro indo para a Itália no meio do ano, caso os valores subam mais um milhão de euros. Por outro lado, o clube segurou alguns dos seus jogadores valorizados. O atacante Luiz Araújo teve proposta de 7 milhões de euros (R$ 23,8 milhões), do Lille, da França. Já o zagueiro Rodrigo Caio esteve na mira do Sevilla, da Espanha, e de outros clubes europeus.
Paulo Fernandes / Site oficial do Vasco
Paulo Fernandes / Site oficial do Vasco

Vasco

A campanha do acesso não foi das melhores e seus principais jogadores, como Nenê e Andrezinho, passaram da idade para despertar o interesse europeu. Restava apenas o zagueiro Luan, zagueiro campeão olímpico com a seleção brasileira. O jogador até chegou a ser sondado pelo Galatasaray, da Turquia, mas a negociação não evoluiu.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos