UOL Esporte Futebol
 
29/01/2010 - 09h06

De chateado, W. Paulista se motiva no Cruzeiro com gol na Bolívia

Do UOL Esporte
Em Belo Horizonte
  • Wellington Paulista comemora o gol marcado contra o Real Potosí

    Wellington Paulista comemora o gol marcado contra o Real Potosí

Chateado por iniciar a temporada na reserva do Cruzeiro, Wellington Paulista ganhou nova motivação depois de ser escalado como titular diante do Real Potosí, na quarta-feira passada, e marcar o gol do empate por 1 a 1 na altitude boliviana, em jogo da fase preliminar da Copa Libertadores.

“Todo mundo já sabia. A gente sabe como o professor Adilson trabalha, como a comissão também trabalha. Agora é continuar trabalhando forte na semana para que possa estar sempre jogando e ajudando os companheiros”, afirmou Wellington Paulista.

Durante a pré-temporada, Wellington Paulista mostrou-se chateado com a decisão do técnico Adilson Batista em não inclui-lo entre os titulares para um jogo-treino. O atacante alegou que havia terminado a temporada passada como titular e ainda foi o artilheiro do time no ano.

Reserva na estreia no Campeonato Mineiro, em partida em que o ataque foi formado por Kléber e Thiago Ribeiro e o Cruzeiro goleou o Uberlândia por 6 a 0, Wellington Paulista disse que foi comunicado de que seria titular contra o Real Potosí.

“Eu, graças a Deus, consegui fazer um bom trabalho. Eu sabia desde o começo da semana. O Adilson havia falado que iríamos jogar eu e o Kléber, pela característica de segurar a bola à frente, por prender a bola, e conseguimos fazer isso no primeiro tempo”, observou o atacante.

Artilheiro do Cruzeiro em 2009, com 26 gols marcados, o camisa 9 espera voltar a marcar mais gols ao longo desta temporada. “Estou trabalhando muito para isso. Então espero que eu possa continuar fazendo gol e ajudando o Cruzeiro da melhor maneira possível”, observou.

Autor do gol cruzeirense no empate com o Real Potosí, Wellington Paulista lamentou apenas que a expulsão do meia Gilberto aos 20min do primeiro tempo tenha deixado o Cruzeiro distante de uma vitória na Bolívia.

“Foi bacana até pelo jogo, pelas circunstâncias, do jogo. Se o Gilberto não tivesse sido expulso, a gente, com certeza, sairia com um resultado amplo. Mas conseguimos marcar bem, fechamos lá atrás para não sofrer mais gols. Tomamos um gol no finalzinho, mas está bom para ir para Minas”, salientou.
 

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host