Topo

O que eliminação para o Inter ensinou ao Palmeiras para decisão com Grêmio

Palmeiras conquistou vantagem importante ao vencer o Grêmio em Porto Alegre por 1 a 0 - Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação
Palmeiras conquistou vantagem importante ao vencer o Grêmio em Porto Alegre por 1 a 0 Imagem: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

22/08/2019 04h00

A vitória por 1 a 0 sobre o Grêmio no jogo de ida das quartas de final da Libertadores, em pleno estádio do rival, pode ser vista como um grande passo do Palmeiras rumo à próxima fase da competição continental. Internamente, porém, o discurso é no sentido de manter os pés no chão e tirar lições da última eliminação da equipe em mata-matas, contra o Internacional, há um mês, na Copa do Brasil, quando o time também venceu a primeira partida por placar mínimo e depois caiu nos pênaltis ao perder o jogo da volta.

O principal ensinamento que ficou é que a equipe não pode tentar administrar a vantagem desde o começo, como buscou fazer no Beira-Rio contra o Inter depois de ter vencido a ida no Allianz Parque por 1 a 0.

O resultado daquela vez foi uma pressão intensa da equipe colorada, que marcou em cima, dominou amplamente o primeiro tempo e martelou até fazer o gol com Patrick. Um erro estratégico que Felipão e os jogadores não querem repetir contra o Grêmio.

Isso não significa que o Palmeiras vai se abrir completamente no jogo de volta, que acontece na próxima terça-feira (27), no Pacaembu. A tendência é que o time de Felipão se mantenha fiel à sua característica, fazendo uma pressão inicial e depois esperando o rival para tentar explorar contra-ataques.

Aí entra a segunda lição: na etapa final, quando o adversário se expuser mais, o Alviverde precisa estar com pernas frescas na frente para liquidar a partida e afastar qualquer possibilidade de pênaltis. Contra o Inter, o time não conseguiu subir o ritmo na etapa final e foi inoperante no contragolpe, sua principal característica. A decisão só foi para as penalidades, aliás, graças a uma noite inspirada de Weverton.

Desta vez, a situação é ainda mais favorável ao Palmeiras, já que a vitória conquistada no primeiro jogo foi fora de casa. Mas Felipão tem insistido na tecla de que nada está definido. O próprio treinador citou a eliminação contra o Internacional como um ponto de referência importante.

"Nós temos uma vantagem não mínima, quase nenhuma, porque nós sabemos que em determinado momento podemos tomar um gol e fica tudo igual. A intenção não é a administração desse resultado, porque já temos o exemplo da Copa do Brasil contra o Internacional. Então vamos ter que tomar muito cuidado, porque o Grêmio tem uma qualidade de trabalho de bola que é impecável. Temos que jogar balanceados, bem equilibrados, porque aí poderemos no final ter uma vantagem em determinados momentos", projetou Felipão.

O mata-mata tem sido a grande pedra no sapato do treinador desde seu retorno ao Palmeiras. Scolari comandou a arrancada invicta rumo ao título do Brasileiro do ano passado, mas também já sofreu quatro quedas em torneios eliminatórios: duas na Copa do Brasil, uma no Paulista e outra na Libertadores.

Para reverter esse cenário, o Palmeiras terá seis dias para descansar e se preparar para o duelo de volta com o Grêmio, já que o jogo com o Fluminense que aconteceria neste final de semana foi adiado para 10 de setembro.