1. São Bernardo SBE
    Mogi Mirim MOG
  2. Red Bull Brasil RED
    Grêmio Novorizontino GNO

Quinta-feira 31/03/2016 - 20:30

Pacaembu, São Paulo

13ª rodada

3
Palmeiras Palmeiras
  • Alecsandro
  • Gabriel Jesus
  • Rafael Marques
Pós-jogo
0
Rio Claro Rio Claro

Matéria de teste para preview da ficha

Webmaster UOL

Do UOL, em São Paulo

Muricy Ramalho colocou em campo diante do Corinthians a sexta escalação do São Paulo em seis jogos em 2015. Por um misto de opção tática, preservação de jogadores e oportunidade aos jovens, o treinador são-paulino não repetiu o time na temporada. Nesta quarta, uma equipe surpreendente, com algumas mudanças inéditas para o clássico, não deu certo: o time foi dominado e derrotado sem contestação em Itaquera.

Na estreia, defesa com Toloi e Edson Silva, Thiago Mendes no meio e Kardec e Luis Fabiano no ataque. Depois, Lucão ganhou lugar na defesa, Pato no ataque; Ganso voltou ao meio. No clássico com o Santos, chance para o garoto Ewandro. Contra o Bragantino, última partida, esquema com três zagueiros, estreia de Doria e Centurión, com o garoto Boschilia entre os titulares.

Diante do Corinthians, foram três mudanças inéditas: pela primeira vez no ano, Michel Bastos atuou na lateral esquerda; Doria, que só havia atuado com três zagueiros diante do Bragantino, jogou em uma formação com dois defensores. O meio com Denilson, Souza, Maicon e Ganso também apareceu pela primeira vez em 2015.

As surpresas vieram depois de uma semana repleta de mistérios: enquanto Tite revelou a escalação corintiana na terça, Muricy fechou os treinamentos, e deixou claro desde a semana passada que não revelaria a escalação. A estratégia não deu certo.

Um dos principais destaques do time na temporada, Michel Bastos não repetiu as boas atuações na lateral. Após o jogo, repetiu um discurso adotado já no começo do ano, de que rende mais no meio de campo. "Eu sei jogar, lógico, mas acho que hoje eu posso dar um pouco a mais em outra posição. Hoje o Muricy optou por isso para dar possibilidade a outro jogador, tentei dar meu máximo. A gente sempre quer jogar na nossa função", disse.

Dória também não foi bem, e vacilou em alguns lances. Na saída de campo, se irritou com perguntas sobre seu preparo físico. "Com certeza, estou preparado sim", disse, antes de deixar a zona mista.

O meio até trocou mais passes do que o Corinthians, mas, com dois centroavantes de pouca velocidade, Maicon e Ganso não encontraram espaço para enfiar as bolas. Cássio praticamente não trabalhou no Itaquerão.

Depois da partida, o próprio Muricy Ramalho reconheceu que as mudanças não surtiram efeito. "Quis liberar os dois laterais, os dois atacantes e o Ganso, mas não surtiu efeito. Não teve penetração, não teve jogada de fundo do campo. Para classificarmos na Libertadores, é muito pouco. Só com isso não tem condições".

O São Paulo volta a campo no sábado, diante do Audax, no Morumbi. Possivelmente, terá a sétima escalação da temporada. A missão, agora, é encontrar o time ideal antes de voltar a atuar pela Libertadores, diante do Danubio, na quarta-feira.
 

Como foi o jogo

  • Primeiro tempoEnfrentando a equipe de pior campanha do Paulista, o Palmeiras partiu para cima do Rio Claro desde o início. Apostando muito nos cruzamentos, o time alviverde parou duas vezes nas mãos de Lucas Frigeri, antes mesmo dos 10 minutos de partida. A pressão, no entanto, não diminuiu, e o Palmeiras foi recompensado com o gol aos 44 minutos. Jogando no meio-campo, Alecsandro aproveitou escanteio cobrado por Jean e cabeceou para superar Frigeri e abrir o placar. O tento saiu apenas dois minutos depois de a torcida organizada voltar a cantar e apoiar a equipe.
  • Segundo tempoO segundo tempo palmeirense começou com um ritmo parecido ao do primeiro. Agora com apoio desde o início da torcida, a equipe seguiu pressionando o Rio Claro e precisou de apenas nove minutos para balançar as redes mais uma vezes. Gabriel Jesus se livrou de três marcador e bateu na saída de Lucas Frigeri para fazer um golaço. A partir daí, o time passou a controlar o resultado diante de uma equipe que não exibia o menor poder de reação para reverter o resultado. Com o resultado garantido, o Palmeiras ainda balançou as redes mais uma vez, com Rafael Marques, aos 41 minutos. O atacante aproveitou cruzamento de Egídio e completou para o gol.

Destaques

  • Robinho vomita e é substituídoO meia precisou ser substituído aos 43 minutos do primeiro tempo. Robinho começou a passar mal dentro de campo e chegou a vomitar. De acordo com a transmissão do ?Premiere?, o meia sofreu com enxaqueca durante a semana.
  • Torcedores em silêncioPunida pela Federação Paulista de Futebol, a Mancha Verde, principal torcida organizada do Palmeiras, decidiu ficar em silêncio durante boa parte do primeiro tempo. Os gritos de apoio começaram apenas aos 42 minutos, apenas dois minutos antes de Alecsandro abrir o placar.
  • Preparador físico expulsoOmar Feitosa foi expulso da partida do Palmeiras por um motivo curioso. O preparador físico supostamente estaria utilizando um aparelho comunicador, o que é proibido pela Fifa. O árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza foi até o banco de reservas e expulsou Feitosa.

Melhores

  • Gabriel Jesus, PalmeirasO camisa 33 teve um primeiro tempo apagado, mas brilhou na etapa final com um belo gol aos nove minutos. No lance, o atacante encarou quatro marcadores e bateu colocado no canto do goleiro.
  • Matheus Sales, PalmeirasTitular pela primeira vez com o técnico Cuca, o volante deu velocidade ao meio-campo do Palmeiras. Além de marcar bem, ainda saiu para o jogo.

Piores

  • Lucas Barrios, PalmeirasO atacante paraguaio ganhou a vaga no comando do ataque depois de servir a seleção paraguaia e foi mal. Não conseguiu prender a bola na frente, tampouco fazer a jogada de pivô.

Melhores notas

  • Palmeiras
  • Rio Claro
Avaliação
dos usuários
do Placar UOL
1
8,2
Rafael Marques
4
6,1
Thiago Cristian
 
5
7,8
Allione
1
6,1
Felipe Saturnino

Próximo Jogo - Palmeiras

  1. Palmeiras PAL
    Santo André SDR

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos