Domingo 08/05/2016 - 16:00

Maracanã, Rio de Janeiro

1
Vasco Vasco
  • Rafael Vaz
Pós-jogo
1
Botafogo Botafogo
  • Leandrinho

Matéria de teste para preview da ficha

Webmaster UOL

Do UOL, em São Paulo

Muricy Ramalho colocou em campo diante do Corinthians a sexta escalação do São Paulo em seis jogos em 2015. Por um misto de opção tática, preservação de jogadores e oportunidade aos jovens, o treinador são-paulino não repetiu o time na temporada. Nesta quarta, uma equipe surpreendente, com algumas mudanças inéditas para o clássico, não deu certo: o time foi dominado e derrotado sem contestação em Itaquera.

Na estreia, defesa com Toloi e Edson Silva, Thiago Mendes no meio e Kardec e Luis Fabiano no ataque. Depois, Lucão ganhou lugar na defesa, Pato no ataque; Ganso voltou ao meio. No clássico com o Santos, chance para o garoto Ewandro. Contra o Bragantino, última partida, esquema com três zagueiros, estreia de Doria e Centurión, com o garoto Boschilia entre os titulares.

Diante do Corinthians, foram três mudanças inéditas: pela primeira vez no ano, Michel Bastos atuou na lateral esquerda; Doria, que só havia atuado com três zagueiros diante do Bragantino, jogou em uma formação com dois defensores. O meio com Denilson, Souza, Maicon e Ganso também apareceu pela primeira vez em 2015.

As surpresas vieram depois de uma semana repleta de mistérios: enquanto Tite revelou a escalação corintiana na terça, Muricy fechou os treinamentos, e deixou claro desde a semana passada que não revelaria a escalação. A estratégia não deu certo.

Um dos principais destaques do time na temporada, Michel Bastos não repetiu as boas atuações na lateral. Após o jogo, repetiu um discurso adotado já no começo do ano, de que rende mais no meio de campo. "Eu sei jogar, lógico, mas acho que hoje eu posso dar um pouco a mais em outra posição. Hoje o Muricy optou por isso para dar possibilidade a outro jogador, tentei dar meu máximo. A gente sempre quer jogar na nossa função", disse.

Dória também não foi bem, e vacilou em alguns lances. Na saída de campo, se irritou com perguntas sobre seu preparo físico. "Com certeza, estou preparado sim", disse, antes de deixar a zona mista.

O meio até trocou mais passes do que o Corinthians, mas, com dois centroavantes de pouca velocidade, Maicon e Ganso não encontraram espaço para enfiar as bolas. Cássio praticamente não trabalhou no Itaquerão.

Depois da partida, o próprio Muricy Ramalho reconheceu que as mudanças não surtiram efeito. "Quis liberar os dois laterais, os dois atacantes e o Ganso, mas não surtiu efeito. Não teve penetração, não teve jogada de fundo do campo. Para classificarmos na Libertadores, é muito pouco. Só com isso não tem condições".

O São Paulo volta a campo no sábado, diante do Audax, no Morumbi. Possivelmente, terá a sétima escalação da temporada. A missão, agora, é encontrar o time ideal antes de voltar a atuar pela Libertadores, diante do Danubio, na quarta-feira.
 

Fases do jogo

  • Primeiro tempoCom a vantagem do empate, o Vasco não mudou a postura. Jogou a todo instante buscando ter a posse de bola, como é da sua característica. O Botafogo, por outro lado, até tentou fazer uma pressão inicial, com jogadas rápidas pelos lados de campo, mas o adversário estava bem postado defensivamente. A melhor chance foi do Alvinegro de General Severiano em chute de Bruno Silva de fora da área, que exigiu grande defesa de Martin Silva. Já o Cruzmaltino levou muito mais perigo com cruzamentos na área, com exceção de uma jogada no início do duelo que terminou com finalização fraca de Riascos nas mãos de Jefferson.
  • Segundo tempoPrecisando da vitória, o Botafogo voltou determinado no segundo tempo. E conseguiu o gol logo aos 4min com Leandrinho. O jovem apoiador aproveitou falha de posicionamento de Rafael Vaz e, de cabeça, abriu o placar. O Vasco cresceu na adversidade e respondeu imediatamente. Aos 11min, o mesmo Vaz subiu ao ataque e devolveu na mesma moeda: 1 a 1. O Alvinegro de General Severiano partiu para cima nos minutos finais, mas o título foi mesmo para São Januário. Festa do Vascão.

Melhores

  • Martin Silva, VascoGoleiro fez grandes defesas no jogo e contribuiu decisivamente para o resultado final.
  • Leandrinho, BotafogoCom apenas 19 anos chamou a responsabilidade no Botafogo. Fez grande partida e acabou coroado com um gol na final

Piores

  • Diego, BotafogoLateral entrou no lugar do lesionado Diogo e falhou na marcação no gol de Rafael Vaz. Apenas olhou o zagueiro do Vasco cabecear.
  • Jorge Henrique, VascoAo contrário do primeiro jogo, teve atuação ruim. Errou muitos passes, principalmente no primeiro tempo.

Próximos Jogos - Vasco

  1. Fluminense FLU
    Vasco VAS
  2. Vasco VAS
    Grêmio GRE
  3. Corinthians COR
    Vasco VAS
  4. Sport SPT
    Vasco VAS

Próximos Jogos - Botafogo

  1. Flamengo FLA
    Botafogo BOT
  2. Bahia BAH
    Botafogo BOT
  3. Botafogo BOT
    Flamengo FLA
  4. Botafogo BOT
    Grêmio GRE
  5. Botafogo BOT
    Santos SAN

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos