Topo

Futebol


Ele colocou a Argentina em uma Copa e vai dar R$ 13 mi de prejuízo ao Inter

Vinicius Costa/Preview.com
Bolatti custou 4 milhões de euros ao Inter, em 2011, e ficará livre no início do próximo ano Imagem: Vinicius Costa/Preview.com

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

2014-12-09T06:00:00

09/12/2014 06h00

Mario Ariel Bolatti desembarcou em Porto Alegre, em fevereiro de 2011, como um dos grandes reforços do Inter para Libertadores daquele ano. Foi de um começo animador a problema, acabou emprestado duas vezes e agora está prestes a ficar livre. Autor do gol que classificou a seleção argentina de Maradona para a Copa-2010, o volante dará um prejuízo superior a R$ 13 milhões.

A conta pesa o valor pago pelo Inter a Fiorentina, em quatro parcelas. Os salários de Bolatti, na casa dos R$ 200 mil, ficam de fora pela divisão recente. No Racing Club de Avellaneda e no Botafogo, o Colorado bancou metade dos vencimentos.

No Beira-Rio o prejuízo já é visto como fato consumado, como quadro irreversível. O contrato, dividido em dois pela legislação brasileira para trabalhadores estrangeiros, se encerra no final de janeiro e o Inter não tem nenhum sinal de negócio que possa ajudar a reduzir as perdas.

A passagem pelo Botafogo foi irregular, como a carreira do gringo desde a volta ao continente. Pelo time carioca foram 10 partidas no estadual (sete como titular) e outras 26 no Brasileirão (19 desde o apito inicial). Os números que não chamam atenção explicam porquê a diretoria do alvinegro não mostrou interesse na permanência dele para 2015.

No Inter o melhor momento foi mesmo logo após a chegada. Em 2011 Bolatti teve até uma fase artilheira, marcando gols na Libertadores. Caiu de rendimento por um quadro de overtraining, onde perdeu seis quilos. E definhou em campo também. Terminou aquela temporada na reserva e começou o ano seguinte fora dos planos.

No Racing-ARG atuou em 16 jogos (14 como titular) e não emplacou. O ex-zagueiro e então diretor de futebol do clube argentino, Roberto Ayala, foi o responsável pelo negócio. À época, o Inter viu o empréstimo (com 50% do salário pago dos cofres do Beira-Rio) como a grande chance de recuperar o investimento. Nada feito.

O futuro de Bolatti é incerto. O agente que trouxe ele ao Inter não segue mais trabalhando com o volante, que completa 30 anos em fevereiro. O UOL Esporte tentou contato com o jogador, mas não obteve êxito até o fechamento desta matéria. No Colorado, o tema é tratado com resguardo pela eleição do próximo dia 13.

Mais Futebol