Poliglotas do futebol: conheça os boleiros que falam mais de 5 línguas

Colaboração para o UOL

A regra não se aplica só ao futebol: para ser um profissional capaz de trabalhar em qualquer lugar do mundo, é preciso ter vontade de aprender novos idiomas. Não é qualquer um que consegue ir além e falar mais de cinco línguas diferentes. Veja a seguir os jogadores e técnicos poliglotas do mundo da bola: 

Pierre-Philipe Marcou/AFP
Pierre-Philipe Marcou/AFP

ZIDANE

O técnico do Real Madrid fala francês, espanhol, italiano, inglês e também o berbere, língua da região de Cabília, norte da Argélia, onde nasceram os seus pais.
Andrew Yates/Reuters
Andrew Yates/Reuters

GUARDIOLA

Quando foi treinar o Bayern, virou fluente em alemão. Ele já falava catalão, espanhol, francês e italiano.
Phil Noble/Reuters
Phil Noble/Reuters

IBRAHIMOVIC

Além do sueco, aprendeu a língua bósnia com o pai e também domina inglês, italiano e espanhol. Mas não se deu muito bem com o francês na sua passagem pelo PSG.
TT News Agency/Reuters
TT News Agency/Reuters

MOURINHO

Ele começou no futebol como tradutor, então não é de se estranhar que ele fale inglês, espanhol, catalão, italiano e francês, além do português.
Joseph Nair/AP
Joseph Nair/AP

CECH

"Eu falo com os meus zagueiros em quatro línguas", já declarou o goleiro do Arsenal, que é fluente em tcheco, inglês, francês, espanhol e alemão.
BERTRAND GUAY-18.jul.2012/AFP
BERTRAND GUAY-18.jul.2012/AFP

LEONARDO

Ao longo da carreira como jogador, técnico e dirigente, ele aprendeu a falar inglês, francês, espanhol e italiano, além de um pouco de japonês.
Bernardo Gentile/UOL Esporte
Bernardo Gentile/UOL Esporte

SEEDORF

Quando veio jogar no Botafogo, surpreendeu a todos com seu português fluente. Deixou o clube carioca para virar treinador do Milan, onde se comunicava em italiano. O ex-craque também domina inglês, espanhol e holandês.
Clive Rose/Getty Images
Clive Rose/Getty Images

WENGER

Além do francês e do inglês, o técnico do Arsenal também sabe falar alemão, espanhol e italiano e até um pouco de japonês, da época em que treinou o Nagoya Grampus.
Thomas Rodel/Reuters
Thomas Rodel/Reuters

LUKAKU

A Bélgica, seu país natal, tem duas línguas oficiais: francês e holandês. Além destas, o atacante do Everton também fala inglês, espanhol e português, e ainda entende alemão e o dialeto de sua família do Congo.
AFP PHOTO / Valery HACHE
AFP PHOTO / Valery HACHE

PJANIC

Nascido na antiga Iugoslávia, ele morou em Luxemburgo no começo da carreira e depois jogou em clubes da França e na Itália. Hoje, o meia da Juventus pode falar bósnio, inglês, francês, italiano, alemão e luxemburguês.
REUTERS/Susana Vera
REUTERS/Susana Vera

KOVACIC

O meia croata do Real Madrid nasceu na Áustria e também jogou na Itália. Por isso, é fluente em italiano, espanhol, alemão, croata e inglês.
Julian Finney/Getty Images
Julian Finney/Getty Images

MKHITARYAN

O armênio do Manchester United já morou na França, jogou na Alemanha e já treinou na base do São Paulo: Resultado: fala armênio, russo, inglês, francês, alemão e português. Ainda arranha um pouco de italiano.
REUTERS/Charles Platiau
REUTERS/Charles Platiau

EVRA

O lateral do Olympique de Marselha aprendeu quatro línguas além do francês: inglês, italiano, espanhol e português.
Rogan Ward/Reuters
Rogan Ward/Reuters

SENDEROS

É normal falar várias línguas em um país como a Suíça, que faz fronteira com França, Itália e Alemanha. O zagueiro suíço Senderos, por exemplo, é fluente em alemão, francês, italiano, inglês e espanhol.
AFP PHOTO / BEN STANSALL
AFP PHOTO / BEN STANSALL

ROY HODGSON

O treinador inglês pode se comunicar em italiano, alemão, sueco ou norueguês. Também trabalhou na França, na Finlândia e na Dinamarca, e aprendeu um pouco de cada língua local.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos