Mais heróis: casos de jogadores que tiveram a vida salva em campo

Fábio Aleixo

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

Francis Koné se tornou o herói do fim de semana ao salvar a vida do goleiro Martin Berkovec durante jogo do Campeonato Tcheco no sábado. Ele impediu o goleiro de se sufocar após enrolar a língua em decorrência de um forte choque com o adversário.

Mas esta não foi a primeira vez que um episódio como este aconteceu nos campos pelo mundo. Em todos os casos em que tiveram suas vidas salvas, os atletas conseguiram voltar a jogar futebol rapidamente, sem apresentarem grandes problemas.

Mas a situação de ter as vias aéreas obstruídas por causa da língua é tamanha que em 2013, em um jogo na Jordânia Qusai Emad al-Khawalda morreu de insuficiência respiratória durante jogo do campeonato local. A demora no atendimento foi apontada como um dos fatores do óbito.

Atitudes que salvaram vidas não são raras

Meia-atacante teve vida salva por rival e hoje ainda brilha na Ucrânia

Em, 2014, Oleg Gusev, do Dínamo de Kiev, levou uma forte joelhada do goleiro adversário no rosto e caiu desacordado. Foi então que Jaba Kankava, do Dnipro, se deu conta da gravidade e impediu a língua do atleta enrolar e impedir a respiração. Os médicos rapidamente entraram em campo para dar sequência ao tratamento de Gusev, que rapidamente reganhou a consciência. Ele foi substituído e diagnosticado com uma leve concussão e ferimentos na mandíbula. Doze dias depois, ele voltou a entrar em campo para uma partida oficial. Hoje, aos 33 anos, segue defendendo o Dínamo e a seleção ucraniana.

John Terry desmaiou, se esqueceu de tudo, mas voltou sem sequelas

Na final da Copa da Liga Inglesa de 2007, contra o Arsenal, o zagueiro do Chelsea John Terry levou um chute no rosto e caiu desacordado no gramado. Gary Lewin, fisioterapeuta, do Arsenal estava próximo do lance e correu para ajudar o atleta. Ele desobstruiu a garganta que estava sem receber ar por causa da língua enrolada. O lance foi tão forte, que Terry deixou o campo com uma máscara de oxigênio. Segundo especialistas ouvidos pelo Daily Mail na época, ele poderia ter morrido em até quatro minutos caso não tivesse recebido socorro. Menos de duas semanas depois, estava de volta aos campos.

Jogador de Mali voltou uma semana após quase perder vida

Durante jogo das eliminatórias africanas para a Copa do Mundo de 2018 realizado em 8 de outubro de 2016, o malinês Moussa Doumbia caiu desacordado no gramado após o choque com um jogador da Costa do Marfim. O zagueiro marfinês do PSG Serge Aurier, que estava perto do lance, interveio e impediu que a língua impedisse o adversário de respirar. Doumbia foi levado ao hospital. Uma semana depois, já estava em ação pelo Rostov (RUS).

Jogador teve convulsão na Arábia Saudira e foi salvo por massagistas

Em 2013 em jogo na Arábia Saudita, um jogador começou a convulsionar sozinho, se retorceu no gramado e não conseguia respirar. Ele não desmaiou graças à rápida intervenção dos massagistas do time.
Reprodução
Reprodução

Árbitro socorreu atleta em jogo amistoso na Espanha

Em um jogo amistoso no ano passado entre Villa del Río e Urgaonova, equipes de divisões inferiores da Espanha, o atacante Castillo, do Urganova ficou desacordado após choque com um zagueiro adversário. O árbitro Daniel García estava perto da jogada e socorreu o atleta, impedindo que ficasse sem respirar quando a língua começou a enrolar. "Eu me agachei e tentei de todas as maneiras abrir a sua boca e colocar a língua para fora. Coloquei a unha entre os dentes e forcei para que abrisse. Por sorte, aí chegaram as enfermeiras", disse o árbitro. O atleta foi ao hospital, se recuperou e voltou a jogar.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos