UOL Esporte Futebol
 
12/02/2010 - 07h02

Lateral Carlinhos pleiteia R$ 8,5 milhões de indenização do Santos na Justiça

João Henrique Marques
Em Santos (SP)

O lateral-esquerdo Carlinhos ingressou na Justiça do Trabalho contra o Santos atrás de indenização de R$ 8,5 milhões. Com base em uma liminar concedida pelo mesmo órgão, em outubro do ano passado, o jogador, atualmente no Santo André, se desvinculou do clube, após ficar três meses com o salário atrasado. A sentença do caso deve sair em breve.

Além desse atraso, o valor calculado inclui a falta de depósito do fundo de garantia durante o mesmo período, multa por danos morais e pagamento de 50% do ordenado que o jogador receberia do clube caso cumprisse o contrato até o fim. Ele estava previsto para encerrar no fim de junho de 2011.

O desgaste de Carlinhos com a antiga diretoria do Santos iniciou em 2008, quando foi emprestado ao Cruzeiro no fim da temporada. No início do ano seguinte, parte de seus direitos econômicos foram negociados por R$ 600 mil com a Energy Sports, empresa formada por um grupo de empresários. Desta forma, o atleta foi registrado no Brasa Futebol Clube, agremiação da cidade de Araras, que jamais disputou uma competição oficial, e é utilizada como “laranja” pela empresa.

Carlinhos disputou o Campeonato Paulista da temporada passada pelo Mirassol, clube que serviu de vitrine para a Energy Sports expor diversos jogadores adquiridos. Após quatro meses de empréstimo, o atleta retornou ao Santos, mas ficou treinado separadamente do elenco profissional por seis meses.

“O Santos e o Brasa tentaram obter vantagens ilícitas em prejuízo alheio, induzindo o atleta ao erro. Não há legalidade contratual nisso. O Brasa é um clube sem registros legais na Federação Paulista, e descobri que sua sede social fica dentro do Mirassol” denunciou a advogada do jogador, Gislaine Nunes, em entrevista ao UOL Esporte.

Gislaine já defendeu outros jogadores em ações contra o Santos. São eles, os goleiros Carlos Germano e Zetti, os zagueiros Márcio Santos e Galván, o volante Ríncon e o atacante João Fumaça. Destes, apenas Márcio Santos saiu derrotado na Justiça.

“No caso do Carlinhos, ainda vamos ingressar no Ministério Publico por entendermos que houve um crime de estelionato cometido pelo Santos em conjunto com o Brasa” revelou a advogada.

Representantes do Departamento Jurídico do Santos preferem não se pronunciar oficialmente sobre o caso até que a sentença seja declarada pela Justiça do Trabalho. Eles ainda buscam informações precisa sobre os termos contratuais do jogador, já que fazem parte da nova diretoria santista, eleita no mês de dezembro. Seja qual for o resultado, ainda caberá recurso.

Natural de São Vicente, Carlinhos foi formado nas categorias de base do Santos, e em 2007 chegou a ser convocado por Dunga para a seleção brasileira. Na mesma época, o então presidente, Marcelo Teixeira, recusou uma proposta de US$ 4,5 milhões do futebol russo pelo jogador, por entender que o mesmo daria lucro maior ao clube futuramente.

Ainda em 2007, Carlinhos chegou a ser punido por Vanderlei Luxemburgo pelo excesso de “estrelismo”. O treinador o afastou de duas partidas da equipe, e ordenou que deixasse de utilizar adereços extravagantes, tais como chuteiras coloridas, luzes no cabelo e brincos. O atleta acatou as ordens. Apesar disso, jamais voltou a apresentar um futebol que agradasse os torcedores santistas.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host