Rakitic larga pizzas e melhora desempenho; veja atletas que fizeram o mesmo

Do UOL, em São Paulo

  • Shaun Botterill/Getty Images

    Ivan Rakitic voa para marcar um golaço de voleio no jogo do Barcelona contra o Tottenham

    Ivan Rakitic voa para marcar um golaço de voleio no jogo do Barcelona contra o Tottenham

Ele disputou os oito primeiros jogos do Barcelona no Campeonato Espanhol, correndo mais de 10 quilômetros por partida. Brilhou na vitória fora de casa contra o Tottenham na Liga do Campeões, com um golaço de voleio. Foi peça fundamental no time da Croácia que chegou à final da Copa. Aos 30 anos, Ivan Rakitic está no auge da forma física e técnica. Claro que ajuda jogar ao lado de gênios como Messi e Modric. Mas ele também teve que se ajudar.

Às vésperas de completar 30 anos, Rakitic descobriu que tinha intolerância a glúten após fazer exames de rotina. Ele aproveitou para mudar totalmente seus hábitos alimentares, cortando de vez guloseimas como pizzas, doces, refrigerantes e massas. Além de perder pelo menos dois quilos, ele notou uma evolução no seu preparo físico.

"Muitas vezes, depois dos jogos, me sentia muito mal, inflado. Desde que mudei, me recupero muito melhor, mais fácil. O intestino não dá mais problema. Parecia que não faria muita diferença, mas quando tentei, percebi que tinha tomado a decisão correta", afirmou o croata ao jornal El País. 

Rakitic não foi o primeiro atleta a maneirar no glúten em busca de um melhor rendimento esportivo. Veja outros exemplos: 

Laurence Griffiths/Getty Images
Laurence Griffiths/Getty Images

Lionel Messi

Companheiro de Rakitic no Barcelona, Messi era viciado em pizza. Costumava comer depois dos jogos e, quando saía para jantar com amigos, geralmente era em uma pizzaria. Em 2015, começou uma dieta que o fez trocar massas, carnes e açúcar por verduras, peixes e cereais. Depois disso, perdeu mais de três quilos e aumentou a massa muscular. Seu objetivo também era evitar os constantes problemas estomacais que o faziam vomitar em campo. "Não vou melhorar um fenômeno como Messi por comer de determinada forma. Mas podemos fazer com que ele siga sendo o Messi durante mais tempo", explicou o médico Giuliano Poser, que orientou a mudança na alimentação do craque.
Compartilhe
Tony O'Brien/Reuters
Tony O'Brien/Reuters

Gonzalo Higuaín

Quando se apresentou à Juventus em 2016, o atacante argentino estava visivelmente fora de forma. Segundo o jornal La Gazzetta dello Sport, a primeira medida do nutricionista do clube, Matteo Pincella, foi cortar o prato preferido de Higuaín: pizza. Aos poucos, a barriga passou a chamar menos atenção que os gols. E ele foi decisivo nas campanhas dos últimos dois títulos italianos e na Liga dos Campeões de 2016-2017, quando a Juve chegou na final.
Compartilhe
Ale Cabral/AGIF
Ale Cabral/AGIF

Jorge Valdivia

"Sou bom para comer pizza. Se tivesse pizza em casa, não conseguia me aguentar. Agora, se vejo uma, nem dá fome", revelou o meia do Colo-Colo durante um evento no Chile, em 2017. Ele também tirou a carne do cardápio: "Faz dois anos que tenho uma dieta bem rígida, não comia faz tempo", disse ele sobre o churrasco do título da Supercopa do Chile. Valdivia ainda declarou ter largado bebidas alcoólicas: "Uma das melhores decisões que tomei na minha carreira".
Ben Curtis/AP Photo
Ben Curtis/AP Photo

Novak Djokovic

Um dos casos mais famosos de dieta sem glúten no esporte. O tenista sérvio chegou a escrever um livro sobre o assunto: "Sirva para vencer: a dieta sem glúten para a excelência física e mental". Apesar de seu pai ser dono de uma pizzaria, o prato foi o primeiro a ser cortado do cardápio - além do trigo, ele também identificou intolerância a queijo. A mudança na alimentação coincidiu com sua fase mais vitoriosa no tênis, quando chegou pela primeira vez ao topo do ranking, em 2011.
Compartilhe

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos