Topo

Esporte


Na gringa: zagueiro desafiou a morte e Cristiano Ronaldo se lesiona sozinho

REUTERS/Rafael Marchante
Imagem: REUTERS/Rafael Marchante

Do UOL, em São Paulo

2019-03-25T18:44:54

25/03/2019 18h44

Os jogos das eliminatórias para a Eurocopa 2020 atraíram boa parte das atenções dos fãs de futebol europeu no dia de hoje. E entre as partidas, uma chamou especial atenção: no empate por 1 a 1 entre Portugal e Sérvia, Cristiano Ronaldo virou preocupação por sentir uma lesão na coxa.

Mas nem todos os destaques do dia vieram de dentro de campo. Nos jornais, Virgil van Dijk, zagueiro holandês do Liverpool, relatou o drama que viveu dez anos atrás. E nas redes sociais, o Manchester City virou motivo de zoeira diante da camisa que lançou.

Pelo mundo

  • Carl Recine/Reuters

    A frase: "Eu olhei a morte nos olhos"

    Aos 17 anos, o zagueiro Virgil Van Dijk, hoje no Liverpool, ignorou uma dor abdominal. Três dias depois, com o apêndice rompido, foi parar no hospital - e chegou até a assinar um testamento. "Eu olhei a morte nos olhos, e foi uma experiência terrível", contou Van Dijk, segundo o jornal Daily Mirror. "Em determinado momento, tive que assinar alguns documentos. Era um testamento. Se eu morresse no hospital, parte de meu dinheiro iria para minha mãe." Leia mais

  • Rafael Marchante/Reuters

    O 'cara': Danilo Pereira salva Portugal

    Diante da lesão de Cristiano Ronaldo ainda no primeiro tempo, coube a Danilo Pereira salvar a honra de Portugal nas eliminatórias da Euro 2020. Jogando em casa, os portugueses perdiam por 1 a 0 para a Sérvia. Foi aí que o camisa 13 acertou um chutaço no ângulo do goleiro Marko Dmitrovic para empatar a partida. Final: 1 a 1.

  • Lucy Nicholson/Reuters

    O fiasco: Nike é multada por restringir vendas de clubes

    A Comissão Europeia anunciou hoje uma multa de cerca de R$ 35 milhões à Nike por restringir as vendas de produtos. Entre 2004 e 2017, clubes como Barcelona, Manchester United, Juventus, Inter de Milão e Roma não puderam comercializar itens fora de seus países de origem. Caso a Nike colabore com as investigações, a multa será reduzida em 40%. Leia mais

  • SEBASTIEN SALOM GOMIS/AFP

    A polêmica: Contrato de Sala com Cardiff era válido?

    O Cardiff City deverá alegar à Fifa que o contrato assinado com o atacante argentino Emiliano Sala não era "legalmente vinculante". Desta forma, o clube galês não precisará pagar 17 milhões de euros ao Nantes, time no qual Sala jogou até o começo de 2019. O atacante argentino morreu vítima de um acidente aéreo em 21 de janeiro. Leia mais

  • Rafael Marchante/Reuters

    A jogada: Cristiano Ronaldo se machuca sozinho

    O camisa 7 da seleção de Portugal se machucou sozinho em um lance da partida Portugal 1 x 1 Sérvia, válida pelo Grupo B das eliminatórias da Eurocopa 2020. Aos 31 minutos do primeiro tempo, Cristiano recebeu o lançamento em profundidade e disparou, mas sentiu a coxa direita na corrida. Após a saída da bola, o astro se sentou fora de campo e foi atendido pelos médicos. Acabou substituído.

  • Oscar del Pozo/AFP

    A negociação: Godín pode substituir Miranda na Inter

    O contrato de Diego Godín com ao Atlético de Madri vai até o fim da temporada 2018/2019. E caso deixe o clube, o zagueiro uruguaio interessa à Inter de Milão. Com um detalhe: Godín chegaria para o caso de Miranda deixar o clube. O brasileiro é cotado em clubes de Inglaterra e França. Leia mais

  • Reprodução

    Na intimidade: Lukas Podolski lutando sumô

    Todo mundo sabe que Lukas Podolski é chegado em redes sociais. Hoje, o atacante alemão do Vissel Kobe publicou no Instagram algumas fotos lutando sumô (ou, ao menos, tentando). Pela frente, Podolski teve o sumotori Hakuho Sho, um yokozuna - no caso, o mais alto grau da modalidade. Leia mais

  • Divulgação

    Na boca do povo: Que camisa é essa, Manchester City?

    O Manchester City e a Nike apresentaram hoje uma camisa comemorativa. A peça presta uma homenagem às seis temporadas da parceria entre a marca e o clube inglês, que vestirá Puma a partir da temporada 2019/2020. O problema é que o modelo, que reúne "pedaços" de diversas camisas vestidas pelo City desde 2013, não fez exatamente sucesso nas redes sociais.

Mais Esporte