Ídolo do Flu nos anos 80, Washington é encontrado morto em Curitiba

Do UOL, em São Paulo

  • Ricardo Ramos/AGIF

    Washington e Assis, "Casal 20" do Flu na década de 80, são homenageados

    Washington e Assis, "Casal 20" do Flu na década de 80, são homenageados

O ex-atacante Washington foi encontrado morto em sua casa em Curitiba na manhã deste domingo. Ele formou, com Assis, o "casal 20" do Fluminense na década de 1980. 

Há quase cinco anos, ele lutava contra uma doença degenerativa, um tipo de esclerose, e vivia sob os cuidados de um enfermeiro. Washington já não falava mais e chamava o cuidador apertando um botão que ficava ao lado de sua cama. Quando foi encontrado, este botão de auxílio estava em sua mão, acionado.

Washington César Santos foi ídolo de várias torcidas. Pelo Internacional, esteve no grupo campeão gaúcho de 1981. No ano seguinte, foi campeão paranaense pelo Atlético-PR, venceu o campeonato carioca pelo Botafogo em 1990, o capixaba em 1992 pela Desportiva Ferroviária e o campeonato pernambucano pelo Santa Cruz em 1993.

Mas foi jogando pelo Fluminense que ficou conhecido em todo o Brasil. Foram três títulos estaduais, em 1983, 1984 e 1985, e um título brasileiro em 1984.

No final de 2009, Washington recebeu uma homenagem. O jogo entre Fluminense e Atlético-PR pelo Campeonato Brasileiro da Série A, realizado no Maracanã, foi chamado de "Washington Day" e foram arrecadadas contribuições destinadas ao pagamento de seu tratamento.

O atacante Fred também participou da campanha.Ele chegou a fazer um leilão de camisa autografada com renda revertida para o tratamento do ex-ídolo tricolor. A vitória por 2 a 1, Fred também dedicou ao ex-atacante.

Washington também teve passagem pelas seleções brasileiras principal e olímpica.

O corpo de Washington já foi encaminhado para o Instituto Médico Legal de Curitiba e o laudo sobre a causa da morte é esperado ainda para a tarde deste domingo. Até por conta dos procedimentos legais e da espera pela liberação do corpo, a família ainda não confirmou quando e onde deve acontecer enterro de Washington.

Tanto o Fluminense quanto o Atlético-PR emitiram notas de pesar pela morte do jogador. 

Veja a nota do Fluminense na íntegra:

A família tricolor amanheceu mais triste neste domingo, 25. Morreu o ex-atacante tricolor e eternamente ídolo do Fluminense, Washington. Ele sofria de esclerose lateral amiotrófica, uma doença degenerativa. O clube realizou uma ação para ajudá-lo em 2009, o Washington Day, em um jogo contra o Atlético-PR, no Maracanã.

O ex-jogador vestiu a camisa tricolor por 303 oportunidades e marcou 120 gols. Atualmente, é nono maior artilheiro da história do clube.

- Ficamos muito tristes com este momento, desejamos a família conforto e tranquilidade. Foi um grande ídolo e um excelente jogador para toda torcida tricolor. Desejamos que a família tenha pleno restabelecimento depois deste acontecimento - comentou o técnico Cristóvão Borges.

Outro que lamentou profundamente o falecimento do ídolo, foi o vice-presidente de futebol, Mário Bittencourt:

- É um momento de profunda tristeza para nós perder um ex-atleta que fez parte da nossa história. Sem dúvida alguma foi um centroavante vitorioso na história do clube. Para mim, a tristeza é grande, pois foi com este time que aprendi a torcer e a ser tricolor. Foi o primeiro time que acompanhei. Em 2009, realizamos o Washington Day, foi um jogo contra o Atlético-PR, onde o Washington já lutava contra a doença e acompanhamos de perto tudo isso. Infelizmente acabou nos deixando nesta manha de domingo. Estamos muito tristes.

Washington foi marcado pela dupla que fez com Assis nos anos 80, o inesquecível casal 20.

- Acabo de receber uma notícia das mais tristes, o falecimento de uma figura grandiosa do Fluminense, que fez parte de campanhas inesquecíveis. O que vai restar para o tricolores é a saudade. Fez parte de grandes equipes do Fluminense. Que ele encontre a paz nesta outra vida - afirmou o diretor executivo do Fluminense, Paulo Angioni.

O Fluminense Football Club está de luto e agradece por tudo que este guerreiro realizou e contribuiu para história do nosso pavilhão.

- Uma perda muito sentida para a família tricolor por tudo o que ele fez pelo Fluminense. Amanhecemos mais tristes. Que ele descanse em paz e que Deus conforte o coração de sua família - encerrou o atacante Fred.

Veja a nota do Atlético-PR na íntegra:

Um nome marcado para sempre na história do Clube Atlético Paranaense. O ex-atacante Washington, que com Assis formou um dos ataques mais "letais" dos 90 anos do clube, faleceu neste domingo (25), aos 54 anos, em Curitiba. O ex-jogador lutava contra uma esclerose lateral, doença regenerativa.

Washington chegou ao Furacão em 1982, juntamente com Assis, para formar o "Casal 20". Logo na primeira temporada, marcaram juntos 36 gols, fundamentais para a conquista do Campeonato Paranaense de 1982. O título quebrou um "jejum" rubro-negro, já que o último troféu do Estadual tinha sido conquistado em 1970.

No ano seguinte, o Casal 20 levou o Atlético Paranaense a uma campanha histórica no Campeonato Brasileiro. O Rubro-Negro chegou até a fase semifinal e, por pouco, não foi para a decisão. Contra o Flamengo de Zico, Júnior, Bebeto e companhia, o time rubro-negro perdeu por 3 a 0, no Maracanã. Na partida de volta, venceu por 2 a 0, em partida que marcou o maior público do Estado na história. No Couto Pereira, 67.491 torcedores viram o Furacão quase se classificar e vencer o time que, pouco depois, seria campeão.

Também em 1983, Washington se transferiu para o Fluminense. Passou por outros clubes, antes de retornar à Baixada em 1991, ano em que o Rubro-Negro conquistou o vice-campeonato Estadual e disputou o Torneio de Winthertur, na Suíça.

O Clube Atlético Paranaense presta suas condolências a todos os amigos e familiares de Washington, nome que permanecerá para sempre na história do Furacão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos