Topo

Vasco


Vasco e Flu se reencontram após clássico "bizarro" com confusão e liminares

Thiago Ribeiro/AGIF
Danilo Barcelos tenta se livrar da marcação durante o jogo entre Vasco e Fluminense Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

2019-07-19T21:00:00

19/07/2019 21h00

Briga nos bastidores, liminares, arquibancadas vazias ao apito inicial, confusão do lado de fora do Maracanã e troféu levantado. Essas são as imagens do último encontro entre Vasco e Fluminense, válido pela final da Taça Guanabara deste ano. Cinco meses depois, as equipes voltam a medir forças em campo amanhã (20), desta vez em São Januário e pelo Campeonato Brasileiro, e a reacender uma rivalidade que tem ganho força nos bastidores nos últimos anos.

O último encontro entre as equipes começou bem antes das 17h do dia 17 de fevereiro e reviveu a briga pelo direito de usar o Setor Sul (lado direito da arquibancada) do Maracanã - o Vasco tem como aliado a questão histórica e o Fluminense um contrato com a então gestora do estádio.

Com os dois classificados para disputar o título do primeiro turno do Carioca, a polêmica voltou à tona. Uma reunião foi feita na sede da Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) com representantes dos clubes e nada foi resolvido. Na véspera da partida, o então presidente do Fluminense Pedro Abad convocou uma coletiva e afirmou:

"O Fluminense não concorda em nada com a organização desse jogo. Não concordamos com isso. Mas quero chamar nosso torcedor para a guerra amanhã", disse, na ocasião.

No começo da madrugada, a Justiça, após requerimento do Tricolor, determinou que o jogo aconteceria com os portões fechados. O Vasco, que já tinha comercializado ingressos, "reagiu". No começo da tarde seguinte, afirmou que pagaria a multa prevista no regulamento e a notícia de que a final teria torcida fez muitos vascaínos se aglomerarem à porta do estádio, enquanto, do outro lado, o Flu procurava não incentivar que torcedores fossem ao Maracanã para evitar tumultos.

O jogo começou sem que a ordem de abertura dos portões fosse dada. Iniciou-se, então, uma grande confusão entre cruzmaltinos e policiais militares. Em meio a isso tudo, muitas pessoas dispersaram em busca de proteção e, em uma entrevista, um torcedor afirmou ter visto "criança de colo correndo" - frase que virou meme posteriormente.

ANDRÉ FABIANO/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO
Imagem: ANDRÉ FABIANO/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO

A entrada dos torcedores foi liberada com a bola já rolando. Os vascaínos, em maioria, acabaram celebrando a conquista da Taça Guanabara após vitória por 1 a 0, com gol de Danilo Barcelos.

"A melhor resposta foi o que a equipe deu dentro de campo. Em todos os momentos, todo esse processo, nós pregamos a paz, a tranquilidade. Que as pessoas fossem pacíficas, mas lutassem pelos seus ideais. Entendo que o Abad possa ter perdido o eixo, me parece ser uma pessoa centrada, mas, talvez, sob pressão, tenha se destemperado. Pelo que soube, não teve problema com a torcida do Fluminense. A do Vasco entrou de maneira ordeira, cantando, comemorando. O Vasco deu a melhor resposta que podia dar, vencendo a partida", disse Alexandre Campello, mandatário do Vasco.

Reprodução
Imagem: Reprodução

Abad, dias depois, acabou punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pelas declarações.

Agora, novamente Vasco e Fluminense se encontram. Desta vez, em São Januário, como prometido por Campello - que não concordou com o fato de Flamengo e Fluminense dividirem a gestão do Maracanã.

"Acho indevido dar ao Flamengo e ao Fluminense a gestão do Maracanã. É um aparelho do povo, deveria ser colocado em prol do futebol e atendendo a todos os clubes do Rio. Achamos muito estranho como isso aconteceu e vamos contestar na Justiça. Sendo mantida essa decisão, o Vasco mandará todos os seus jogos em São Januário", disse, em abril.

Para "apimentar" ainda mais a rivalidade em campo, a partida pode marcar a estreia de Nenê, ex-Vasco, pelo Fluminense. Já, nos bastidores, a questão não parece próxima de ser resolvida.

Entenda a briga pelo Setor Sul

O Vasco alega ter direito a utilizar o Setor Sul (lado direito das cabines de rádio) de maneira fixa porque foi o campeão do primeiro Campeonato Carioca na Era Maracanã, que dava direito ao vencedor de escolher o lado que a torcida ocuparia.

Em 2013, porém, o Fluminense assinou com a Maracanã S/A, que administrava o Maracanã, um contrato que dava direito a utilizar o lado direito - o Flamengo assinou e utilizaria o lado esquerdo.

Na final da Taça Guanabara, a alegação é que, segundo o estatuto do Campeonato Carioca, o mandante poderia escolher o lado. O Vasco, que havia eliminado o Resende na quarta-feira, afirma que procurou a empresa que fazia a gestão do estádio e recebeu o sinal verde para a venda de ingressos para o lado direito. Já o Fluminense, que derrotou o Flamengo na quinta-feira, não concordou.

FICHA TÉCNICA
VASCO X FLUMINENSE


Local: São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Data: 20/07/2019, às 11h (de Brasília)
Árbitro: Bruno Arleu de Araujo (RJ)
Assistentes: Michael Correia e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ)
Árbitro de vídeo: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)

VASCO

Fernando Miguel, Yago Pikachu, Henríquez, Castan e Henrique; Richard, Raul e Marquinho; Yan Sasse, Valdivia e Marrony. Técnico: Vanderlei Luxemburgo

FLUMINENSE

Agenor, Gilberto, Digão, Nino e Caio Henrique; Yuri (Bruno Silva), Daniel e Nenê; João Pedro, Yony e Pedro. Técnico: Fernando Diniz