Rodada do Brasileirão tem "esquentadinhos" e sinalizador "mudando" jogo

Do UOL, em São Paulo

O Palmeiras assumiu a liderança provisória do Brasileirão depois dos oito primeiros jogos da oitava rodada, que aconteceram na última quarta-feira (15). E isso com um empate contra o Coritiba, no Couto Pereira, que teve sabor de derrota - o último gol da partida saiu aos 48 minutos do segundo tempo.

Há quem diga que o empate do time paranaense, com gol de Leandro, emprestado pelo alviverde paulista, só aconteceu devido à própria torcida palmeirense. É isso mesmo: o jogo se alongou com 6 minutos de acréscimos porque foram acendidos na arquibancada, no lado dos visitantes, sinalizadores que interromperam a partida. 

A quarta-feira também já apresentou os primeiros "esquentadinhos" da vez: Gatito Fernández, goleiro do Figueirense, viu dois amarelos em um minuto e foi expulso. Centurión, do São Paulo, deu chilique depois de ser substituído. 

Mas não vimos só confusões e brigas. Jonathan Calleri, por exemplo, se emocionou ao homenagear amigo morto no primeiro gol do São Paulo contra o Vitória. Confira lista com o que de melhor aconteceu neste começo de rodada.

O melhor da quarta-feira

Clelio Tomaz/AGIF
Clelio Tomaz/AGIF

Os esquentadinhos

Gatito Fernández, herói do Figueirense contra o Flamengo na última rodada, virou o vilão da vez na derrota para o Santa Cruz. Aos 40 do primeiro tempo ele recebeu amarelo por reclamação. Seguiu gritando com o árbitro e, no minuto seguinte, foi expulso. Deu confusão: todo o time catarinense protestou com o árbitro, que foi escoltado pela polícia até o vestiário.

Mas Gatito não foi o único "esquentadinho" da rodada: ao deixar o gramado, Centurión, do São Paulo, socou o banco e passou a questionar a substituição: "por que eu"?. Antes mesmo de o jogo acabar, o argentino vestiu o moletom e deixou o gramado. Ele, pelo menos, não prejudicou seu clube, que venceu por 2 a 0.
Joka Madruga/Futura Press/estadão Conteúdo
Joka Madruga/Futura Press/estadão Conteúdo

Sinalizador dá chance para Coritiba empatar

O Palmeiras vencia até os 48 minutos do segundo tempo por 2 a 1 ? o último gol marcado por Cristaldo, antes "encostado" com Cuca. Foi quando Leandro, emprestado pelo próprio alviverde paulista ao time paranaense, deixou tudo igual. E o jogo só foi tão longe porque a torcida palmeirense no Couto Pereira resolveu acender sinalizadores: o juiz parou a partida e deu seis minutos de acréscimos. Juca Kfouri, blogueiro do UOL, detonou: para ele, o jogo empatou "como se a castigar a burrice dos que acenderam o artefato".

Apagão no Morumbi

O jogo do São Paulo, que deveria terminar por volta das 21h30, durou 30 minutos a mais - a culpa foi de um apagão na região do Morumbi. Ainda no primeiro tempo, quando o placar mostrava 0 a 0, os refletores se apagaram. A partida sofreu paralisação de quase meia hora.

Não foi o único atraso do confronto: antes do apito inicial, devido ao trânsito da cidade de São Paulo, o Vitória demorou para chegar ao estádio. O time baiano pediu ao juiz do duelo que esperasse 10 minutos para a realização dos procedimentos obrigatórios. A recusa gerou cena curiosa: apenas os jogadores do tricolor participaram do hino nacional.

Sassá sensacional

O Botafogo, com vitória por 3 a 0 sobre o América-MG, deixou a lanterna, a zona de rebaixamento (provisoriamente) e a sequência de quatro partidas sem triunfos para trás. E, se chegou aos oito pontos, deve todo o "bicho" da partida a Sassá: o atacante marcou nada mais nada menos do que todos os gols do duelo. É, pelo menos até aqui, o craque da rodada.

Pouca gente viu o show de Sassá, no entanto. Apenas 833 torcedores comparam ingressos para a partida - o pior público do Brasileirão-16. A renda foi de R$ 19.580,00.

SeleSantos? Lucas Lima e Gabigol decidem

Gabigol foi titular no jogo da seleção brasileira contra o Peru, no último domingo, nos EUA, do qual a equipe saiu eliminada da Copa América Centenário. O atacante, no entanto, foi titular nesta quarta-feira. Lucas Lima, outro que estava a serviço de Dunga, ficou no banco de reservas e entrou no segundo tempo. Com os dois em campo, o Santos deixou o 0 a 0 no placar para terminar com vitória por 2 a 0: Gabigol fez o primeiro com passe de Lucas. No segundo, o incansável camisa 10 deu assistência para Vitor Bueno.

Grêmio faz três, mas não chega à ponta

O Grêmio fez três gols na partida contra a Chapecoense, na Arena Condá, mas não foi o suficiente. Os donos da casa também marcaram três vezes, em jogo agitado. Com o resultado, o tricolor gaúcho perdeu a chance de dormir líder. Mas, ainda assim, tem o que comemorar: o empate saiu na reta final da partida, gol de Giuliano aos 38 minutos do segundo tempo, e os estreantes da noite empolgaram - titular nesta quarta, o garoto Jailson anotou um e Negueba, que saiu do banco, deu assistência para o tento decisivo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos