UOL Esporte Futebol
 
19/04/2010 - 07h03

Sem temer demissão, Adilson quer reformular elenco do Cruzeiro

Do UOL Esporte
Em Belo Horizonte

Com o Cruzeiro eliminado do Campeonato Mineiro, após ser derrotado pelo Ipatinga por 3 a 1 no Mineirão, o técnico Adilson Batista preferiu ser cauteloso ao comentar sobre sua permanência no cargo. Sem temer uma possível demissão, o treinador disse que tem por objetivo reformular o elenco celeste.

“Não vou entrar mo mérito se fico ou não. Isso é o Maluf (diretor de futebol, Eduardo Maluf) que tem de responder, o Zezé (presidente Zezé Perrella). Eu tenho consciência daquilo que estou fazendo e o que vivenciamos em relação ao jogo, foram erros nossos”, afirmou.

Entretanto, Adilson disse que não se preocupa. “A responsabilidade era sempre em cima do treinador, mas eu estou tranquilo, consciente. É claro que gostaria de estar em mais uma final, mas não foi possível. Temos de seguir em frente”, disse.

Ao ser questionado a respeito do que projeta para a sequência da temporada, Adilson comentou sobre a possibilidade de ser surpreendido com uma demissão.

“A minha ideia agora é recuperar uma turma e ficar com aqueles que confio e liberar uma turma. Essa é minha ideia. Ou eles vão me liberar também, não sei. De repente, é assim que funciona o futebol. Eu confio em muita gente, mas o futebol tem de mostrar dentro de campo. Às vezes, o fulano gosta de beltrano, outro gosta de sicrano, aí tem que ver. Tem de jogar na arena para ver”, observou.

Adilson preferiu não dividir a responsabilidade da eliminação no Estadual com os atletas. “A responsabilidade é minha. É normal isso. Quando perde, é sempre o treinador. Enquanto eles estão dormindo, a gente está pensando, tentando fazer sempre o melhor, preocupado com uma série de coisas que acontece dentro do futebol. Não é só dentro de campo que temos as devidas preocupações. Eu vou me preocupar agora com o próximo adversário da Libertadores”, observou.

O CRUZEIRO NO TWITTER

O Cruzeiro segue na disputa da Copa Libertadores. A equipe aguarda a definição de seu adversário nas oitavas de final. Depois de ser vaiado por parte da torcida na derrota para o Ipatinga, Adilson acredita que os torcedores terão comportamento diferente na competição internacional.

“Na Libertadores, eles gostam, jogam juntos, apoiam, incentivam. Vamos entrar com um time forte, vamos ter tempo para trabalhar. Vamos esperar o adversário. É outro jogo e tenho certeza que eles vão jogar juntos. Vaiaram, isso é normal, já estou acostumado, outro lado aplaudiu. Vou continuar fazendo o meu trabalho aqui”, ressaltou.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host