UOL Esporte Futebol
 
Reprodução

No Banco Imobiliário corintiano, a cor verde do rival Palmeiras não é benvinda

04/08/2010 - 18h16

Felipe, em crise no clube, tem valor de "Morumbi" no Banco Imobiliário do Corinthians

Vinicius Mesquita
Em São Paulo

Cartas do Banco corintiano

  • Reprodução

    Felipe é o jogador mais valioso

  • Escudero está desvalorizado

O clássico Banco Imobiliário, um jogo de tabuleiro com mais de 60 anos de existência, já ganhou diversas versões pelo mundo. Seus críticos insistem em afirmar que o brinquedo é uma ode ao capitalismo, responsável por despertar em crianças o gosto pelas transações financeiras. Exageros a parte, a Estrela lançou uma nova versão, envolvendo os negócios do futebol, mas precisamente do Corinthians. Para se adaptar ao universo corintiano, o Banco Imobiliário sofreu modificações curiosas e apresentou aos seus torcedores características que, para alguns, podem fugir da realidade atual do clube.

Ironicamente, a carta mais valiosa do jogo é o goleiro Felipe, que vive em clima de guerra com a diretoria do Corinthians e deseja deixar o time. Ele pode ser adquirido por 400 mil “dinheiros”. Para quem lembra de uma das clássicas versões do brinquedo, Felipe pode ser considerado o bairro do Morumbi do Banco Imobiliário corintiano.

Em seu grupo, com as figuras alaranjadas, ainda está o atacante Dentinho, o segundo mais valioso do jogo, que custa 350 mil. Inevitavelmente, quem deseja vencer uma partida - de Banco Imobiliário -, tem mais chances de atingir o objetivo quando adquire as cartas de Felipe e Dentinho.

Outros jogadores bem cotados são o meia Elias (320 mil), o zagueiro Chicão (300 mil) e o atacante Jorge Henrique (300 mil). Todos eles fazem parte do lote azul brilhante.

O grupo mais barato, com as cartas azul marinho, comporta o lateral argentino Escudero, que vale 75 mil, e o zagueiro Paulo André, avaliado em 100 mil. Escudero, o atleta mais desvalorizado do tabuleiro, não pertence mais ao Corinthians (foi transferido ao Argentinos Juniors). O atacante Souza também não vale muito – 100 mil -. Seu grupo, que carrega a cor roxa, tem ainda o veterano volante Edu, que custa 120 mil.

Por falta de acordo financeiro, Ronaldo e Roberto Carlos, ídolos do clube, não participam do jogo.

No tabuleiro, uma das melhores casas é a “Troféu Internacional”. equivalente ao "Lucros e Dividendos" da versão original. Cada vez que um participante do jogo cai sobre ela, recebe 200 mil.

A tradicional prisão foi substituída por suspensão. Caso o participante role os dados e pare na casa que leva o desenho de um juiz mostrando um cartão vermelho, seu peão imediatamente será levado para a suspensão e poderá ficar até três rodadas sem se mover.

Também não existem peões, fichas de jogadores e notas de dinheiro na cor verde. Para evitar a cor símbolo do clube rival Palmeiras, a Estrela criou três tonalidades de azul para os grupos de jogadores. As opções de cores para os seis peões são preto, branco, azul, vermelho, amarelo e laranja. As notas vêm em azul escuro, roxo, amarelo, bege, laranja e duas tonalidades de vermelho.

 

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host