Topo

Futebol


Sporting dá o sim, muda de ideia e é o vilão na novela Elias

Gustavo Franceschini*

Do UOL, em São Paulo

01/04/2014 06h00

O Sporting chegou a dizer sim para a proposta do Corinthians, mas nunca deixou de ser o vilão da novela Elias. Mesmo quando acenou com um acordo, o clube português foi confuso em sua postura na negociação, reforçando a impressão do estafe do jogador de que só quer tumultuar o caso.

O clube português está em litígio com o volante, que está sem jogar e treina no time B desde que deixou o Flamengo, no fim de 2013. Elias cobra mais de 3 milhões de euros (R$ 9,3 milhões) do Sporting na Fifa e a relação entre as partes é péssima há mais de um ano.

Na última segunda, o Corinthians avançou com duas propostas. A primeira era de compra de 50% dos direitos econômicos de Elias por 4 milhões de euros (R$ 12,4 milhões), que seriam pagos de forma parcelada. A outra era de um empréstimo até o fim do ano, que sairia por cerca de R$ 800 mil, mais os salários do volante.

Elias já está acertado com o Corinthians há mais de um mês. Para voltar ao clube no qual se destacou, ele topou receber cerca de R$ 300 mil a menos do que prevê seu contrato no Sporting. O problema é que o clube português faz jogo duro, da mesma forma que fez com o Flamengo no início do ano, quando os cariocas estiveram à frente da negociação.

Quem acompanhou de perto a conversa entre Corinthians e Sporting na última segunda conta que os portugueses davam trabalho até para serem encontrados. Durante a tarde, nenhum cartola do clube de Lisboa atendeu as ligações dos dirigentes alvinegros. O contato só foi reestabelecido no início da noite no Brasil.

O Sporting chegou a dizer “sim” à proposta do Corinthians. Na sequência, porém, explicou que os brasileiros teriam ainda de se entender com o fundo de Jorge Mendes, empresário português que detém, ao lado de outros sócios, os outros 50% dos direitos econômicos de Elias.

De nada adiantou o Corinthians explicar que o negócio podia ser feito à revelia dos empresários. Uma pendência financeira do Sporting atrela o clube ao fundo e manteve os portugueses irredutíveis. Em um ponto da conversa, eles chegaram a sugerir que os cartolas do Parque São Jorge se acertassem com Jorge Mendes em 30 dias.

O problema é que o Corinthians não tem interesse e nem condições em desembolsar mais 4 milhões de euros para comprar a outra metade de Elias. Por isso, a opção de um empréstimo voltou à tona. Os cartolas do Parque São Jorge entendem que essa é uma opção econômica e vantajosa do ponto de vista esportivo.

Mesmo assim, a conversa não pôde ser encerrada na última segunda. O Sporting ficou de responder à proposta nesta terça, quando se encerra a janela de transferências do futebol brasileiro. A confusão nas respostas, o distanciamento, a indecisão e a demora fazem com que todos os envolvidos vejam os portugueses como os vilões da história.

No estafe de Elias, fala-se em “sacanagem”. No Corinthians, há a expectativa de uma reviravolta. Os cartolas apostam que a perspectiva de mais alguns meses gastando muito com um jogador que está encostado assuste o Sporting. Isso faria, na visão dos dirigentes, que os portugueses amenizassem sua posição.

O Flamengo, que também chegou a fazer proposta, aparentemente não tem mais tanta força. O clube mantém o discurso extra-oficial de que o Corinthians é favorito e transparece, nos bastidores, a expectativa de que a tentativa derradeira não vai dar em nada, o que deixaria os paulistas isolados na briga por Elias. 

*Colaborou Vinicius Castro

Mais Futebol