Com quase um esquema por jogo, Palmeiras busca encaixe e "esquece" 2015

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

  • Cesar Greco/Ag Palmeiras

    Palmeiras entrou em campo com três volantes para enfrentar o Santos

    Palmeiras entrou em campo com três volantes para enfrentar o Santos

Mudanças constantes na montagem da equipe, em uma estratégia oposta àquela colocada em prática na temporada 2015. A nova realidade do Palmeiras traz à tona novos esquemas táticos utilizados pelo atual campeão da Copa do Brasil.

Na decisão contra o Santos, por exemplo, o time do técnico Marcelo Oliveira entrou em campo no mesmo 4-2-3-1 das 38 partidas anteriores, todas comandadas pelo treinador. Em 2016, o cenário é bastante diferente: em seis jogos oficiais, o Palmeiras já atuou com cinco esquemas táticos diferentes.

Além de testar novas estratégias, Marcelo Oliveira realiza mudanças constantes na escalação, principalmente no meio-campo defensivo. O fato pôde ser observado no clássico com o Santos, no último sábado, quando o time atuou com o trio Thiago Santos, Matheus Sales e Jean, inédito até então.

No treino desta terça-feira, o treinador testou ainda uma escalação com o meia Robinho recuado, como volante, e o atacante Gabriel Jesus colocado pela primeira vez em um esquema diferente do usado à exaustão em 2015. 

Novos esquemas de Marcelo Oliveira

Reprodução
Reprodução

4-2-3-1

O esquema de 2015 foi usado pelo Palmeiras nas quatro primeiras partidas da atua temporada: contra Botafogo-SP, São Bento, Oeste e Linense. Ainda assim, as peças mudaram em todos esses confrontos. Na estreia do Paulistão, Thiago Santos e Arouca foram escalados como volantes. Depois, Arouca deu lugar a Jean. Em seguida, a dupla colocada em campo trazia Arouca e Jean. Diante do time de Lins, Matheus Sales ganhou uma vaga entre os titulares -- atuou ao lado de Thiago Santos.
Cesar Greco/Ag Palmeiras/
Cesar Greco/Ag Palmeiras/

3-4-3

Diante do Botafogo-SP, o Palmeiras atuou com três zagueiros por 17 minutos. Na reta final do segundo tempo, Marcelo Oliveira colocou Roger Carvalho no lugar de Thiago Santos. Lucas e Egídio, então, passaram a jogar como alas, ao lado de Arouca e Robinho. Na ataque, o time teve Erik e Dudu abertos, com Alecsandro na referência. O segundo gol da equipe foi marcado dessa forma, em passe longo de Robinho e conclusão de Dudu.
Reprodução
Reprodução

4-3-2-1 (4-1-4-1 em alguns lances de ataque)

Na primeira partida da Libertadores (a quinta da temporada), Marcelo alterou o esquema mais uma vez. Naquela oportunidade, o treinador escalou o time com três volantes: Thiago Santos, Jean e Arouca. Mais à frente, abertos, Erik e Dudu, com um atacante de área (Barrios). Em alguns momentos da partida, com os avanços de Jean e Arouca, o Palmeiras passou a atuar no 4-1-4-1.
Reprodução
Reprodução

4-3-1-2

O esquema, que traz um losango no meio-campo, foi testado pela primeira vez diante do Santos e repetido no treino desta terça-feira. Nessa formação, Marcelo Oliveira optou por um cabeça de área (Thiago Santos) e dois volantes abertos mais à frente. No clássico, Matheus Sales e Jean desempenharam essa função. No treino, Robinho substituiu Matheus. Dudu foi escalado centralizado nas duas ocasiões, fechando o losango. Na frente, o Palmeiras teve um jogador bem aberto (Gabriel Jesus ganhou essa posição nas atividades do CT) e outro de área (Alecsandro).

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos