Apresentador usa kit de maquiagem em símbolo da torcida gay do Corinthians

Leandro Carneiro

Do UOL, em São Paulo

  • By Gueduex / Arquivo pessoal

    Apresentador Felipeh Campos já exibe o logo da torcida gay do Corinthians

    Apresentador Felipeh Campos já exibe o logo da torcida gay do Corinthians

Criador da primeira torcida gay do Corinthians, o apresentador Felipeh Campos já criou o logo que terá a Gaivotas Fiéis. Com direito a alguns itens de maquiagem, o jornalista, com a ajuda da agência ByGuedex, adaptou o símbolo corintiano.

Agora, ao invés da bandeira do estado de São Paulo, o símbolo conta com um artigo com as cores do arco-íris. Outra adaptação foi colocar um espelho como "suporte" do símbolo e a troca dos tradicionais remos por pincéis de maquiagem. Para finalizar, o gavião que aparece acima do logo da Gaviões da Fiel, maior organizada do clube, foi substituído por uma gaivota.

"Perceba que em cima da logo do time tem uma gaivota simbolizando a proteção do time e trazendo a paz. Os pincéis representam a beleza e a transformação dessa 'coisa' horrenda que vemos nos estádios (agressão e quebra quebra) trazendo a possibilidade de ficar mais belo, afinal tudo se corrige com uma boa maquiagem. E por final a bandeira do arco-íris trazendo a comunidade gay mais pra perto do clube e do time", disse o apresentador do programa Mulheres, da TV Gazeta, em entrevista ao UOL Esporte.

Depois da criação do símbolo, o jornalista já planeja o próximo passo que será a confecção de carterinhas para os sócios e a criação de um dinheiro próprio dos membros das Gaivotas.

"Agora, com o logo aprovado, iremos para a confecção inicial de 20 mil camisetas e algumas bandeiras. O site juntamente com o e-comerce já está sendo desenvolvido além de termos no projeto o Pink Money (cédula rosa) que poderá ser trocada pelos ingresssos, mas ainda estamos entendendo como será essa logística. Quero em uma final de campeonato fazer a reserva de 50 mil ingressos para minha torcida ir ao estádio. Quem vai segurar essa? Já que alguns torcedores da Gaviões estão bem incomodados, eles que se retirem, pois meu bloco está chegando e chegando forte. O projeto social já está sendo desenvolvido", afirmou.

No entanto, a iniciativa de criar uma torcida homosexual já trouxe alguns ataques homofóbicos ao apresentador pela internet.

"Infelizmente alguns integrantes que se dizem corintianos denigrem a imagem do time e da torcida. Meu papel não é ser "catequista" de marmanjo, mas de alguma forma tentar que observem a negatividade que eles criam. No meu Facebook, têm alguns comentários ofensivos e outros em tom de ameaça, é somente homofobia. Onde está escrito que gays não podem ir ao estádio? Fico bem triste e irritado quando vejo que somos obrigados a pagar através de impostos a destruição que eles torcedores ocasionam. Quero que minha torcida leve alegria, beleza e paz aos estádios, nada mais", falou Campos, que disse que a maioria dos comentários têm apoiado seu projeto.

Para evitar que os ataques de homofobia continuem em seus perfis, o apresentador pediu ajuda à Divisão de Crimes Digitais. "Diretamente não (sofri ameaças), somente pelas minhas redes sociais, que não deixa de ser direto já que hoje as redes tem vida própria. Tanto meu face quanto o Twitter estão sendo monitorados pelo DHPP (divisão de crimes digitais), é uma pena ter que agir dessa forma. É a minha segurança", completou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos