UOL Esporte Futebol
 
Thales Calipo/UOL Esporte

Vista do estádio New Meadowlands, palco do amistoso entre Brasil e Estados Unidos

07/08/2010 - 18h47

Brasileiros nos EUA aprovam dupla Neymar-Ganso; americanos estranham ausências

Thales Calipo
Em Nova Jersey (Estados Unidos)

Apesar de não ser fácil encontrar pessoas em Nova York ou Nova Jersey que saibam que acontecerá um amistoso entre Brasil e Estados Unidos, nesta terça-feira, aqueles que estão informados sobre a partida se mostraram otimistas. Porém, enquanto a torcida brasileira comemorou a presença da dupla santista Neymar e Paulo Henrique Ganso, os norte-americanos se mostraram surpresos com a ausência dos atletas mais conhecidos mundialmente.

EXPECTATIVA PARA O AMISTOSO NOS EUA

  • Thales Calipo/UOL Esporte

    Togolês Joseph Arden lamentou a ausência de Ronaldinho, mas ainda aposta na vitória do Brasil

  • Thales Calipo/UOL Esporte

    Mineira Zuleika Brito, que assistirá ao jogo, aprovou a convocação de Neymar e Ganso para a seleção

A mineira Zuleika Brito, de 27 anos, cinco deles morando nos Estados Unidos, é uma das otimistas com a seleção. A assistente de gerente de um restaurante na rua 46 (batizada de Little Brazil), em Manhattan, ganhou dois ingressos para ver a partida no estádio New Meadowlands e aprovou as escolhas feitas pelo técnico Mano Menezes.

“Essa era a seleção que deveria ter ido para a Copa do Mundo. Apesar de não conhecer todos os jogadores, eu já vi o Neymar e o Paulo Henrique Ganso e fiquei feliz por eles estarem defendendo o Brasil”, afirmou a mineira.

Já para o funcionário de outro restaurante na mesma rua, que preferiu não revelar seu nome por trabalhar ilegalmente nos Estados Unidos, a presença da dupla santista, além do atacante Robinho, devem ser a grande protagonista do primeiro amistoso da seleção após a Copa do Mundo.

“Todo mundo queria ver os dois na África do Sul, mas o Dunga não quis leva-los, e nós perdemos. Agora vamos torcer para o sucesso desse time”, disse o brasileiro, que assim como muitos outros, tentará acompanhar a partida pela TV, já que no horário do amistoso (20h local, 21h de Brasília), estará no trabalho.

Já do lado americano, a frustração pela ausência de nomes mais consagrados, como o de Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho e até Kaká, acaba virando alento. Tanto que alguns apostam até que os norte-americanos, que jogarão com a mesma base que foi derrotada nas oitavas de final da Copa do Mundo, poderão surpreender.

“É muito bom ver o Brasil jogando aqui nos Estados Unidos. Mas se o Ronaldo não vai jogar... acho até que podemos vencer”, afirmou o operário Brian Kasinger, um dos muitos que ainda trabalham nos entornos do New Meadowlands.

Já para o estudante de medicina togolês Joseph Arden, fã de Zico e Ronaldinho Gaúcho, e um dos poucos à procura de ingressos no estádio neste sábado, nem mesmo a falta de grandes ídolos internacionais deverá ser uma barreira para que o Brasil supere os Estados Unidos.

“Os brasileiros têm o melhor futebol do mundo. Se esses jogadores estão na seleção, deve ser porque são os melhores. Então acredito que esse time tem tudo para dar show e vencer o jogo” completou o togolês.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host