Rock, barro e até brócolis: as estranhas explicações de uniformes número 3

Luiza Oliveira

Do UOL, em São Paulo

O uniforme 3 dos times virou símbolo de irreverência nos últimos anos. É o momento ideal de o clube ousar e usar a criatividade para sair do tradicional e conquistar seus torcedores. Mas alguns deles adotam algumas explicações meio inusitadas para seus novos mantos sagrados. O UOL Esporte reuniu alguns exemplos.

Fábio Leoni/PontePress
Fábio Leoni/PontePress

Ponte veste cores de Campinas

A Ponte Preta surpreendeu neste ano com um uniforme nas cores amarela e azul. O clube decidiu homenagear a cidade de Campinas. A tradicional faixa na transversal dessa vez aparece em degradê em alusão a um trilho de trem a caminho da estação principal, em referência às ferrovias da cidade. A cor amarela remete à prosperidade da cidade, enquanto os calções e meiões azuis fazem menção ao céu de Campinas e ao Aeroporto Internacional de Viracopos.
Adriano Vizoni/Folhapress
Adriano Vizoni/Folhapress

Corinthians homenageia barro do terrão

O Corinthians adora inovar em seus uniformes que já teve várias camisas coloridas e até fotos de torcedores estampadas. No ano passado, ele lançou um uniforme laranja com uma explicação um pouco diferente do habitual. O clube se inspirou no barro do antigo campo usado pelos jogadores nas categorias de base do Parque São Jorge: o chamado Terrão.
Caio Guatelli/Nike
Caio Guatelli/Nike

Até o Torino-ITA já foi homenageado pelo Corinthians

Em 2011, o Corinthians usou a camisa grená como referência inusitada ao Torino, da Itália, ainda que o Timão não tenha qualquer laço com o país europeu. A intenção foi lembrar justamente a primeira vez que usou um uniforme 3, ainda em 1949. Na ocasião, o grená foi uma homenagem ao Torino por causa de um acidente aéreo que matou os jogadores do time. O Torino foi o primeiro adversário internacional da história do Corinthians.
Divulgação/Nike
Divulgação/Nike

Corinthians veste concreto dos prédios de São Paulo

No ano seguinte, o Corinthians inovou de novo, mas dessa vez decidiu ter algo mais familiar para seus torcedores como homenageado. O clube trocou o preto e branco pelo cinza, que representava o concreto dos prédios da capital paulista. O terceiro uniforme trazia ainda o desenho do mapa do estado de São Paulo no tecido. O short era preto e tinha uma marca d'água com o contorno do estado.
Nike/Divulgação
Nike/Divulgação

Santos usa azul-turquesa de ponto turístico da cidade

Quem também gosta de ter a cidade como referência em seu terceiro uniforme é o Santos. Em 2012, o time adotou a camisa azul-turquesa com uma explicação um pouco fora do habitual e que não tem qualquer relação com o esporte. O clube quis fazer referência à herança colonial e portuária da cidade e usar as mesmas cores da fonte do Itororó, que fica no sopé de Monte Serrat, e é um dos atrativos turísticos da cidade.
Divulgação/Nike
Divulgação/Nike

Santos estampa orla da cidade na camisa

No ano seguinte, o Santos também inovou e estampou um dos cartões postais da cidade em seu uniforme. A camisa ganhou tons em azul escuro e representou a orla da cidade iluminada durante a noite. Na parte de trás, a Praça Independência, onde tradicionalmente os torcedores comemoram os títulos do clube também ganhou espaço.
Divulgação/Olympikus
Divulgação/Olympikus

Flamengo usou azul e amarelo para lembrar origem do clube

Há quem prefira homenagear a história do clube, mas de uma forma atípica. O Flamengo causou polêmica em 2010 com um uniforme todo em amarelo e azul. Quase ninguém sabia, mas o clube jura que as cores inusitadas fazem parte de sua história ainda que no futebol nunca tivesse sido usada. A explicação é que no ano de sua fundação, em 1895, o clube usava o amarelo e azul nas provas de remo.
Divulgação/Vitória
Divulgação/Vitória

Vitória homenageia lado B da história

Agora em 2016, o Vitória também usou o uniforme 3 para homenagear uma fase 'lado B' de sua história. O clube deixou o tradicional rubro-negro de lado e adotou o laranja. A ideia é representar a transição do clube no longínquo ano de 1902, quando o até então Club de Cricket Victoria se tornou o Esporte Clube Victoria e começou a se destacar em diversos tipos de esportes. Meio inusitado, não?
Agência Estado
Agência Estado

Coritiba vira 'abelha' para homenagear torcida

O Coritiba adotou um uniforme que também deu o que falar em 2013. O clube adotou uma camisa preta e verde que ficou conhecida como 'abelha' e não agradou muito os torcedores. E a explicação foi ainda mais diferente. A ideia era homenagear a já conhecida festa que a torcida do Coxa faz e é chamada de 'green hell'.
Reprodução
Reprodução

Brasiliense faz leitura rock'n roll do uniforme

O Brasiliense abusou da irreverência com seu uniforme de 2010. E a explicação é no mínimo muito curiosa. O clube acolheu uma sugestão de uma internauta e decidiu fazer uma leitura rock'n roll e moderna do uniforme do Jacaré. A camisa era azul, simulando um tom de jeans, e tinha como diferencial as estampas que traziam algumas imagens como de caveiras. Os calções eram pretos e os meiões, da mesma cor.
Divulgação/LaHoya
Divulgação/LaHoya

Time espanhol cria uniforme inspirado em brócolis

Quem acha que as ideias estranhas se restrigem aos times brasileiros se enganou. Em 2013, o time espanhol La Hoya Lorca decidiu revolucionar o design de um jeito bem peculiar: homenageando um vegetal, o brócolis. E não é que tem uma explicação? O brócolis é muito popular em Murcia (cidade do La Hoya Lorca), que é conhecida como o Jardim dos Vegetais. É o produto mais abundante e mais exportado.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos