Topo

Futebol


Interior é do Palmeiras, capital é do Corinthians. Entenda o porquê

Vinicius Pereira/Folhapress
Impulsionado por desempenho fora de casa, Palmeiras tem melhor média de público do Paulistão Imagem: Vinicius Pereira/Folhapress

Guilherme Costa

Do UOL, em São Paulo

2014-02-27T06:00:00

27/02/2014 06h00

Dentro de campo, Corinthians e Palmeiras já empataram por 1 a 1 neste Paulistão. Na classificação, o time alviverde segue bem à frente, apesar da recuperação corintiana nas últimas rodadas. Mas essas não são as únicas disputas entre os arquirrivais no primeiro torneio oficial da temporada. Além do confronto direto e anseio pelo título estadual, a dupla se empenha em ver quem leva mais torcedores aos estádios e, claro, fatura mais com isso – até agora, impulsionado por seu desempenho como visitante, o Palmeiras detém a melhor média de público da competição e ameaça o domínio alvinegro nesse quesito.

Nas dez primeiras rodadas do Paulistão-2014, o Palmeiras levou uma média de 13.425 mil pagantes aos estádios. O time do Parque Antarctica lidera o Estadual nesse quesito – o Corinthians, segundo no ranking, tem média de 11.443 mil.

Uma das principais razões para o Palmeiras encabeçar a lista de público do Paulista é o desempenho nos jogos como visitante. O time alviverde tem média de 13.927 mil pagantes no estádio quando atua longe de seus domínios. O São Paulo é o segundo em entradas vendidas fora de casa (12.093), e só então aparece o Corinthians (9.286).

Como mandante, o Corinthians ainda é líder. O time alvinegro comercializou 67.998 ingressos em cinco jogos como anfitrião (média de 13.600 por partida). O Palmeiras, segundo colocado, vendeu 64.614 bilhetes (média de 12.923).

O ranking de mandantes do Campeonato Paulista tem o São Bernardo no terceiro posto (média de 9.477 bilhetes comercializados por jogo no ABC paulista). Só então aparece o São Paulo, cuja média é de 8.899 pagantes por apresentação no Morumbi. O time tricolor repete, portanto, o movimento do Palmeiras – vende mais entradas quando atua como visitante.

A situação vivida por Palmeiras e São Paulo é pouco comum entre os grandes do futebol brasileiro. Em geral, a média de público dessas equipes cai por causa de apresentações longe de casa.

Em Minas Gerais, por exemplo, Cruzeiro (9.213) e Atlético-MG (7.362) têm as melhores médias de pagantes no Estadual. Mas esses números seriam maiores se fossem contabilizados apenas os jogos dos dois times como mandantes – 9.698 e 10.625, respectivamente.

Outro exemplo claro é o caso do Vasco, que tem média de 4.926 pagantes no Estadual do Rio de Janeiro. Nos jogos em casa, a equipe de São Januário vende uma média de 7.824 bilhetes (segunda melhor marca da competição). Quando atua como visitante, o time comercializa somente 2.028 (oitavo lugar no ranking do torneio).

O Fluminense, líder em média de público no Rio de Janeiro em 2014, passa por situação similar. O time tricolor tem 7.385 por jogo no torneio, mas esse número sobe para 9.898 se forem consideradas apenas as apresentações da equipe como mandante.

No Rio de Janeiro, o desempenho de Palmeiras e São Paulo nas bilheterias só encontra coincidência no Botafogo, dono da quarta maior média de pagantes do Estado (3.603). O time alvinegro registra 1.600 por jogo como mandante e 5.605 ingressos vendidos por partida longe de casa.

O Internacional também repete o que acontece com Palmeiras e São Paulo. São 5.980 pagantes em média no Campeonato Gaúcho, com 5.141 ingressos vendidos por jogo em casa e 7.028 como visitante.

Com o Grêmio acontece o contrário. O time tricolor tem média de 6.292 ingressos comercializados no Campeonato Gaúcho: 10.742 por jogo em casa e 2.733 por partida fora.

Mais ingressos vendidos, mais dinheiro?

Líder em número de ingressos vendidos no Campeonato Paulista, o Palmeiras também é o time que mais gerou renda bruta na competição. O time alviverde movimentou um total de R$ 5,7 milhões, bem acima dos R$ 3,6 milhões do Corinthians.

Só que o Campeonato Paulista de 2014 mostra que a lógica nem sempre condiciona um público maior a uma receita maior. Como mandante, o Palmeiras também tem a maior renda bruta da competição R$ 2,4 milhões, com média de R$ 489 mil por jogo.

Nos mesmos cinco jogos em casa, ainda que tenha levado mais gente do que o Palmeiras, o Corinthians somou R$ 2,08 milhões de renda bruta. A média de faturamento da equipe alvinegra é de R$ 409 mil por partida.

Todos os números considerados no levantamento ignoram dados referentes aos jogos do meio desta semana, já que nem todos os boletins financeiros foram publicados.

Mais Futebol