UOL Esporte Futebol
 
08/08/2010 - 07h03

Burocracia se torna vilã de política 'consumista' do Palmeiras e irrita Felipão

Luiza Oliveira
Em São Paulo

O Palmeiras repatriou Luiz Felipe Scolari e ganhou moral no mercado para sair às compras. Desde a sua chegada, já contratou sete reforços, mas ainda não pôde usufruir disso em campo. As questões burocráticas têm sido um grande entrave para a regularização dos atletas, o que deixou o técnico bastante irritado.

FELIPÃO: "ALGUMAS COISAS ME IRRITAM"

  • Caio Guatelli/Folhapress

    Felipão demonstrou irritação com a demora na regularização dos contratados pelo Palmeiras

  • Folhapress

    Valdivia passou toda a tarde de sexta resolvendo questões burocráticas, mas não teve sucesso

O jogador mais aguardado pela torcida para entrar em campo é Valdivia, que teve sua apresentação, inicialmente marcada para sábado, adiada. Problemas relacionados à carteira e ao visto de trabalho impediram que o meia chileno assinasse o contrato na sexta-feira e o reencontro com a torcida ainda não tem data definida.

Já Rivaldo, vindo do Avaí e cotado por Felipão para ser titular contra o Goiás, terá que esperar mais tempo. De acordo com o vice-presidente Gilberto Cipullo, um erro da Traffic na hora de efetuar o pagamento de uma das taxas atrasou a regularização do atleta.

O zagueiro Fabrício, ex-Flamengo, se apresenta ao clube na segunda-feira e ainda não enfrentou esse tipo de problema. Mas sua negociação também foi alvo da insatisfação do comandante, que já havia criticado a demora da parceira na contratação do zagueiro e de Rivaldo.

“Algumas coisas me irritam. O Palmeiras trouxe, mas não trouxe. Ninguém estreou. O Valdivia não está aí, o Fabrício não chegou. Não tem o Rivaldo. Não basta ter o ovo. Quando eu tiver ovo para cozinhar, comer e ficar com a barriga cheia, aí sim. Por enquanto não estou”, disse.

Scolari admitiu que este início de trabalho tem sido mais complicado que o esperado. “Está sendo mais difícil porque burocraticamente as coisas não se resolvem como eu imaginava. Não é culpa do Palmeiras. Futebol é muito simples, é quanto, onde, paga, chega, faz exame, assina e pronto. Mas às vezes querem assinatura do avalista da casa do fulano de tal. É um parto”.

As dificuldades viraram um entrave para que o Palmeiras finalmente colocasse em prática a política sua nova política ‘consumista’. Antes de Scolari, Muricy Ramalho, Antônio Carlos e até o interino Jorge Parraga pediram reforços à diretoria, mas não tiveram sucesso em suas investidas.

Apenas Felipão conseguiu fazer o clube contratar sete jogadores. Valdivia desembarcou no aeroporto de Guarulhos na quarta-feira e aguarda para assinar o compromisso. Na sexta-feira, foram apresentados o volante Rivaldo, do Avaí, e o atacante Luan, que estava no Toulouse, da França. O zagueiro Fabrício, vindo do Flamengo, chega na segunda. Kleber, Tadeu e Tinga já estão no clube.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host