Influência da altitude: cinco motivos para acreditar (ou não) no Grêmio

Do UOL, em Porto Alegre

  • Lucas Uebel/Grêmio

    Será que o Grêmio conseguirá vencer a altitude e a LDU nesta quarta?

    Será que o Grêmio conseguirá vencer a altitude e a LDU nesta quarta?

O Grêmio encara nesta noite - às 21h45 (horário de Brasília) - não só a LDU, mas o temor da altitude. Os efeitos de se jogar com 2,8 mil metros acima do nível do mar fizeram com que o clube mobilizasse todos seus setores. E em 90 minutos irá testar um planejamento que começou ainda na semana passada. 

Desde o sorteio do grupo 6 da Libertadores, o Tricolor afirmava que seu primeiro objetivo para a classificação era "não depender do jogo em Quito". Ciente das dificuldades impostas pela condição climática, a ideia era "poder perder" por lá. 
 
Mas não foi o que aconteceu. Derrotado pelo Toluca, com dois empates contra o San Lorenzo, o Grêmio só não está em condição pior graças aos tropeços de argentinos e equatorianos. E a classificação para as oitavas de final passa diretamente por este jogo. Confira cinco pontos para acreditar, ou não acreditar, no Grêmio. 
 
FICHA TÉCNICA
LDU X GRÊMIO
Data e hora: 13/04/2015 (quarta-feira), às 21h45 (Brasília)
Local: estádio Casa Blanca, em Quito (EQU)
Transmissão na TV: Globo e Fox Sports
Árbitro: Roberto Tobar (CHI)
Auxiliares: Christian Schiemann e Raul Orellana (CHI)
LDU: Dida Dominguez; Ayoví, Romero, Intriago e Estupiñám; Quintero, Benavidez, Vera e Vega; Alemán (Puch) e Morales.
Técnico: Álvaro Gutiérrez
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Wallace Oliveira, Fred, Pedro Geromel e Marcelo Hermes; Edinho, Walace, Giuliano e Douglas; Luan e Bobô.
Técnico: Roger Machado
 
 

Cinco motivos para acreditar no Grêmio

Lucas Uebel/Grêmio
Lucas Uebel/Grêmio

1

O clima não é tão ruim

Diferente de Toluca - onde o Grêmio perdeu - Quito tem um clima mais úmido e menos poluição no ar. Apesar do frio, os jogadores do Grêmio encontraram mais facilidade em se adaptar a esta condição e não reclamaram tanto, em relação ao período anterior ao confronto com os mexicanos. Além disso, os jogadores já tiveram experiência em altitude e sabem o que irão encontrar.
PEDRO H. TESCH/ESTADÃO CONTEÚDO
PEDRO H. TESCH/ESTADÃO CONTEÚDO

2

O clube se planejou

O Grêmio alugou o CT da seleção do Equador, que fica 200 metros mais alto que o estádio Casa Blanca, enviou profissionais antecipadamente a Quito e os jogadores sete dias antes do jogo, antecipou uma rodada e adiou outra do Gauchão e até levou uma receita de feijão para que a alimentação não tivesse influência negativa na altitude. Tudo que poderia ser feito, o clube fez para que os jogadores suportem as dificuldades naturais.
Lucas Uebel/Getty Images
Lucas Uebel/Getty Images

3

LDU em crise

A LDU se mostrou não tão forte no jogo em Porto Alegre e foi derrotada pelo Grêmio. De lá para cá ainda trocou de técnico, perdeu seu capitão e vê a torcida pressionar por mudanças. A crise na qual o clube está inserido pode ser positivo ao clube de Porto Alegre.
Lucas Uebel/Divulgação/Grêmio
Lucas Uebel/Divulgação/Grêmio

4

Roger atacou psicológico

Logo nos primeiros treinamentos no Equador, o técnico Roger Machado atacou o psicológico do grupo. O 'medo da altitude' foi trabalhado pelo comandante dando exemplo de momentos de jogo, participando das atividades e incentivando qualquer movimento. Roger queria mostrar que se ele, já aposentado, conseguia suportar, os jogadores também conseguiriam.
Lucas Uebel/UOL
Lucas Uebel/UOL

5

A boa fase de Bobô

Se a principal cobrança do Grêmio no fim do ano passado e no começo deste era a ausência de um goleador, não é mais. Bobô vive ótima fase. O jogador tem marcado repetidamente, assumiu a titularidade e desempenha bem a função de jogador mais perto do gol adversário. Será importantíssimo para que o Grêmio não precise 'correr atrás' da LDU.

Cinco motivos para desconfiar do Grêmio

Reuters
Reuters

1

Quito traz más lembranças

Em 2013, o Grêmio realizou pré-temporada em Quito por conta do jogo contra LDU na fase preliminar da Libertadores. Ficou 11 dias para adaptar-se a altitude e mesmo assim acabou derrotado. A preparação - com jogos-treino e muitas atividades - não surtiu efeito.
AP Photo/Christian Palma
AP Photo/Christian Palma

2

Mais alto que Toluca

Depois da derrota para o Toluca, os jogadores do Grêmio reclamaram muito dos efeitos da altitude no México. Eram 2,6 mil metros. No Equador irão se defrontar com 2,8 mil metros acima do nível do mar. E, por consequência, efeitos ainda maiores.
REUTERS/Marcos Brindicci
REUTERS/Marcos Brindicci

3

Últimos jogos pela Libertadores

O rendimento do Grêmio nos últimos dois jogos pela Libertadores não foi bom. Nos dois empates contra o San Lorenzo, o time tricolor conseguiu o resultado com uma dose de sorte. No último jogo, por exemplo, um gol nos acréscimos do segundo tempo evitou o pior.
(AP Photo/Nabor Goulart
(AP Photo/Nabor Goulart

4

Desfalcado

O Grêmio perdeu Ramiro, não terá Miller Bolaños, tem Walace e Bobô voltando de lesão, Marcelo Oliveira e Maicon suspensos. Uma série de problemas antes de um jogo com peso extra por conta da condição climática.
RODRIGO BUENDIA / AFP
RODRIGO BUENDIA / AFP

5

Rival experiente

A LDU vive má fase mas seu elenco é formado por jogadores experientes. A capacidade de jogadores mais velhos com várias Libertadores no currículo pode fazer efeito. Por terem encarado muitas vezes adversários 'novos' na altitude, os jogadores mais rodados sabem como tirar vantagem disso.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos