UOL Esporte Futebol
 
05/08/2010 - 20h09

Com Ramires valorizado, Cruzeiro não vê precipitação na venda do volante

Gustavo Andrade
Em Belo Horizonte
  • Ex-cruzeirense Ramires foi negociado pelo Benfica com o Chelsea por 22 milhões de euros

    Ex-cruzeirense Ramires foi negociado pelo Benfica com o Chelsea por 22 milhões de euros

Pouco mais de um ano e dois meses após negociar o volante Ramires com o Benfica, o Cruzeiro viu o atleta ser valorizado quase três vezes. O jogador que disputou a última Copa do Mundo deixou o clube mineiro pouco antes de ser convocado para a disputa da Copa das Confederações, por 7,5 milhões de euros. Nesta semana, o Chelsea adquiriu os direitos do de Ramires por 22 milhões de euros (R$ 50,8 milhões).

O presidente do clube mineiro, Zezé Perrella, admitiu que, se o clube esperasse um pouco mais para negociar Ramires, poderia ter recebido valor maior pela transação. Entretanto, o dirigente rechaçou que tenha havido precipitação na venda do volante. “Olhando por essa ótica, o Kaká foi vendido por 7 milhões de dólares e depois revendido por 100 milhões. A realidade da Europa é muito diferente da do Brasil”, afirmou.

Com trajetória no Cruzeiro de venda de atletas por altos valores, Zezé Perrella listou uma série de atletas negociados pelo clube mineiro que não deram grande retorno financeiro aos clubes europeus que os adquiriram.

“De todos os jogadores que o Cruzeiro vendeu até hoje, se não me falha a memória, o único que foi revendido com sucesso foi o Ronaldo Fenômeno e agora o Ramires. O Geovanni foi por 18 milhões e voltou de graça, o Fábio Júnior foi por 15 (milhões) e voltou de graça. O Fred cumpriu seu contrato lá e voltou sem ninguém gastar nada para a volta dele. Futebol é isso mesmo, é natural. Os clubes europeus, quando contratam jogadores, têm o receio de eles não se adaptarem”, observou.

Para Perrella, a venda de Ramires, em maio do ano passado, foi uma negociação satisfatória, já que poucos atletas deixavam o futebol brasileiro naquele momento. “É claro que se tivéssemos esperado até depois da convocação, poderíamos ter conseguido um valor superior, mas pela média dos negócios no Brasil, foi um valor que no momento nos atendeu”, salientou.

O Cruzeiro aguarda agora o recebimento de parte do valor pago pelo Chelsea ao Benfica para ter Ramires. O clube mineiro é considerado formador do atleta e por uma norma da Fifa tem direito a uma porcentagem de toda negociação internacional que envolva o jogador. Conhecida como “mecanismo de solidariedade”, a legislação da entidade máxima do futebol determina que qualquer clube que tenha participado da formação do atleta entre os 13 e os 23 anos tem direito a uma parcela de futuras transferências.

No caso da negociação de Ramires com o Chelsea, o Benfica terá de repassar 5% do que receber à Fifa, que transferirá esse valor aos clubes formadores. A diretoria do Cruzeiro aguarda que a entidade repasse essa porcentagem à Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que analisará por quais times Ramires foi registrado entre os 13 e os 23 anos e qual participação nos 5% citados eles terão. Antes de defender o clube mineiro, Ramires atuava pelo Joinville.

Tendo em vista o “mecanismo de solidariedade”, Zezé Perrella destacou que gostaria de ver Ramires ser negociado mais vezes. “Quero que o Ramires tenha muito sucesso e tomara que ele seja revendido depois por 100 milhões, porque, cada vez que ele é revendido, o Cruzeiro recebe um percentual”, ressaltou.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host