Crises, namoros e folia. Relembre Carnavais marcantes dos boleiros

Leandro Carneiro

Do UOL em São Paulo

O Carnaval é uma das principais festas da cultura brasileira. E ela sempre atrai muitos boleiros para folia. Tanto é que o futebol do país não conta com rodada no domingo só devido ao festejo pelas ruas do país.

Com tanta alegria e empolgação, a data comemorativa deixou algumas histórias marcantes na vida de jogadores famosos.

Relembre histórias de Carnaval dos boleiros

Divulgação
Divulgação

Carnaval é animal

Edmundo mostrava dentro de campo sua habilidade. E fora dele, ele queria era aproveitar a vida. Foi isso que complicou a passagem do atacante na Fiorentina. Na segunda temporada pelo clube italiano, o Animal pediu e recebeu autorização para curtir o Carnaval no Rio de Janeiro. Mas, o clima dele com o elenco não era dos melhores, principalmente com os líderes Rui Costa e Batistuta. O português chegou a dizer que lutava pela Fiorentina enquanto Edmundo "se preocupava em festejar". Recentemente, o ex-jogador já admitiu que se arrependeu pela imaturidade nos tempos do clube italiano.
Reprodução
Reprodução

Acordo do Baixinho

Todo mundo sabe que Romário gosta de festa, mas isso nunca foi problema para ele dentro de campo. Aliás, isso já serviu até de motivação para o Baixinho. O atacante queria liberação no Barcelona para curtir o Carnaval. Foi aí que Johan Cruyff negociou com ele. Um dia de folga a cada gol marcado contra o Real Madrid. Foram três. Nada mal.
Alexandre Campbell/Folha Imagem
Alexandre Campbell/Folha Imagem

Viola folião

A disposição do atacante Viola, do Corinthians na época, foi de deixar qualquer folião com inveja. Isso aconteceu em 1995 quando ele desfilou por três escolas no Sambódromo curtindo os dois dias de Carnaval. No camarote, ele foi flagrado ao lado da modelo Claudia Liz e sambou até as 7 da manhã.
Caio Duran e Charles Naseh/Divulgação
Caio Duran e Charles Naseh/Divulgação

Mago na Bahia

Valdivia estava sem entrar em campo desde dezembro de 2014 e resolveu aproveitar o Carnaval em 2015. A torcida do Palmeiras não gostou nada de vê-lo em Salvador curtindo e o chileno foi alvo de diversas críticas nas redes sociais.
AFP PHOTO / VANDERLEI ALMEIDA
AFP PHOTO / VANDERLEI ALMEIDA

Críticas no pré-Carnaval

Falando em redes sociais, o atacante Jô também foi alvo da torcida, desta vez, do Atlético-MG. Sem folga por conta de um jogo contra o São Paulo pela Libertadores em 2013, o artilheiro postou uma foto cheia de cerveja e com narguilé na mesa. "Vem que vem Carnaval", escreveu. Isso bastou para ele ser atacado pelos atleticanos que cobraram ele para jogar mais e beber menos. No fim da Libertadores daquele ano, Jô foi campeão com o Atlético-MG e artilheiro da competição.
Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram

R10 brilha no Carnaval

Ronaldinho já tem previsto um abadá para curtir o Carnaval deste ano no Rio de Janeiro. E ele sempre é destaque. Em 2014, ele montou um camarote em Salvador e soltou a voz ao lado de Edcity. O problema foi que ele acabou se atrasando para o treino depois. Sorte que esse ano não tem treino previsto.
Marcelo Sayão/EFE
Marcelo Sayão/EFE

Neymarquezine

O romance entre Neymar e Bruna Marquezine já ocupa parte dos noticiários há alguns anos. Mas foi no Carnaval de 2013 que tudo começou. Primeiro, a atriz foi ao Pacaembu ver o jogo do atacante. Depois, brilhou no desfile da Grande Rio. Lá, ele assumiu o romance: "Vim para vê-la, estamos bem, estamos felizes", falou.
Francisco Silva/AgNews
Francisco Silva/AgNews

Crise no namoro

Se Carnaval serve para iniciar alguns romances, ele também tem o poder de acabar com outros. Esse foi o caso entre o comentarista Roger e a atriz Deborah Secco. Uma crise se instaurou no casal depois do ex-jogador aparecer com outra mulher no Carnaval e culminou com o término da relação pouco depois.
AgNews
AgNews

Mimimi de Carnaval

Aliás, Carnaval não é uma época muito tranquila para Roger. Em 2014, ele foi ignorado pelos boleiros no camarote do Rio de Janeiro. Sem se identificar, um jogador chegou a falar que "não dá para gostar de um cara que agora está do lado de lá e só fica nos queimando".
Guilherme Palenzuela/UOL
Guilherme Palenzuela/UOL

Drible dos companheiros

O zagueiro Antônio Carlos, nos tempos de São Paulo, combinou de ir ao Sambódromo de São Paulo com Ademilson e Ganso. Mas, nem o meia nem o atacante apareceram para curtir a folia.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos