Traves pintadas, ciúme e cumprimento "pegadinha": os mitos da Copa de 1978

Do UOL, em São Paulo

Uma polêmica famosa cerca a Copa do Mundo de 1978, conquistada em casa pela Argentina: a vitória dos anfitriões por 6 a 0 sobre o Peru em resultado que eliminou o Brasil da final. Ocorrida durante a violenta ditadura militar argentina, a competição tem outros mitos ligados a questões políticas, de uma 'pegadinha' com um general a traves pintadas de preto.

Um levantamento feito pelo diário La Izquierda, no entanto, desconstrói a maioria desses mitos. O veículo, inclusive, opina que os pés das traves pintados de preto como símbolo de resistência à ditadura seria um grande dado histórico, mas destaca, quase em tom de lamento, que tal relação não existiu.

Arquivo/EFE
Arquivo/EFE

Traves políticas

O mito sobre as traves ressurgiu no último mês de julho em texto de um professor escocês reproduzido pelo The Guardian. Nele, dizia-se que os pés das traves do estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires, foram pintados de preto como símbolo de resistência e protesto contra a ditadura. No entanto, historiadores e escritores argentinos mostraram que tais pinturas eram comuns no país já na década de 1960. Acredita-se que o objetivo era facilitar a visualização da bola caso ela entrasse rente à trave, diminuindo a chance de confusão se havia sido gol ou não.
AFP PHOTO
AFP PHOTO

Mulher ciumenta

A ausência do holandês Johan Cruyff naquele Mundial foi atribuído a duas razões, ambas mentirosas, segundo ele. A primeira: uma forma de protesto do jogador contra o regime militar que mandava na Argentina. A segunda: o ciúme da esposa de Cruyff. O craque holandês, no entanto, desmentiu ambas as teorias. A verdade, de acordo com ele, foi que uma tentativa de sequestro da qual ele foi vítima um ano antes, em Barcelona, o fez desistir da viagem e priorizar sua família e a segurança dos mesmos.
/Eduardo Di Baia/AP
/Eduardo Di Baia/AP

Cumprimento "pegadinha"

O lateral-esquerdo Alberto Tarantini, titular da Argentina no torneio e um dos destaques do time, conta que passou a mão em seus testículos antes de cumprimentar o ditador e general Jorge Videla após o título. Alguns de seus companheiros questionam o fato. Tarantini diz que fez isso por uma aposta com Daniel Passarella. Neste caso, fica o depoimento do ex-lateral contra a opinião de seus colegas de time.
Reprodução
Reprodução

Carregamento de trigo

Este mito tem ligação direta com a polêmica goleada da Argentina sobre o Peru. Espalhou-se que os militares argentinos teriam enviado um grande carregamento de trigo para o país vizinho em troca do resultado elástico no placar, mas tal doação nunca existiu, segundo o diário.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos