UOL Esporte Futebol
 
11/01/2010 - 07h00

Atibaia se mobiliza para socorrer vítimas de enchente e 'esquece' o Palmeiras

Bruno Thadeu
Em Atibaia (SP)

Muricy Ramalho escolheu Atibaia como local ideal para preparação do Palmeiras nesta temporada. Avesso a treinos festivos e badalações, o treinador buscou uma região onde pudesse ficar esquecido. Pacata, Atibaia de fato prima pela calmaria, mas passou a dividir a costumeira paz com uma enxurrada de água e de problemas em razão das chuvas neste início de ano.

AS ENCHENTES EM ATIBAIA

  • UOL Esporte

    No bairro Caetetuba, quadra de escola recebe cômodos improvisados pela Prefeitura de Atibaia

  • Bruno Thadeu/UOL Esporte

    Bairro de classe média, Parque das Nações sofre consequências das cheias há uma semana

A cena é no mínimo curiosa. Quem chega desavisado a Atibaia sequer imagina que a cidade sofreu com o excesso de água. Os jogadores do Palmeiras treinam normalmente. Reclamação apenas da alta temperatura no resort em que o elenco está concentrado. No centro da cidade, a vida segue de maneira harmoniosa. No entanto, os bairros Caetetuba e Parque das Nações não tiveram a mesma sorte.

O castigo não é apenas uma agrura de São Pedro, justifica a Defesa Civil de Atibaia, que responsabiliza a Sabesp pela abertura das comportas das represas de Nazaré Paulista e Piracaia. A Sabesp nega que a enchente tenha ligação com o procedimento adotado pela empresa.

O Rio Atibaia não deu conta, espalhando águas para regiões de várzeas, como o Parque das Nações, situação semelhante à vivida no Jardim Pantanal, em São Paulo, às margens do Rio Tietê.

A reportagem visitou no sábado à tarde duas áreas de Atibaia castigadas pela enchente: Caetetuba, que concentra moradores de baixa renda, e Parque das Nações, de classe média. Mesmo sob forte sol nos últimos dias, a Rua Amsterdã, por exemplo, no bairro Parque das Nações, permanece submersa há mais de uma semana, remetendo a uma versão deteriorada de Veneza, na Itália.

A poucos quilômetros da “Veneza de Atibaia”, o Palmeiras realiza a pré-temporada no hotel Bourbon, próximo à estrada Fernão Dias. O local não sofreu qualquer abalo, seja da chuva ou da abertura de comportas. É difícil imaginar que Atibaia esteja mobilizada para reparar os danos neste início de ano em meio à tanta tranqüilidade no hotel, diz Cleiton Xavier.

PALMEIRAS AINDA SONHA COM KLEBER

  • O gerente de futebol do Palmeiras, Toninho Cecílio, informou que o clube segue interessado em Kleber, apesar da recusa inicial do Cruzeiro em negociar parte dos direitos econômicos do jogador. O Palmeiras diz estar próximo de acertar com dois jogadores. Um é o meio-campista Edinho, da Lecce. Outro é um atacante, cujo nome vem sendo mantido em sigilo pela diretoria alviverde.

“Eu fiquei sabendo que teve problema de enchente logo depois que chegamos a Atibaia. Mas não sei como é que está agora. Ficamos sabendo por alto. É estranho, porque eu não vi nada diferente”, comentou Xavier.

Jornais e rádios de Atibaia promovem campanhas de doações. O Estado pretende liberar R$ 700 mil para ações de atendimento às 600 famílias prejudicadas pela enchente.

A Defesa Civil de Atibaia calcula que pelo menos 80 famílias tiveram de ser desalojadas de locais considerados de risco, 15 ficaram desabrigadas, e outras centenas contabilizam prejuízos devido às chuvas que ocorreram desde o dia 1 de janeiro.

Nesta segunda-feira, a prefeitura de Atibaia disponibilizará aos desabrigados a quadra de esporte da escola Walter Engrácia, em Caetetuba. Um aparato metálico foi erguido às pressas na quadra pela prefeitura, com 36 cômodos, para receber vítimas da enchente, que atualmente estão em albergues.

Roupas, água potável e material de limpeza podem ser doados para a Casa de Solidariedade de Atibaia, telefones (11) 4414 2077 ou 4414 2078.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host