UOL Esporte Futebol
 
10/01/2010 - 11h32

Após entrar na Justiça contra o São Paulo, Diogo é liberado do treino

Carlos Padeiro
Em São Paulo
  • Diogo seguiu o caminho de Oscar e entrou na Justiça contra o SPFC

    Diogo seguiu o caminho de Oscar e entrou na Justiça contra o SPFC

O lateral-esquerdo Diogo foi liberado do treino do São Paulo neste domingo por decisão da diretoria. O atleta de 20 anos move uma ação trabalhista contra o clube, e os cartolas ainda não sabem qual é o teor do processo.

Na noite do último sábado, o diretor de futebol João Paulo de Jesus Lopes conversou com o jogador. “O Diogo não conseguiu falar exatamente do que se trata a ação ao João Paulo. Amanhã [segunda-feira] receberemos a intimação para analisá-la”, informou o vice-presidente de futebol Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco.

Segundo Leco, não há “motivo jurídico e técnico” para o processo. “Está tudo muito regular. Nesse aspecto não temos o que temer, mas as pessoas podem postular em juízo seus direitos constitucionais." Não houve liminar, e a audiência conciliatória no Tribunal Regional do Trabalho está marcada para o dia 28 de junho.

O contrato de Diogo tem validade até dezembro de 2012, e o jovem volta ao trabalho nesta segunda. A reportagem do UOL Esporte conversou por telefone com a mãe do jogador, Marta, e ela disse que seu filho não quer dar entrevistas. 

Em menos de um mês, o São Paulo sofreu duas ações de cunho trabalhista. O outro caso foi do meia Oscar, de 18 anos, que obteve uma liminar para a rescisão de seu contrato. Entretanto, o departamento jurídico cassou o documento, e o jovem é aguardado no dia 13 para seguir no clube.

Questionado se Oscar e Diogo abrem um precedente para outros garotos processarem o time do Morumbi, Leco respondeu: “Já analisamos todos os contratos e está tudo conforme a lei, mas qualquer pessoa pode acionar a Justiça em busca de seus direitos.”

Oscar entrou com uma ação na 40ª Vara do Trabalho de São Paulo, questionando a validade de alterações contratuais promovidas pelo São Paulo após sua emancipação. A revelação da base alegou que em 2007 ficou “escondido” na Espanha até completar 16 anos, idade mínima para se firmar um contrato profissional, e por iniciativa do clube foi emancipado por sua mãe. Com isso, a diretoria prorrogou seu contrato até dezembro de 2012.

Segundo levantamento da Folhapress, são 22 atletas com contratos parecidos com o de Oscar, entre juvenis, juniores e até da equipe profissional.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host