UOL Esporte Futebol
 
06/04/2010 - 10h41

Oscar detona clube e afirma: "Não volto com essa diretoria"

Do UOL Esporte
Em São Paulo

O meio-campista Oscar, que deixou os trabalhos com o São Paulo no final de 2009 após alegar problemas contratuais, não poupou críticas aos atuais diretores do clube. O jovem afirma que está “lutando pelos seus direitos”, não se arrepende do que fez e se recusa a voltar ao time sob o comando dos atuais diretores.

“Não faria nada diferente. Estou feliz hoje, treinando na minha cidade”, disse em entrevista do jornal O Estado de S. Paulo. “Se meu contrato estiver certo, eu estiver feliz, nada contra [voltar a jogar no clube]. Mas não hoje com essa diretoria. O clube não tem nada com isso, quem causou tudo foi a diretoria”, completou.

Oscar reclama de supostos descumprimentos em seu contrato, feito quando ele tinha 16 anos, mas já era emancipado. “Quando subi para o time titular [em 2008] me prometeram renovar o contrato. Não renovaram. Comecei a jogar em 2009 e não veio a renovação. Não conversaram, não chamaram ninguém para conversar. Então pedi para o meu empresário conversar com o Juvenal, mas não houve conversa”, afirmou.

O meia voltou à equipe no dia 25 de janeiro após perder a ação que movia contra o time do Morumbi, e o técnico Ricardo Gomes disse que o garoto seria inscrito para a disputa da Copa Libertadores. Entretanto, não é essa a versão do meio-campista.

“Ricardo Gomes disse que não daria mais atenção para mim, que eu estava ali só para cumprir contrato. Me aborreceu, mas eu não ligava para eles. Ia lá só pra treinar. Mesmo com a ação, eu treinava bem e não sei se eles não gostavam disso. Houve um coletivo em que eu arrebentei e eles ficaram incomodados. Então, me chamaram e disseram que queriam me inscrever na Libertadores. Então eu disse que tinha a ação e que a torcida pegaria no meu pé. Eles falaram que não havia problema, pois no começo eu jogaria fora de casa”, acusou.

O jogador acusou o superintendente de futebol do clube, Marco Aurélio Cunha, de intimidação. Logo após o sumiço de Oscar, Cunha deixou uma mensagem na caixa postal do telefone do atleta: "Oscar, você sabe o quanto gosto de você. Acho que esse caminho é horrível. Foi um erro estratégico imenso, e espero que você não tenha permitido. Com certeza, sua vida vai ficar difícil porque seus argumentos são ruins e a força jurídica do São Paulo é muito grande. Me liga, meu filho, para eu te orientar, eu não quero passar o que você vai passar", dizia.

“Achei meio chato o recado. Tentou me intimidar para eu voltar atrás. Eu dei risada quando ele falou isso. Quis que eu ficasse com medo”, comentou o jogador.

Outra atitude que incomodou o jogador foram as declarações dadas por alguns dos mais experientes são-paulinos na época dos acontecimentos. O jovem reclama da postura de Rogério Ceni, Richarlyson e André Dias (hoje na Lazio), que em entrevistas coletivas comentaram sobre o caso.

“Eu ouvi isso, mas no outro dia, quando chegava para treinar, ninguém falava pra mim. Não eram homens para falar pra mim. Deveriam ter chegado e falado comigo, não para a imprensa. Nem sei se foram eles que quiseram falar. Lá, tudo o que você fala tem orientação”, declarou.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host