1. Fluminense FLU
    Ferroviária-SP FER
  2. Ponte Preta PON
    Genus GEN

Quinta-feira 12/05/2016 - 19:15

Adauto Moraes, Juazeiro

1
Juazeirense Juazeirense
  • Alex Travassos
Pós-jogo
2
Botafogo Botafogo
  • Neilton
  • Émerson Silva

Matéria de teste para preview da ficha

Webmaster UOL

Do UOL, em São Paulo

Muricy Ramalho colocou em campo diante do Corinthians a sexta escalação do São Paulo em seis jogos em 2015. Por um misto de opção tática, preservação de jogadores e oportunidade aos jovens, o treinador são-paulino não repetiu o time na temporada. Nesta quarta, uma equipe surpreendente, com algumas mudanças inéditas para o clássico, não deu certo: o time foi dominado e derrotado sem contestação em Itaquera.

Na estreia, defesa com Toloi e Edson Silva, Thiago Mendes no meio e Kardec e Luis Fabiano no ataque. Depois, Lucão ganhou lugar na defesa, Pato no ataque; Ganso voltou ao meio. No clássico com o Santos, chance para o garoto Ewandro. Contra o Bragantino, última partida, esquema com três zagueiros, estreia de Doria e Centurión, com o garoto Boschilia entre os titulares.

Diante do Corinthians, foram três mudanças inéditas: pela primeira vez no ano, Michel Bastos atuou na lateral esquerda; Doria, que só havia atuado com três zagueiros diante do Bragantino, jogou em uma formação com dois defensores. O meio com Denilson, Souza, Maicon e Ganso também apareceu pela primeira vez em 2015.

As surpresas vieram depois de uma semana repleta de mistérios: enquanto Tite revelou a escalação corintiana na terça, Muricy fechou os treinamentos, e deixou claro desde a semana passada que não revelaria a escalação. A estratégia não deu certo.

Um dos principais destaques do time na temporada, Michel Bastos não repetiu as boas atuações na lateral. Após o jogo, repetiu um discurso adotado já no começo do ano, de que rende mais no meio de campo. "Eu sei jogar, lógico, mas acho que hoje eu posso dar um pouco a mais em outra posição. Hoje o Muricy optou por isso para dar possibilidade a outro jogador, tentei dar meu máximo. A gente sempre quer jogar na nossa função", disse.

Dória também não foi bem, e vacilou em alguns lances. Na saída de campo, se irritou com perguntas sobre seu preparo físico. "Com certeza, estou preparado sim", disse, antes de deixar a zona mista.

O meio até trocou mais passes do que o Corinthians, mas, com dois centroavantes de pouca velocidade, Maicon e Ganso não encontraram espaço para enfiar as bolas. Cássio praticamente não trabalhou no Itaquerão.

Depois da partida, o próprio Muricy Ramalho reconheceu que as mudanças não surtiram efeito. "Quis liberar os dois laterais, os dois atacantes e o Ganso, mas não surtiu efeito. Não teve penetração, não teve jogada de fundo do campo. Para classificarmos na Libertadores, é muito pouco. Só com isso não tem condições".

O São Paulo volta a campo no sábado, diante do Audax, no Morumbi. Possivelmente, terá a sétima escalação da temporada. A missão, agora, é encontrar o time ideal antes de voltar a atuar pela Libertadores, diante do Danubio, na quarta-feira.
 

Fases do jogo

  • Primeiro tempoO Botafogo dominou as ações no primeiro tempo e chegou ao gol logo no início, quando Leandrinho arrancou pelo meio, sofreu uma tentativa de desarme e a bola acabou sobrando livre para Neílton, que tocou no canto do goleiro. O Alvinegro continuou bem, mas tinha dificuldades no toque de bola por conta das condições ruins do gramado no "Adautão", que estava muito irregular.
  • Segundo tempoNa etapa final, Jefferson deixou o campo lesionado e Hélton Leite pareceu estar frio e sem ritmo de jogo. No lance do gol, Alex Travassos bateu de forma fechada e o jovem goleiro acabou pulando para dentro do gol, o que o dificultou a executar a defesa. Em dois lances seguintes, no entanto, ele brilhou e impediu o empate do Juazeirense. O Botafogo ainda teve a chance de fazer o terceiro em jogada de Leandrinho que Sassá chutou cruzado e o goleiro Tigre defendeu.

Destaques

  • XarásO jogo desta quinta-feira marcou o duelo de Sassás. Tanto o Juazeirense quanto o Botafogo tinham jogadores com este apelido entre os titulares. E ambos são atacantes.
  • Arco-írisA visita do Botafogo à Juazeiro do Norte motivou torcedores de outros clubes do Rio a também comparecerem ao estádio. Notou-se alguns com camisas de Flamengo e Vasco, por exemplo. O clima, no entanto, foi de harmonia.

Melhores notas

  • Juazeirense
  • Botafogo
Avaliação
dos usuários
do Placar UOL
4
0,0
Alex Travassos
2
10,0
Jefferson
 
7
0,0
Capone
0
10,0
Marco

Repercussão

Próximo Jogo - Juazeirense

  1. Globo-RN GLO
    Juazeirense JZN

Próximos Jogos - Botafogo

  1. Flamengo FLA
    Botafogo BOT
  2. Bahia BAH
    Botafogo BOT
  3. Botafogo BOT
    Flamengo FLA
  4. Botafogo BOT
    Grêmio GRE
  5. Botafogo BOT
    Santos SAN

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos