Topo

Barcelona


Vexame abre feridas e desafia Barcelona a resolver dilemas; veja quais

Robbie Jay Barratt - AMA/Getty Images
Imagem: Robbie Jay Barratt - AMA/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

2019-05-09T04:00:00

09/05/2019 04h00

A quarta eliminação em anos consecutivos no mata-mata da Liga dos Campeões deixará cicatrizes no Barcelona mesmo em uma temporada com a conquista do título espanhol e a chance de ser campeão também da Copa do Rei. Mais do que o revés por 4 a 0 contra o Liverpool, a forma como o time catalão deu adeus à competição, pela segunda vez consecutiva desperdiçando vantagem de três gols construída no Camp Nou, escancara que existem dilemas a serem enfrentados para o futuro.

Desde a conquista da Champions em 2015, o Barcelona acumula quatro temporadas em que manteve sua força na Espanha, mas deu sinais preocupantes de fragilidade nos duelos contra grandes europeus, com eliminações para Atlético de Madri, Juventus, Roma e Liverpool. O quarto ano sem chegar à final, mesmo com alto investimento e tendo Lionel Messi no time, causa incômodo e a necessidade de repensar alguns pontos de seu planejamento.

  • Shaun Botterill/Getty Images

    Philippe Coutinho em baixa

    Jogador que custou 160 milhões de euros (se incluídas as metas estipuladas em contrato) ao Barcelona, Philippe Coutinho encerrará a temporada como jogador mais pressionado do elenco. Conviveu por toda a temporada com especulações sobre uma possível saída e, apenas na reta final, virou titular absoluto. Mas não correspondeu, sumindo nos momentos decisivos e terminando como jogador pior avaliado na goleada sofrida para o Liverpool. O Barcelona, assim, terá uma decisão a tomar: aposta na evolução de Coutinho mesmo diante da desconfiança da torcida ou busca uma saída em que pelo menos amortize o prejuízo pela contratação.

  • Phil Noble/Reuters

    Pressão em cima de Messi na Champions

    Exaltado uma semana atrás pela atuação antológica no Camp Nou, Lionel Messi voltou a ter uma atuação apagada em jogo decisivo fora de casa e até mesmo se desentendeu com torcedores no aeroporto. A sequência de eliminações traumáticas na Champions vai acompanhar o jogador em futuras partidas decisivas, o forçando a triunfar e aparecer nos momentos de maior dificuldade.

  • REUTERS/Phil Noble

    Valverde na berlinda

    Em fevereiro o Barcelona anunciou a renovação de contrato com o técnico Ernesto Valverde por mais um ano e, a princípio, o clube não trabalha com a possibilidade de mudança apenas por causa do vexame. Mas o treinador iniciará a terceira temporada na berlinda. A imprensa espanhola fez fortes questionamentos às suas opções táticas no duelo contra o Liverpool, inclusive com um artigo no Sport dizendo que a "Champions pode ser muito grande para Valverde". Dificilmente Valverde resistirá a um novo fracasso na Europa e o mais provável é que na próxima temporada o Barcelona já comece a avaliar opções para o cargo. A renovação por mais uma temporada, ao final da seguinte, é opcional.

  • ALBERT GEA/REUTERS

    Política de contratações caras

    Antes conhecido por apostar mais na base do que esbanjar no mercado da bola, o Barcelona tem se notabilizado nos últimos anos a não economizar. Citando apenas as transferências mais caras, o clube gastou mais 100 milhões de euros em Philippe Coutinho e Ousmané Dembelé e já acertou a chegada de Frankie De Jong por um valor estimado em 75 milhões de euros. Isso sem falar em altos investimentos em Paulinho, Malcom... Os resultados aquém do esperado na Champions já geram questionamentos da Espanha de até que ponto essa postura agressiva no mercado em detrimento do aproveitamento de jogadores formados na base é positiva.

  • Idade chegando a medalhões

    Jordi Alba completou 30 anos em março, mesma idade de Sergio Busquets. Suárez já completou 32. Os três jogadores estiveram entre os mais questionados pela imprensa espanhola após a derrota para o Liverpool e indicam um dilema que o Barcelona tem a enfrentar diante de uma possível queda de rendimento dos veteranos. Buscar alternativas a esses jogadores mostra-se uma necessidade imediata, ainda mais com a constatação de que os três não tem um substituto imediato à altura com caraterísticas parecidas. Vale lembrar que Piqué, outro pilar do time, também tem 32 anos

  • Miquel Llop/NurPhoto via Getty Images

    Impaciência com quem está chegando

    Uma das marcas desta temporada do Barcelona foi a oscilação de reforços que chegaram nos últimos anos. Pese as opções questionáveis de Valverde em algumas de suas escolhas, Arthur, Malcom, Vidal e Lenglet tiveram seus momentos de brilho, mas sem a constância esperada. O meio-campista brasileiro talvez seja o maior exemplo, indo de jogador chamado de "novo Xavi" a reserva na reta final da temporada. Já o francês Dembelé completou sua segunda temporada ainda sem o protagonismo esperado para um jogador que custou mais de 100 milhões de euros.

  • Phil Noble/Reuters

    Postura diante das adversidades

    O lado psicológico do Barcelona diante de adversidades também foi colocado em xeque diante da segunda virada improvável em uma fase decisiva da Champions. Se a virada da Roma (3 a 0 na Itália depois de vantagem por 4 a 1 construída na Espanha) já havia deixado sequelas, o vexame diante do Liverpool as agravou. Sobrou apatia? Faltou imposição? O time entrou em campo no salto alto? São perguntas levantadas no entorno do clube que serão analisadas em busca de respostas que evitam uma terceira eliminação traumática.

  • Xinhua/Martin Rickett/PA Wire/ZUMAPRESS

    Alternativa a Suárez

    Uma das obsessões do Barcelona nas últimas janelas de transferência, um atacante que sirva de opção para Luis Suárez voltará à pauta do clube. Embora continue atuando em alto nível, existe a preocupação com uma possível queda de rendimento do uruguaio que está com 32 anos. No momento, a alternativa a Suárez é o também veterano Kevin-Prince Boateng, contratado às pressas depois de o Barcelona não conseguir fechar com um atacante de peso. Griezmann era o alvo na última janela, mas recusou proposta.

Mais Barcelona