UOL Esporte Futebol
 
01/03/2010 - 14h54

Com nona vitória seguida, Santos iguala marca atingida por Zé Roberto & Cia

João Henrique Marques
Em Santos (SP)

A vitória contra o Corinthians, por 2 a 1, no último domingo, na Vila Belmiro, foi a oitava seguida do Santos na temporada. Uma série de triunfos como essa não era alcançada pelo clube desde 2007, quando o então capitão e camisa 10, Zé Roberto, comandou brilhantes performances do time no primeiro semestre.

A equipe dirigida por Vanderlei Luxemburgo disputava o Campeonato Paulista paralelamente com a Libertadores. Na sequência de triunfos, seis duelos (contra Ituano, Rio Claro, Corinthians, Ponte Preta, Noroeste e Juventus) foram válidos pelo estadual, e três (diante de Gymnasia y Esgrima-ARG, duas vezes, e Defensor Sporting-URU) pelo torneio continental. A série foi interrompida pelo Bragantino na décima partida, após o empate por 0 a 0, na primeiro confronto da semifinal do Paulista.

Na atual sequencia, o Santos conquistou oito triunfos seguidos no Paulista (contra Barueri, Oeste, Santo André, São Paulo, Rio Claro, Bragantino, Mirassol e Corinthians) e um pela Copa do Brasil (diante do Naviraiense). O próximo confronto será frente ao Paulista, em Jundiaí, quinta-feira, às 21h, em partida válida pela 12ª rodada do estadual.

O rendimento santista está além do esperado por Dorival Júnior. O treinador, porém, não deixa se levar pela euforia. O grande temor de Dorival é ver a equipe cair de produção justamente nas fases decisivas do Paulista. Líder do campeonato com 28 pontos, nove à frente do quinto colocado, Corinthians, o Santos tem grande chance de conquistar uma vaga para a semifinal de maneira antecipada.

“A queda de produção vai acontecer naturalmente, e não podemos nos desesperar. Só espero que isso aconteça em um momento oportuno. Nas ocasiões onde ainda é possível você sofrer uma derrota” comentou o comandante santista.

Antes de iniciar a série de nove triunfos seguidos, o Santos vinha de uma derrota, a única até o momento na temporada, frente ao Mogi Mirim. De lá para cá, a equipe passou por diversas modificações. A principal delas foi a chegada de Robinho, e sua entrada na equipe titular.

Com o camisa 7 presente, o Santos venceu todas as cinco partidas que disputou. Apesar disso, a equipe demonstrou não ser dependente de Robinho ao vencer o clássico contra o Corinthians, mesmo sem a participação do Rei das pedaladas.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host