UOL Esporte Futebol
 
28/04/2010 - 18h16

Presidente da FBF afirma que situação de Junior é legal; Vitória está tranquilo

Rodrigo Faria
Em São Paulo
  • Atacante Junior é acusado de ter atuado de forma irregular na Copa BR e no Campeonato Baiano

    Atacante Junior é acusado de ter atuado de forma irregular na Copa BR e no Campeonato Baiano

Apesar da denúncia de que o atacante Junior, do Vitória, esteja registrado de forma irregular na CBF – e, portanto, atuando ilegalmente em qualquer competição realizada em território brasileiro –, o caso parece não ter tido repercussão negativa na Federação Bahiana de Futebol (FBF). De acordo com a entidade estadual, não há nenhuma inconsistência na documentação apresentada pelo clube rubro-negro.

“Com relação à situação do atleta, tudo aquilo que foi registrado em nossa Federação foi feito com documentos originais, sem nenhum tipo de rasura. Nós atestamos a autenticidade do que aqui foi documentado”, afirmou o presidente da FBF, Ednaldo Rodrigues, ao UOL Esporte. “Umas vez que temos documentos autênticos, a FBF considera a situação do atleta legal”, completou.

No entanto, o mandatário isentou a entidade baiana de qualquer responsabilidade caso seja descoberta alguma incoerência na situação de Junior. “Se existe algum detalhe que tenha ficado pendente na vinda do jogador, e que possa dar algum tipo de problema, a Federação Bahiana não tem como responder. A transferência do atleta é feita entre confederação de origem e confederação de destino, sempre junto à FIFA”, disse. “E quem dá as condições de jogo para o atleta é a CBF, após o mesmo ter sido liberado pela FIFA junto à confederação que o jogador estava vinculado”, lembrou.

Na última terça-feira, o Goiás havia encaminhado ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) a denúncia de que Junior estaria atuando na Copa do Brasil de maneira irregular. De acordo com o clube esmeraldino, o jogador se transferiu do Treze da Paraíba para o FC Copenhagen (DIN) e, no mesmo dia, foi para o Vitória. Eliminado pelo time baiano da competição nacional, no último domingo, o Goiás pede que o jogo seja anulado e que o STJD puna o Vitória com a desclassificação.

Caso seja comprovada a irregularidade do atacante, o clube rubro-negro poderá sofrer punições também no Campeonato Baiano, no qual é finalista junto com o Bahia. O clube tricolor, aliás, também recorrerá ao STJD para que o caso seja apurado.

Vitória se defende

Embora a denúncia tenha pegado o time rubro-negro de surpresa, o Vitória mostra tranquilidade com o caso. De acordo com a Assessoria de Futebol do clube, não há dúvidas de que a situação de Junior seja legal. “Temos consciência de que o jogador está regularizado. Temos documentos da CBF, do STJD e da FIFA que garantem isso. Não temos preocupação nenhuma com relação a esta situação”, informou o assessor do Vitória, Roque Mendes, ao UOL Esporte.

No mesmo dia em que o Goiás encaminhou a denúncia ao STJD, o Vitória anunciou em seu site oficial uma nota negando qualquer incoerência no registro do atleta. O clube, inclusive, publicou no portal uma cópia do ITC (Certificado de Transferência Internacional), documento expedido no dia 2 de fevereiro de 2010 pela FIFA, e também do BID (Boletim Informativo Diário Eletrônico da CBF) em que consta o nome do atleta, datado do dia 4 de fevereiro. “Nossa versão sobre o caso está em nosso site. Vamos deixar que a CBF e a FIFA se pronunciem. Quem deu as condições de jogo para o atleta que se pronuncie. Por determinação do presidente Alexi Portela, o Vitória não falará mais nada sobre o assunto”, finalizou Roque Mendes.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host