Preparação para Copa de 2014 em Cuiabá terminará no final de 2015

Vinicius Konchinski

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Divulgação

    Trens do VLT de Cuiabá estão na cidade, mas só funcionarão totalmente em 2016

    Trens do VLT de Cuiabá estão na cidade, mas só funcionarão totalmente em 2016

A Copa do Mundo acabou há dois meses, mas o governo de Mato Grosso ainda trabalha em projetos para o torneio. O Estado ainda mantém sua Secopa (Secretaria Extraordinária para a Copa do Mundo) e acompanha a construção de uma das obras mais caras do Mundial: o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) de Cuiabá.

O trem urbano custará quase R$ 1,5 bilhão e deveria estar pronto desde maio. Meses antes da Copa, contudo, sua entrega foi adiada para dezembro. Agora, o cronograma da construção passou por uma nova modificação. Segundo a Secopa, o VLT só estará concluído no final de 2015. Ou seja, a operação mesmo só em 2016.

Cercada de polêmicas e suspeitas de corrupção, a obra do VLT começou em agosto de 2012 e chegou a ser interrompida mais de uma vez pela Justiça a pedido do Ministério Público. Ainda em 2012, o UOL Esporte revelou que a obra foi contratada por meio de uma licitação cujo resultado havia sido previamente combinado.

Apesar de tudo isso, a obra foi adiante. O processo de desapropriação de terrenos necessários para abrir espaço para o VLT, no entanto, atrasou. Isso fez com que a Secopa adiasse por mais uma vez a inauguração do VLT.

Segundo a Secopa, os trâmites para a desapropriação dos imóveis necessários para a construção do VLT também começaram em 2012. No entanto, trâmites judiciários para que o Estado consiga o controle dos terrenos no caminho do VLT têm demorado mais que o esperado. Com os processos correndo na Justiça, o ritmo da construção foi comprometido. "O prazo foi recalculado e o cronograma de execução estabelecido para 2015", informou o órgão.

O governo de Mato Grosso estima que 362 imóveis tenham que ser desapropriados por causa da obra do VLT. Até agora, só 290 já passaram para o controle do Estado.

Ao todo, o governo espera gastar R$ 100 milhões com todas as desapropriações do VLT (esse valor não está incluído nos R$ 1,5 bilhão para a obra do trem). Só R$ 35 milhões foram já foram pagos.

Viaduto interditado

Vale lembrar que, apesar de a conclusão do VLT ter sido adiada, algumas partes do projeto já foram entregues. Um viaduto que servirá como uma pista de retorno sobre o traçado do trem urbano foi concluído há seis meses. Entretanto, ele apresentou falhas em sua estrutura e foi interditado.

De acordo com a Secopa, as próprias empresas que construíram o viaduto verificaram a "necessidade de serviços de reestruturação da obra". O trabalho deve durar quatro meses e será integralmente arcado pelas construtoras.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos