Clubes e torcidas do Rio usam 'vaquinha' para pagar dívidas e até livros

Bruno Braz e Rodrigo Paradella

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Reprodução

    O projeto "Fla em Dia" é um dos sites criados por torcedores para pagar dívidas

    O projeto "Fla em Dia" é um dos sites criados por torcedores para pagar dívidas

Reforços, dívidas e até livros... O futebol carioca tem usado uma forma diferente para financiar seus projetos ou resolver problemas, como os débitos em atraso com a Receita Federal. Febre iniciada com o projeto "Vasco Dívida Zero", no ano passado, o crowdfunding chegou a ser até mesmo elogiado pelos clubes ou promovido por um deles, como no caso dos livros do Tricolor.

Pioneiro no Rio, o "Vasco Dívida Zero" começou como uma forma direta para o torcedor do Cruzmaltino pagar parte das dívidas do clube com a Receita Federal em 2013, quando o time sofria com bloqueios judiciais diante da dificuldade de lidar com os débitos em atraso.

Com pouco mais de R$ 950 mil em dívidas pagas por mais de 15 mil torcedores vascaínos, o projeto inspirou cópias de Flamengo e Botafogo, sempre sem participação da diretoria dos clubes de forma direta. O "Fla em dia" já se aproxima dos R$ 300 mil pagos em dívidas, enquanto o "Botafogo sem dívidas", mais recente, já se aproxima dos seus primeiros R$ 100 mil.

O idealizador do "Vasco Dívida Zero", Giordano Mochel, aprovou a expansão da ideia para outras torcidas cariocas. Para ele, o cenário cria uma competição saudável sobre qual torcida contribui mais para pagar as dívidas de seus clubes.

"Acho muito bom [ser visto como inspiração para outras torcidas]. Claro que deveria haver mais reconhecimento dos outros clubes em mostrar o Vasco como pioneiro. Mas de qualquer forma isso é bom. Fomenta a contribuição em todos os clubes e promove uma boa competição", ponderou Giordano, que não perdeu a chance de exaltar a torcida do Vasco como pioneira.

"O pioneirismo da campanha é algo que só poderia mesmo ter brotado da torcida vascaína. O histórico de clube inovador, combatente do preconceito e discriminações, toda essa história linda só poderia mesmo culminar em uma ideia perfeita de campanha de ajuda ao clube. Nisso todos nós vascaínos devemos ter orgulho. Parabéns a nossa torcida pela Vasco Dívida Zero", complementou o idealizador do projeto.

Sem interferência mais direta das dívidas na qualidade de seu futebol graças a parceria com a Unimed Rio, o Fluminense não contou com a mesma mobilização de sua torcida para pagar sua dívida com a Receita. Mas usou ideia semelhante para levantar fundos para livros que homenageiam sua história.
O primeiro livro custeado por contribuições de torcedores foi uma obra sobre os 110 anos do clube, completados em 2012. O projeto "Fluminense, 110 jogos inesquecíveis - Guerreiros desde 1902" foi um sucesso com R$ 206 mil arrecadados e abriu caminho para que a ideia fosse reeditada em outros projetos.

Recentemente, o Fluminense abriu para contribuições pela internet de pelo menos R$ 20 o projeto de um livro sobre o famoso Casal 20, formado por Washington e Assis no fim dos anos 80. A meta é arrecadar ao menos R$ 150 mil, com a possibilidade até mesmo de outras homenagens aos ídolos de acordo com o montante.

O crowdfunding tem se mostrado um meio ainda lento para as torcidas liquidarem as dívidas de seus clubes, mas prova que a mobilização pela internet pode ser usada para outros projetos, como no caso do Fluminense. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos