Topo

Esporte


"Novo Kaká", lesão e expulsão: como foi a 1ª temporada de Paquetá na Europa

Paquetá marcou um gol pelo Milan até agora - Divulgação/Milan
Paquetá marcou um gol pelo Milan até agora Imagem: Divulgação/Milan

Do UOL, em São Paulo

10/05/2019 04h00

A primeira temporada de Lucas Paquetá na Europa terminou. É verdade que foram só quatro meses, mas o jogador brasileiro já viveu altos e baixos pelo Milan. Ele foi expulso na última segunda-feira na vitória contra o Bologna, pelo Campeonato Italiano, e recebeu três jogos de punição. Como o clube rossonero só tem mais três partidas, o meia não voltará a entrar em campo em 2018-19.

Veja o que Paquetá fez na estreia na Europa

  • Divulgação/Milan

    Elogio no 1º jogo

    O brasileiro estreou pelo Milan em 12 de janeiro, na vitória por 2 a 0 contra a Sampdoria, pela Copa da Itália. O ex-Flamengo foi titular e atuou até os 40 minutos do segundo tempo. O técnico Gennaro Gattuso elogiou Paquetá na oportunidade. "Ele é um brasileiro atípico, ele é muito preparado taticamente. Ele é uma esponja. Ele absorve tudo. Tem grande margem de crescimento", disse. Leia mais

  • Fayez Nureldine/AFP

    Derrota na Supercopa da Itália

    Paquetá teve a chance de conquistar seu primeiro título pelo Milan logo em sua segunda partida, mas Cristiano Ronaldo decidiu para a Juventus na Supercopa da Itália. O meia da seleção brasileira foi novamente titular e de novo acabou substituído na reta final do jogo. Leia mais

  • Reprodução

    Foi bem sob olhares da seleção

    A seleção, inclusive, esteve de olho em Paquetá nos primeiros jogos no futebol europeu. Sylvinho, auxiliar técnico de Tite, acompanhou três partidas do Milan. Em todos, o ex-Flamengo foi titular, com direito a um gol e duas assistências. Mais tarde, Paquetá foi convocado, recebeu a camisa 10 e marcou seu primeiro gol pela equipe nacional. Leia mais

  • Reprodução

    Novo Kaká?

    O bom início no Milan logo rendeu comparações a Kaká. O próprio ídolo milanista tratou de elogiar Paquetá, mas evitou falar do assunto. "Eu não gosto de comparações, não são justas", disse o ex-jogador, em março, ao jornal italiano La Gazzetta dello Sport. "Ele é brasileiro e cresceu no Flamengo, o que recria a paixão entre brasileiros e Milan, deixando os dois clubes mais próximos. Isso me deixa feliz. Eu vivi coisas incríveis com o Milan e isso faz com que eu lembre os momentos que passei aqui", analisou. Leia mais

  • Marco BERTORELLO / AFP

    Virou intocável

    O Milan chegou a ficar invicto por dez jogos, com o brasileiro titular em todos. De acordo com a Gazzetta dello Sport, "as performances de Paquetá não param de evoluir. Em um mês e um pouco, já é intocável para Gattuso e ídolo para os fãs". Leia mais

  • Emilio Andreoli/Getty Images

    Lesão e seca de vitórias

    Porém, a boa fase acabou, e aí começaram os problemas. O Milan ficou quatro jogos sem vencer e foi durante este período que o ex-Flamengo se lesionou. Paquetá torceu o tornozelo durante empate por 1 a 1 com a Udinese. Foram quatro jogos longe do time. Na volta, derrota contra o Torino. A equipe de Milão, que chegou a ser 3ª colocada do Italiano, caiu para quinto e não depende apenas de si para voltar à Liga dos Campeões. Leia mais

  • Miguel Medina/AFP

    Expulsão após revolta com árbitro

    O brasileiro perdeu a cabeça na partida da última segunda-feira e recebeu cartão amarelo ao se envolver em uma confusão. Revoltado com a advertência, deu um tapa no braço do árbitro Marco Di Bello e acabou punido com o vermelho direto. O comitê disciplinar italiano suspendeu o brasileiro por três partidas. Do lado de fora, ele torcerá para que o Milan vença seus últimos jogos. A equipe de Milão soma 59 pontos, contra 62 da Atalanta, que atualmente fecha a zona de classificação da Champions League. Leia mais

Mais Esporte