UOL Esporte Futebol
 
12/04/2010 - 14h16

Fábio Koff derrota chapa apoiada por CBF e alcança seu 6º mandato no C-13

Rodrigo Farah
Em São Paulo

O atual presidente do Clube dos 13, Fábio Koff, assegurou a permanência no cargo após eleição realizada nesta segunda-feira na sede da entidade, em São Paulo. Os 20 principais clubes do país deram seu voto aberto e confirmaram o resultado que já era esperado. Koff derrotou Kléber Leite, candidato da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), por 12 votos a 8, e alcançou o seu sexto mandato. Ele já está há 14 anos no cargo.

“Foi um dia épico, de fortalecimento do Clube dos 13. É claro que a definição de duas candidaturas foi de extrema importância e sempre defendi isso. Mas estava em jogo a sobrevivência do Clube dos 13. E me empenhei com o mesmo entusiasmo da primeira vez", ressaltou o presidente reeleito.

Fábio Koff levou a melhor em um pleito disputadíssimo, sem conquistar a unanimidade de votos pela primeira vez desde que assumiu o cargo. Flamengo, São Paulo, Palmeiras, Fluminense, Atlético-MG, Atlético-PR, Sport, Grêmio, Internacional, Guarani, Bahia e Portuguesa apoiaram o atual presidente.

Já Kléber Leite contou com os oito votos restantes de: Corinthians, Santos, Cruzeiro, Botafogo, Goiás, Vitória, Vasco e Coritiba. O ex-comandante flamenguista precisava do apoio de 11 clubes, no mínimo, para vencer. Se houvesse empate, o presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, teria o voto de minerva por ser o representante mais velho.

“Não há do que reclamar, não há rancor ou mágoa da parte de ninguém. Mas esta eleição foi boa para dar uma sacudida e fazer as pessoas se mexerem. Infelizmente, não tivemos tempo para conseguir os votos que queríamos”, disse o derrotado Kléber Leite.

SAIBA EM QUEM CADA CLUBE VOTOU

FÁBIO KOFF KLÉBER LEITE
Flamengo Corinthians
São Paulo Santos
Palmeiras Cruzeiro
Fluminense Botafogo
Atlético-MG Goiás
Atlético-PR Vitória
Sport Vasco
Grêmio Coritiba
Internacional -
Guarani -
Bahia -
Portuguesa -

Confirmado para iniciar seu sexto mandato à frente do Clube dos 13, Fábio Koff precisou superar o apoio maciço do presidente da CBF, Ricardo Teixeira, ao oposicionista. A campanha de ambos os candidatos ficou marcada por uma série de acusações e forte disputa por votos nos bastidores.

Ao longo da campanha, a CBF manteve forte pressão sobre alguns clubes para angariar votos a favor de Kléber Leite. A entidade foi acusada, inclusive, de exigir do Botafogo o apoio a seu candidato para liberar um empréstimo de R$ 8 milhões. A exemplo do clube carioca, Goiás e Coritiba também mudaram de lado após manifestarem intenção de voto em Koff.

“Os clubes entenderam que é preciso ficar independente da CBF. As federações já estão tomadas e esta foi a única forma de nos separarmos do comando da entidade. Foi uma vitória do futebol brasileiro”, afirmou o presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, um dos principais aliados de Fábio Koff.

Com o triunfo na eleição, Fábio Koff assume o controle do poder de negociação no contrato dos direitos de televisão do Brasileiro a partir de 2012. Atualmente, o valor está em R$ 1,6 bilhão, e tem promessa de ser cerca de 60% maior a partir de 2012, quando termina o atual.

A escolha de Fábio Koff também representa mais um capítulo da queda de braço entre as emissoras Globo e Record. A Globo estava ao lado de Kléber Leite, como a CBF, enquanto a Record mantém agora as esperanças de assumir as transmissões do Campeonato Brasileiro.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host