Topo

Futebol


Por que o comentarista William Capita não vingou como diretor

Divulgação/Bahia
William, ao lado do treinador Marquinhos Santos, na chegada ao Bahia Imagem: Divulgação/Bahia

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

2014-11-15T06:00:00

15/11/2014 06h00

Rivais no domingo, em Salvador, Bahia e Corinthians têm uma particularidade. Foi pelos dois clubes que o ex-zagueiro William Capita, hoje comentarista do Sportv, iniciou uma carreira aparentemente promissora como dirigente. Mas que não saiu muito da promessa.

Em ambos os trabalhos, William se demitiu depois de um período breve por desentendimentos internos. Na avaliação de quem trabalhou com Capita, faltou jogo de cintura para ele, tanto no Corinthians quanto no Bahia. “Não é um meio para ele trabalhar”, disse ainda um amigo pessoal.

Convidado por Andrés Sanchez quando preparava sua aposentadoria em 2010, William foi o gerente de futebol anterior a Edu Gaspar. Se o substituto já dura praticamente cinco temporadas no cargo, Capita ficou um mês.

Para Tite dar certo, William Capita foi importante. Nos primeiros dias de Corinthians, ele fez cobranças internas duras sobre Ronaldo e Roberto Carlos. A ambos, William avisou que precisavam entrar em forma para seguir em atividade. Então em suas primeiras semanas no cargo, o treinador ganhou força a partir da bronca de Capita na pré-temporada realizada em Itu.

Com o Corinthians eliminado pelo Tolima logo depois, Ronaldo optou pela aposentadoria. Roberto Carlos, na sequência, também partiu para encerrar a carreira na Rússia. Enquanto isso, Capita tentava dar sequência à reformulação do elenco que se tornaria campeão continental e mundial em 2012.

Foi justamente aí que William definiu sua saída. De Porto Alegre, anunciou a compra do volante Willian Magrão junto ao Grêmio. Naquele momento, o restante da diretoria preferia buscar o paraguaio Riveros, e desfez o negócio de Capita. Rifado publicamente, o ex-zagueiro percebeu que sua presença seria incompatível e saiu do Corinthians.

Depois de quase três anos, estudos e alguns convites recusados, William voltou à cena. Foram alguns meses de namoro com o Bahia até ser anunciado em dezembro de 2013. Em março, porém, ele já havia deixado o clube por motivos semelhantes: falta de autonomia para decidir e problemas de relacionamento.

A decisão de se demitir foi tomada por William Capita logo depois do Carnaval. Com a equipe em crise, o dirigente suspendeu as folgas dos festejos. Irritados, os jogadores se insurgiram contra William, o que deixou o ambiente insustentável para a sequência do trabalho.

Enquanto o restante da diretoria insistia com o capitão Marcelo Lomba para que desse apoio público a William, chegava ao fim mais uma tentativa breve de que ele trabalhasse como dirigente. Com o pai em meio a problemas de saúde, Capita pediu demissão outra vez.

O UOL Esporte entrou em contato com William. Em função de cláusula contratual no Sportv, ele não pode conceder entrevistas.

Mais Futebol