UOL Esporte Futebol
 
26/05/2010 - 09h49

Reunião do Corinthians sobre arena na Marginal termina em bate-boca

Do UOL Esporte
Em São Paulo

O Conselho Deliberativo do Corinthians se reuniu na noite de terça-feira. O objetivo era discutir a proposta de construção de uma arena moderna para 56 mil pessoas na Marginal Tietê, próxima à Guarulhos. Não deu certo. No fim do encontro, bate-boca entre os presentes, segundo o diário Lance!.

“É por isso que o Corinthians fará cem anos e não tem um estádio”, afirmou Edgar Soares, ex-vice presidente de marketing do clube. A frase resumiu o espírito em que a reunião terminou, com a divisão dos conselheiros entre os que apoiavam a assinatura do acordo e os que eram contrários ao projeto.

“Externo minha satisfação pelo evento. É o maior desafio que temos de enfrentar (a construção do estádio). Não houve um dia, desde o ano passado, em que isso não fosse discutido. Porém, acima de tudo, tem que ser uma escolha rentável”, disse Luís Paulo Rosenberg, atual vice-presidente de marketing do clube e um dos principais opositores.

Até mesmo o presidente do Conselho Deliberativo entrou na discussão: “Com todo o respeito aos investidores, mas aqui não há idiotas. É o primeiro projeto concreto que vejo e temos de conhecer”, afirmou Carlos Senger.

O encontro foi promovido pela ala corintiana a favor do projeto. O estádio seria construído em um terreno entre a Avenida Aricanduva e a Marginal Tietê, a menos de dois quilômetros do Parque São Jorge. O custo do projeto supera os R$ 450 milhões e seria inteiramente bancado por investidores externos.

O principal deles, o banco português Banif, o mesmo que estaria disposto a ajudar o Palmeiras na contratação de Luiz Felipe Scolari, mandou um representante de peso à reunião: seu presidente, Antônio Júlio Rodrigues. O banco português apresentou a arena ao Corinthians em conjunto com o Bradesco.
 

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host