Topo

Como o Santos fez Sampaoli esquecer dúvidas e se animar para ficar em 2020

Sampaoli brinca durante treino do Santos no CT Rei Pelé - Ivan Storti/Santos FC
Sampaoli brinca durante treino do Santos no CT Rei Pelé Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

24/08/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Últimas ações do Santos fizeram com que Sampaoli se animasse para continuar na equipe em 2020
  • Contratação do novo Diretor de Futebol Paulo Autuori para organizar o departamento de futebol
  • Fim dos problemas públicos com a diretoria santista
  • Contratação de 14 reforços durante o ano
  • Manutenção dos principais nomes da equipe durante esta janela
  • Evolução como time dentro de sua filosofia e criação de uma "cabeça competitiva"

Em dado momento da temporada, o Santos temeu que o técnico Jorge Sampaoli não continuasse em 2020. No entanto, esse medo aparentemente passou. O UOL Esporte apurou que o argentino está empolgado para comandar o Peixe na próxima temporada diante das últimas conversas e da forma como as coisas vem ocorrendo dentro e fora de campo no clube.

Os atritos com a diretoria do Santos começaram já no início do ano, quando os reforços pedidos pelo argentino demoraram a chegar. Depois disso, várias vezes Sampaoli cobrou publicamente a direção e reclamou claramente, em coletivas de imprensa, sobre diversos assuntos, como jogos longe da Vila Belmiro, reforços pedidos e jogadores perdidos.

Depois da última troca de farpas, quando o técnico deixou claro que havia pedido Venuto e Luan Peres em janeiro e não agora em julho, e o presidente José Carlos Peres fez questão de afirmar durante a apresentação que os atletas foram solicitados pelo treinador, o novo diretor de futebol Paulo Autuori chamou uma reunião com o argentino e o mandatário santista. No encontro, os dois apararam as arestas e fizeram uma acordo de não mais externar os problemas do clube via imprensa.

A reunião, e principalmente a contratação de Paulo Autuori para auxiliar na comunicação entre comissão técnica e presidência, agradou bastante ao técnico. Além de padronizar processos e estruturar o departamento de futebol, Autuori também deve auxiliar para que os novos reforços do Peixe sejam contratados em acordo com a comissão técnica.

O tema reforços, aliás, é um ponto que satisfez o argentino. O Santos contratou 14 reforços e apoiou o treinador em todas as decisões até aqui, sendo algumas delas complicadas, como a troca no gol santista: o ídolo Vanderlei foi parar no banco de reservas de Everson, atleta que foi pedido do técnico.

Além disso, Sampaoli pediu para trabalhar apenas com cinco estrangeiros e liberou o peruano Cueva, atleta que não era prioridade mas estava em uma lista de reforços entregue pelo próprio treinador ao presidente José Carlos Peres no dia de sua contratação. Apesar de ter contratado o meia por R$ 26 milhões, o Peixe apoiou o treinador na decisão.

Sampaoli avalia que os jogadores entenderam bem sua filosofia e que nesta temporada estão criando uma "cabeça competitiva". O Peixe já disputou jogos importantes, teve sucessos e fracassos, mas sempre conseguiu se levantar e hoje lidera o Campeonato Brasileiro. Para o argentino, essa experiência é fundamental para enfrentar a temporada 2020, e o treinador avalia que vem tendo sucesso em conseguir levantar o moral da equipe após derrotas.

O principal para o técnico agora é não perder jogadores importantes para a próxima temporada, como Soteldo, Eduardo Sasha e Lucas Veríssimo, que são assediados por clubes da Europa. Sampaoli quer contar com todos eles para o ano seguinte, principalmente pelo fato de já estarem adaptados ao estilo de jogo que é peculiar do treinador, com "amor pelo balón", "perde-pressiona" e intensidade.