UOL Esporte Futebol
 
17/08/2010 - 16h27

Teixeira cita novo contrato de Neymar para defender-se de fala de Wagner Ribeiro

Do UOL Esporte
Em São Paulo
  • Teixeira negou a declaração de Wagner Ribeiro e lembrou do contrato de Neymar feito pelo sucessor

    Teixeira negou a declaração de Wagner Ribeiro e lembrou do contrato de Neymar feito pelo sucessor

A assessoria do ex-presidente santista Marcelo Teixeira divulgou um comunicado, na tarde desta terça-feira, em que cita a reforma contratual de Neymar feita pela atual diretoria para se defender de um suposto termo no antigo vínculo que liberaria o atacante em caso de pagamento dos 60% dos direitos econômicos pertencentes ao Santos. A cláusula foi apontada pelo empresário do jovem, Wagner Ribeiro, como facilitadora da transferência deste para o Chelsea-ING.

Sem negar a existência da cláusula, Teixeira destacou que o antigo contrato não pode ser utilizado como base atualmente. Com base no valor da multa rescisória de Neymar, estipulada em 35 milhões de euros, o Santos tem direito a receber 21 milhões. Os 40 % restantes, equivalentes a 14 milhões de euros, são de posse do Grupo DIS.

“Asseguramos que nenhum documento assinado na gestão anterior facilitará a saída precoce do jogador. Ainda assim, as relações contratuais entre o Santos e a DIS vigentes foram refeitas no início deste ano, como novo contrato e acordos assinados pela diretoria atual e o empresário, cujo teor é desconhecido pelos ex-dirigentes. Com isso, fica claro que Marcelo Teixeira não tem nada a ver com a negociação atual envolvendo o atleta, como insinua a matéria supracitada, até porque o poder de decisão é da atual administração”, cita um trecho do comunicado, que se refere à matéria publicada pelo UOL Esporte.

Wagner Ribeiro já havia garantido que a cláusula não foi modificada pela atual diretoria. Desta forma, segundo o empresário, o Chelsea precisará pagar 21 milhões de euros para conseguir o atestado liberatório do jogador.

“Houve a reformulação do contrato neste ano, mas só elevaram os valores do salário e a multa. Foi mantida a possibilidade de liberar o jogador mediante o recebimento dos 21 milhões que o Santos tem direito. Foi um documento assinado pelo Marcelo Teixeira, sendo que essa cláusula foi mantida na renovação feita em 2010”, disse Ribeiro.

A reportagem do UOL Esporte procurou o atual presidente do Santos, Luiz Alvaro de Oliveira Ribeiro, para repercutir o assunto, mas o dirigente não foi encontrado.

O presidente santista participa de uma reunião, nesta terça, em São Paulo, com Wagner Ribeiro e o pai de Neymar, para discutir o futuro do jogador. O clube alvinegro quer apresentar um novo contrato, com significativo reajuste salarial, para que o jovem permaneça no clube.  

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host