UOL Esporte Futebol

Top 5 - Como foi a passagem de Maradona no comando da Argentina

Maradona encerrou sua era memorável pela seleção da Argentina. Brigas, beijos, comemorações e goleadas marcaram a passagem do El Pibe de Oro que por dois anos foi um dos técnicos mais controversos do mundo. Na Copa, foi um personagem à parte. O UOL Esporte selecionou cinco momentos especiais da carreira de Maradona como técnico da Argentina. Confira:

El Comandante

Marcos Brindicci/Reuters

Cheio de sorrisos, Maradona assumiu a seleção da Argentina oficialmente no dia 11 de novembro de 2008. À exemplo do Brasil, a Argentina resolveu chamar um técnico com pouca experiência. Com passagens rápidas e sem brilho pelo Deportivo Mandiyú e posteriormente pelo Racing, na década de 1990, o ex-craque argentino substituiu Alfio Basile no comando e seu primeiro jogo foi contra a Escócia. Uma magra vitória por 1 a 0 em Glasgow marcou o início da trajetória de um técnico com muitas caras e bocas, declarações polêmicas e mais de 80 jogadores utilizados durante o percurso. O que não se pode negar é que Maradona mostrou muita paixão no comando da equipe.


E aí? Dá para jogar futebol na altitude?

Juan Karita/Ap Photo

Em março de 2008, Maradona subiu a montanha e disputou uma partida de futebol ao lado do presidente boliviano Evo Morales, em La Paz. O jogo era um protesto à proibição imposta pela Fifa para jogos acima de 2750m de altitude. Mas ele não esperava que o destino lhe pregasse uma peça. Uma não, seis. Parece mentira, mas não é. Em 1º de abril de 2009, pouco mais de um ano depois do jogo-protesto, Maradona sofreu sua primeira derrota no comando da Argentina. E foi logo uma goleada por 6 x 1 para a Bolívia, na altitude de La Paz. Depois do jogo, Messi foi um dos que culparam a altitude. Maradona fez que não era com ele e preferiu culpar os jogadores mesmo.


Armaram um caldeirão contra o Brasil e tomaram um chocolate

Ayrton Vignola/Folha Press

Maradona queria intimidar a seleção brasileira. Julgando que o campo do Monumental de Nuñez, em Buenos Aires, não oferecia a pressão desejada por deixar a torcida longe dos jogadores, o treinador solicitou que levassem a partida para Rosário. O estádio escolhido foi o Gigante de Arroyito, que estava completamente lotado. A pressão era enorme e a confiança argentina idem. Mas Luisão abriu o marcador e silenciou a massa. Luis Fabiano ampliou e o Brasil tomou conta da partida. No segundo tempo, Dátolo, com um golaço, diminuiu, mas, três minutos depois, Luis Fabiano marcou mais um e selou a vitória. O Brasil estava classificado e a Argentina ainda penaria por mais duas rodadas.


Drama, luta, classificação e palavrões

Pablo Porciuncula/AFP Photo

A vaga da Argentina para a Copa do Mundo veio de forma dramática. O clássico do Rio da Prata contra o Uruguai foi feio e marcado pela tensão e o medo das duas equipes de disputarem uma humilhante repescagem. Faltando cinco minutos para acabar a jogo, quando o 0 a 0 parecia estar selado, Bolatti fez o gol que garantiu a vaga e abriu a porteira para a "comemoração" de Maradona. O Pibe não esqueceu dos "amigos" da imprensa e soltou cobras, lagartos e outros bichos para todos os jornalistas do mundo. Alguns dias depois, a Fifa puniu Maradona com dois meses de suspensão. O treinador pediu desculpas, mas apenas às mulheres e crianças. Aos jornalistas, "que la sigan chupando".


É, acabou.

Daniel Garcia / AFP Photo

Escalada com três atacantes e contando com o melhor jogador do mundo em plena forma, a Argentina atropelou os adversários que viu pela frente na Copa do Mundo da África do Sul. Nigéria, Coreia do Sul e Grécia não foram páreo para o time de Maradona e apenas lustraram as chuteiras dos jogadores argentinos. Nas oitavas, graças a um gol irregular de Tevez, o time mandou o México de volta para casa. A Argentina era a grande favorita ao título, mas o filme de 2006 se repetiu. Como verdadeiros tanques de guerra, os alemães invadiram a área argentina e não deixaram sobreviventes. Uma goleada por 4 a 0 acabou com o sonho do tricampeonato argentino e mandou Maradona de volta para casa.


Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host