Fim de marca, 'ponto duplo' e sintético: Jogos marcantes do hexa do Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

O Internacional conquistou, neste domingo (08), o hexacampeonato gaúcho. Ao bater o Juventude por 3 a 0, o Colorado ergueu a taça pela sexta vez seguida, igualando marca 42 anos. E não foi fácil. O time comandado por Argel Fucks oscilou, não acabou a primeira fase entre os primeiros e passou por duros momentos até levar a glória maior. 
 
A reportagem do UOL Esporte separou os principais jogos da trajetória vermelha, que contou com fim da invencibilidade do Juventude no torneio, um Gre-Nal que valeu por duas competições, superar o campo temor do campo sintético e ainda romper uma série de empates que gerava críticas da torcida. 
 
Foi o segundo título do técnico Argel Fucks no comando do Internacional. Ainda nesta temporada ele havia conquistado a Recopa Gaúcha ao bater o São José nos pênaltis. 
 

JOGOS MARCANTES DA CAMPANHA DE TÍTULO DO INTER

Ricardo Duarte/SC Internacional
Ricardo Duarte/SC Internacional

Final e 'corneta'

A final foi marcada pela garra. O Inter manteve sua característica e não levou gols. Só assim já levaria o título. Mas aproveitou e fez logo 3 a 0. E na comemoração do primeiro, Eduardo Sasha tratou de provocar o Grêmio. Dançou uma 'valsa' com a bandeira de escanteio, em alusão aos 15 anos sem títulos importantes do rival.
Ricardo Duarte/Internacional
Ricardo Duarte/Internacional

Sem medo do sintético

Jogar no campo sintético sempre foi um medo dos grandes do Rio Grande do Sul. O piso dificulta o domínio da bola, muitos atletas já se lesionaram por lá, mas a semifinal do Estadual obrigava o Inter a vencer no estádio do São José sob tal condição. E os donos da casa acabaram a primeira fase do campeonato na frente do Inter, em segundo, enquanto o Colorado foi terceiro. Masem um jogo complicado, Ernando marcou no fim e o 1 a 0 significou vaga na final.
Ricardo Duarte/Internacional
Ricardo Duarte/Internacional

Série de goleadas

O Inter vinha de empates contra Grêmio, São Paulo-RS e Lajeadense, além da eliminação na semifinal da Primeira Liga contra o Fluminense. A pressão começava a se apresentar pela falta de resultados. Só que a resposta foi com uma série de goleadas. A primeira contra o Novo Hamburgo (4 a 2), depois sobre o Brasil de Pelotas (4 a 1), Glória (3 a 0) e São Paulo-RS (3 a 0).
Ricardo Duarte/Divulgação SC Internacional
Ricardo Duarte/Divulgação SC Internacional

Fim da marca de adversário

O Juventude estava invicto e liderava o Gauchão. Até pegar o Inter. No estádio Alfredo Jaconi, o Colorado aplicou 1 a 0 na primeira fase do Estadual e rompeu a marca da equipe da Serra. A partida consolidou o estilo de jogo que o técnico Argel Fucks buscava implantar, de aproveitamento de contra-ataque e saídas em velocidade com aproveitamento dos meias.
Ricardo Duarte/Divulgação SC Internacional
Ricardo Duarte/Divulgação SC Internacional

'Ponto duplo' no Gre-Nal

O clássico Gre-Nal da primeira fase do Campeonato Gaúcho valia também pela Primeira Liga. E o Colorado estava atrás na competição do Rio Grande do Sul. Uma vitória poderia simbolizar passar o Grêmio. Mas perder simbolizaria eliminação na outra competição. Inteligente, o Colorado segurou o Tricolor, empatou em 0 a 0 e avançou na Liga, eliminando o tradicional adversário. De quebra ainda foi mais longe no Gauchão também.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos