Libertadores 2017

Outros 10 jogos com brasileiros que acabaram em pancadaria na Libertadores

Do UOL, em São Paulo

  • Silvia Izquierdo/AP

A pancadaria ao término da partida entre Palmeiras e Peñarol, na noite da última quarta-feira, não foi a primeira em jogos envolvendo brasileiros na Copa Libertadores. O "UOL Esporte" lembra abaixo outras dez brigas marcantes na história de times do país na competição, além da ocorrida na última noite em Montevidéu, pela qual começamos.

EFE/Raúl Martínez
EFE/Raúl Martínez

Peñarol x Palmeiras (2017)

O clima quente entre jogadores do Palmeiras e do Peñarol, que vinha desde a partida em São Paulo, descambou para a violência ao término da virada brasileira em Montevidéu. Perseguido por jogadores uruguaios, Felipe Melo acabou reagindo com um soco no rival Mier. Com os portões de acesso para o vestiário fechados, os brasileiros acabaram encurralados e a pancadaria foi prolongada. Nas arquibancadas também houve briga entre torcedores do Palmeiras e do Peñarol.
AP Photo/Luis Hidalgo
AP Photo/Luis Hidalgo

Huachipato x Grêmio (2013)

O técnico Vanderlei Luxemburgo acabou no chão depois de uma briga ao final do empate do Grêmio contra o Huachipato, na Libertadores de 2013. O treinador virou alvo de jogadores e comissão técnica do time chileno, caiu no gramado e escapou do pior graças a ação dos policiais. O treinador chileno ainda foi para cima de profissionais do Grêmio e foi contido até por Hernán Barcos. Para completar, torcedores invadiram o campo aproveitando-se da pequena segurança no estádio CAP.
Paulo Fonseca/Efe
Paulo Fonseca/Efe

Atlético-MG x Arsenal (2013)

Uma reclamação de jogadores do Arsenal Sarandí depois de uma derrota para o Atlético-MG, em Belo Horizonte, terminou em pancadaria depois da intervenção da polícia na confusão. Houve agressões de ambas as partes, com o desentendimento permanecendo até os vestiários. Um coronel da polícia mineira chegou a ser atingido com um chute no peito na confusão.
Silvia Izquierdo/AP
 Silvia Izquierdo/AP

Santos x Peñarol (2011)

A comemoração santista pelo título da Libertadores em 2011 foi interrompida por uma briga generalizada no Estádio do Pacaembu. Os jogadores do Peñarol partiram para cima dos santistas alegando que foram provocados após a vitória do time paulista.
Reprodução
Reprodução

Argentinos Jrs. x Fluminense (2011)

A classificação heroica do Fluminense para as oitavas de final da Libertadores de 2011, com vitória por 4 a 2 sobre o Argentino Jrs fora de casa, teve como desfecho uma briga generalizada entre jogadores dos dois clubes.
AFP/Alejandro Pagni
AFP/Alejandro Pagni

Estudiantes x Internacional (2010)

A classificação do Internacional para a semifinal da edição da Libertadores de 2010 terminou em briga entre os jogadores em La Plata. Ao final do jogo, Desábato foi tirar satisfações com os colorado pela comemoração da vaga. Neste momento, o goleiro reserva Lauro correu em direção do argentino e o acertou, dando início a uma confusão que continuou até a entrada do vestiário.
Folha Imagem
Folha Imagem

Corinthians x River (2006)

A eliminação do Corinthians nas oitavas de final da Copa Libertadores, para o River Plate, gerou revolta da torcida corintiana em 2006. Policiais conseguiram conter a invasão a muito custo, apesar da insistência dos corintianos que derrubaram um alambrado.
Tom Dib/Futura Press
Tom Dib/Futura Press

Palmeiras x Cerro Porteño (2006)

O intervalo da derrota palmeirense por 3 a 2 para o Cerro Porteño, no Parque Antártica, na primeira fase da Libertadores de 2006, ficou marcada por uma briga generalizada. Tudo começou com o desentendimento entre Washington e Baez ao final do primeiro tempo, que foi punido com expulsão pelo árbitro na volta dos vestiários. Só que em vez de Washington, Douglas recebeu o vermelho e se revoltou, acertando um soco em Baez que desencadeou novo quebra-pau. Em campo, o Palmeiras se classificou para as oitavas apesar da derrota.
AP Photo/ Eduardo Verdugo
AP Photo/ Eduardo Verdugo

América-MEX x São Caetano (2004)

Um gol decisivo do São Caetano marcado no final do duelo pelas oitavas de final da Libertadores de 2004 foi a senha para uma pancadaria generalizada no Estádio Azteca. Houve invasão de campo, muita troca de socos e pontapés e uma imagem que ficou para sempre marcada no torneio: a de um torcedor tentando arremessar um carrinho de mão nos jogadores do São Caetano.
Agência RBS
Agência RBS

Grêmio x Palmeiras (1995)

Talvez uma das mais lembradas brigas envolvendo times brasileiros, um desentendimento entre o palmeirense Valber e o gremista Dinho teve continuidade após a expulsão de ambos. A turma do deixa disso evitou que a pancadaria se estendesse, mas a imagem até hoje é lembrada como símbolo da rivalidade entre Grêmio e Palmeiras no início dos anos 1990. Vencedor por 5 a 0 no Olímpico, o time gaúcho avançou às semifinais da Libertadores de 1995 mesmo após perder por 5 a 1 em São Paulo.
Reprodução
Reprodução

Corinthians x Flamengo (1991)

Outro confronto brasileiro que terminou em pancadaria ocorreu na Libertadores ocorreu em 1991. Mas na arquibancada. Após a derrota por 2 a 0 para o Flamengo na primeira fase do torneio daquele ano, a torcida corintiana se revoltou e forçou a invasão em campo no Pacaembu, arremessando garrafas em direção dos policiais. O incidente ficou conhecido como ?Noite das Garrafadas?.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos