1. XV de Piracicaba-SP XVP
    Linense-SP LIN
  2. São Bernardo SBE
    Red Bull Brasil RED
  3. Ferroviária-SP FER
    Botafogo-SP BOT
  4. Grêmio Novorizontino GNO
    Rio Claro RCL
  5. Ituano ITU
    Mogi Mirim MOG

Domingo 03/04/2016 - 16:00

Pacaembu, São Paulo

14ª rodada

1
Palmeiras Palmeiras
  • Dudu
Pós-jogo
0
Corinthians Corinthians

Matéria de teste para preview da ficha

Webmaster UOL

Do UOL, em São Paulo

Muricy Ramalho colocou em campo diante do Corinthians a sexta escalação do São Paulo em seis jogos em 2015. Por um misto de opção tática, preservação de jogadores e oportunidade aos jovens, o treinador são-paulino não repetiu o time na temporada. Nesta quarta, uma equipe surpreendente, com algumas mudanças inéditas para o clássico, não deu certo: o time foi dominado e derrotado sem contestação em Itaquera.

Na estreia, defesa com Toloi e Edson Silva, Thiago Mendes no meio e Kardec e Luis Fabiano no ataque. Depois, Lucão ganhou lugar na defesa, Pato no ataque; Ganso voltou ao meio. No clássico com o Santos, chance para o garoto Ewandro. Contra o Bragantino, última partida, esquema com três zagueiros, estreia de Doria e Centurión, com o garoto Boschilia entre os titulares.

Diante do Corinthians, foram três mudanças inéditas: pela primeira vez no ano, Michel Bastos atuou na lateral esquerda; Doria, que só havia atuado com três zagueiros diante do Bragantino, jogou em uma formação com dois defensores. O meio com Denilson, Souza, Maicon e Ganso também apareceu pela primeira vez em 2015.

As surpresas vieram depois de uma semana repleta de mistérios: enquanto Tite revelou a escalação corintiana na terça, Muricy fechou os treinamentos, e deixou claro desde a semana passada que não revelaria a escalação. A estratégia não deu certo.

Um dos principais destaques do time na temporada, Michel Bastos não repetiu as boas atuações na lateral. Após o jogo, repetiu um discurso adotado já no começo do ano, de que rende mais no meio de campo. "Eu sei jogar, lógico, mas acho que hoje eu posso dar um pouco a mais em outra posição. Hoje o Muricy optou por isso para dar possibilidade a outro jogador, tentei dar meu máximo. A gente sempre quer jogar na nossa função", disse.

Dória também não foi bem, e vacilou em alguns lances. Na saída de campo, se irritou com perguntas sobre seu preparo físico. "Com certeza, estou preparado sim", disse, antes de deixar a zona mista.

O meio até trocou mais passes do que o Corinthians, mas, com dois centroavantes de pouca velocidade, Maicon e Ganso não encontraram espaço para enfiar as bolas. Cássio praticamente não trabalhou no Itaquerão.

Depois da partida, o próprio Muricy Ramalho reconheceu que as mudanças não surtiram efeito. "Quis liberar os dois laterais, os dois atacantes e o Ganso, mas não surtiu efeito. Não teve penetração, não teve jogada de fundo do campo. Para classificarmos na Libertadores, é muito pouco. Só com isso não tem condições".

O São Paulo volta a campo no sábado, diante do Audax, no Morumbi. Possivelmente, terá a sétima escalação da temporada. A missão, agora, é encontrar o time ideal antes de voltar a atuar pela Libertadores, diante do Danubio, na quarta-feira.
 

Fases do jogo

  • Primeiro tempoO Palmeiras começou o jogo adiantando a marcação, dificultando bastante a saída de jogo do Corinthians. Logo de cara, antes mesmo do primeiro minuto, um desarme perto da área gerou uma finalização de Jean, que bateu por cima do gol de Cássio. Pressionado, o Corinthians teve muita dificuldade neste início: forçado a trocar passes improdutivos no campo de defesa, não teve espaço para fazer as triangulações que levam aos avanços no campo e teve de apostar bastante nas ligações diretas. Aos poucos, o time até passou a encontrar algumas oportunidades para chegar ao gol de Fernando Prass, mas sem conseguir criar nada que exigisse grande intervenção do goleiro. O Palmeiras também ameaçou pouco, não transformando a pressão no campo de ataque em superioridade no placar.
  • Segundo tempoA marcação do Palmeiras continuou complicando bastante a vida do Corinthians após o intervalo. A dificuldade para chegar com qualidade ao ataque levou Tite a colocar Romero e Maycon nos lugares de Guilherme e Elias, respectivamente. O primeiro gol quase saiu aos nove minutos, quando Gabriel Jesus cruzou da esquerda e encontrou o pé direito de Alecsandro dentro da área, mas Cássio fez grande defesa e manteve o placar zerado. Vinte minutos mais tarde, foi a vez de Fernando Prass brilhar defendendo pênalti cobrado por Lucca, depois de falta de Thiago Martins sobre Giovanni Augusto dentro da área. Logo em seguida, Dudu abriu o placar para o Palmeiras com um toque de cabeça, aproveitando saída de gol atrapalhada de Cássio.

Destaques

  • Rivais unidosHoras após a confirmação de um morto em uma briga entre as torcidas em São Paulo, os dois times entraram em campo no Pacaembu juntos. Os jogadores ficaram intercalados durante a execução do hino nacional e se posicionaram no círculo central durante o minuto de silêncio que precedeu a partida.
  • Marcação individualO Palmeiras conseguiu neutralizar as principais jogadas do Corinthians no meio-campo. Gabriel e Arouca marcaram individualmente os corinthians Elias e Guilherme, respectivamente.
  • Mudança na formaçãoA volta de Elias, que não jogava desde fevereiro, fez com que o Corinthians entrasse em campo postado de uma maneira diferente em relação ao que vinha acontecendo nos últimos jogos. Ao invés do 4-1-4-1, o time apresentou um 4-2-3-1, com Elias posicionado como volante ao lado de Bruno Henrique.
  • Provocação das torcidasO clássico no Pacaembu foi marcado pela provocação entre as torcidas organizadas dos clubes. No intervalo, os corintianos chegaram a jogar uma bomba no tobogã, onde estava a torcida palmeirense.

Melhores

  • Dudu, PalmeirasO atacante saiu do banco no segundo tempo, deixou o time mais perigoso e foi o responsável pelo gol.
  • Giovanni Augusto, CorinthiansFoi quem melhor conseguiu se virar no meio-campo do Corinthians. Sofreu o pênalti que Lucca depois perdeu.

Piores

  • Alecsandro, PalmeirasPouco participativo, o atacante perdeu uma chance na pequena área -- Cássio evitou o gol.
  • Guilherme, CorinthiansSofreu para encontrar espaços na marcação palmeirense e mostrou-se muito pouco eficiente na criação de jogadas do time.

Próximos Jogos - Palmeiras

  1. Palmeiras PAL
    Chapecoense CHA
  2. Palmeiras PAL
    São Paulo SPA
  3. Atlético-MG CAM
    Palmeiras PAL
  4. Palmeiras PAL
    Coritiba CTB
  5. Fluminense FLU
    Palmeiras PAL

Próximos Jogos - Corinthians

  1. Corinthians COR
    Vitória VIT
  2. Chapecoense CHA
    Corinthians COR
  3. Corinthians COR
    Atlético-GO ACG
  4. Santos SAN
    Corinthians COR
  5. Corinthians COR
    Racing Club RAC

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos