Ator, cantor, gamer: o que o aniversariante Pelé fez fora dos campos?

Do UOL, em São Paulo

Pelé completa neste domingo seus 76 anos de vida. Até aqui, pouca coisa deixou de ser retratada sobre o ex-camisa 10 do Santos e da seleção brasileira: sua carreira nos gramados, sua vida pessoal, sua família, suas declarações… Enfim, há pouco de Edson Arantes do Nascimento que não foi escrito, fotografado, filmado ou gravado desde 23 de outubro de 1940.

Para homenagear o aniversário do maior jogador de futebol de todos os tempos, o UOL Esporte relembra aqui o que Edson fez longe de Pelé. Não como um craque autor de 1283 gols, mas o que fez como ator, cantor, ministro e muito mais. Há coisas que talvez você não se lembre.

Confira:

O Pelé fora dos gramados

Ator

Entre as décadas de 1970 e 1980, Pelé foi bastante requisitado para participar de filmes nacionais. O primeiro deles, O Barão Otelo no Barato dos Bilhões, foi lançado em 1971. Oito anos depois, interpretaria a si mesmo no filme Os Trombadinhas, que se tornou famoso na internet com uma cena em especial (acima). Nos anos seguintes, apareceria ainda em Fuga Para Vitória (1982), com Silvester Stallone; Pedro Mico, de 1985; e Os Trapalhões e o Rei do Futebol (1986). No filme de 1982, Pelé encara um nu artístico, em uma cena que descreve como "mais audaciosa".

Cantor

A primeira (e mais bem-sucedida) iniciativa musical do Rei veio ainda durante sua carreira como jogador, em 1969, gravando o compacto Tabelinha com Elis Regina. Posteriormente, Pelé se lançou em jingles (o mais conhecido deles, o ABC de uma campanha do Ministério da Educação em 1998) e eventuais apresentações em programas de TV. Em julho, Pelé anunciou a gravação de uma música chamada "Esperança", que seria lançada para os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Se lançou mesmo, ninguém ficou sabendo.

Rickey Rogers/Reuters
Rickey Rogers/Reuters

Empresário

Pelé já emprestou seu nome para diversas marcas. Foi garoto-propaganda de bancos, de bandeiras de cartão de crédito e até de remédios. Em 2004, fundou em Santos o Litoral Futebol Clube, que formaria jogadores de categorias de base, mas que acabou incorporado em 2008 pelo Jabaquara Atlético Clube. Em 2005, lançou sua própria rede de academias, a Pelé Club, que acabou apostando no e-commerce de planos de educação física.

Gamer

Em 1980, o Rei emprestou seu nome para Pelé's Soccer, game lançado para Atari 2600. O jogo, rudimentar se comparado aos de hoje, apresentava quatro jogadores em cada time (um goleiro, um defensor e dois atacantes) e contava com uma única visão de jogo. Mais tarde, em 2009, Pelé apadrinhou Academy of Champions, jogo da desenvolvedora Ubisoft para Nintendo Wii, no qual atua ao lado da ex-jogadora Mia Hamm na formação de jogadores.

Rogerio Albuquerque/AP Photo
Rogerio Albuquerque/AP Photo

Ministro

Quando Fernando Henrique Cardoso crisou o Ministério do Esporte em 1995, Pelé foi chamado para ser o primeiro a chefiar a pasta. Ficou no cargo durante todo o primeiro governo de FHC, até o fim de 1998. Neste intervalo, sua principal iniciativa foi a Lei 9.615/1998, conhecida como Lei Pelé. A norma, uma atualização da chamada Lei Zico (8.672/1993), adequava as relações empregatícias entre jogadores e clubes às normas da Fifa, dando fim ao chamado "passe".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos