Filha de Dunga celebra sucesso em ateliê e independência como estilista

José Ricardo Leite

Do UOL, em São Paulo

  • Blog Digo Sim

    Gabriela Verri, filha de Dunga e estilista de moda no Rio Grande do Sul

    Gabriela Verri, filha de Dunga e estilista de moda no Rio Grande do Sul

A gaúcha Gabriela Verri, de apenas 27 anos, ficou conhecida no país antes mesmo de se formar, virar profissional e escolher seu caminho. Tudo por causa da grande repercussão do pai, o ex-jogador e atual técnico do Internacional, Dunga. Nos tempos em que o ídolo colorado comandou a seleção brasileira, entre 2006 e 2010, comentou-se que alguns de seus figurinos usados à beira do campo eram criação da filha, na época uma estudante de Tecnologia em Moda e Estilo, na faculdade de Caxias do Sul.

Hoje, já formada e com um negócio próprio fundado há mais de um ano, Gabriela, dona da loja e ateliê GVerri Store no bairro Tristeza, em Porto Alegre, comemora a "independência" em relação à imagem do pai e explica o mal entendido que houve na repercussão de seu trabalho.

"Falavam que eu escolhia e tinha feito roupas. Eu tenho outra formação, não tenho nada nessa área masculina. Foi uma grande confusão em um telefone sem fio. Na época foi difícil, mas serviu como crescimento pessoal e profissional", explicou ao UOL Esporte, lembrando que algumas das peças usadas por Dunga eram apenas presentes dados por ela e não fruto de suas produções. A jovem enfatiza que trabalha somente com moda feminina e conta que a forte repercussão, muitas vezes negativa sobre as roupas de Dunga, a fez até questionar a carreira.

"Na época foi difícil porque eu nem tinha me formado. Claro que com 18 anos gerou dúvidas. Mas foi bom porque antes de abrir a loja eu queria ver se era isso que queria seguir mesmo. Foi bom porque eu me preparei bastante, foi um treino para o que poderia vir. Eu nem entrei no mercado, e é isso mesmo que eu quero?", falou.

Hoje, o momento é bem diferente. Depois de fazer uma espécie de estágio na Europa para se aprimorar, Gabriela já consegue tocar o negócio quase que de maneira independente após mais de um ano de funcionamento. E diz que a maioria das pessoas que compram peças na loja mal sabem de sua ligação com Dunga. O que lhe dá mais satisfação, já que compram e procuram o ateliê apenas pelo interesse nas próprias roupas.


"Agora está melhorando bastante, cada vez agregamos mais clientes e fãs para a marca. No começo foi difícil, o que é normal, por poucas pessoas conhecerem. Mas estamos atingindo um público maior, estou muito feliz com o resultado. Fui preparada para tudo quando abri a loja. Quando abri, sabia que ia receber um retorno do público, fui surpreendida positivamente", contou.

"O feedback é o melhor possível. Estamos quebrando o preconceito e as pessoas estão conhecendo o meu trabalho de verdade. Muita gente passa aqui e nem sabe o que se trata, não sabem quem é meu pai. É que gostam mesmo do produto."

A ajuda de Dunga hoje se limita a colocar-se à disposição para resolver possíveis problemas burocráticos na loja. Mas quem decide tudo mesmo é Gabriela.

"Ele me ajuda mais na parte burocrática, às vezes na parte financeira porque estamos no começo. Ele procura ajudar pra carregar coisa, ajuda a montar, carregar tecido. Ele sempre pergunta se preciso de ajuda. Mais nessa parte mais burocrática. Isso ele vem. Mas na parte de criação ele não se envolve e me deixa livre para fazer o que eu quero. Cada vez mais está se desvinculando essa imagem, e a Gabriela estilista se afasta de ser só a filha do Dunga."

Dunga
Dunga

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos