Topo

Futebol


Grêmio revoluciona grupo e libera três vezes mais que contrata para 2015

Lucas Uebel/Divulgação/Grêmio
A nova direção do Grêmio tenta de toda forma reduzir os gastos mensais do clube Imagem: Lucas Uebel/Divulgação/Grêmio

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

2015-01-06T06:00:00

06/01/2015 06h00

O Grêmio está cumprindo ao pé da letra o que pretendia no começo deste ano. A austeridade proposta por Romildo Bolzan Júnior, que assumiu a presidência para o próximo biênio, obrigou uma verdadeira revolução no grupo de trabalho. Liberando três vezes mais atletas do que contrata,o clube gaúcho abre espaço para base e corta custos com o time principal. 

A lista de saídas é bem grande. Saimon foi para o Vitória, Zé Roberto para o Palmeiras, Bressan e Pará tiveram o Flamengo como destino, Maxi Rodríguez vai para Universidad de Chile, Follmann para o Linense, Fernandinho para o Hellas Verona e Kleber e Edinho não tem destino clube, mas também são liberações garantidas. 
 
Em meio aos jogadores que jogarão em 2015 longe do Grêmio, há um caso peculiar. Matheus Biteco não tem situação confirmada. O Grêmio vendeu, no fim de 2014, um percentual nos direitos econômicos do jogador a um grupo de empresários. No começo do ano, ele pode passar por um processo de adaptação na Europa, ficando fora da pré-temporada. Mas a direção gremista garante que conseguirá o retorno para disputa de ao menos mais uma temporada em Porto Alegre. 
 
Ao todo, nove saídas, contando com Biteco. Isso sem levar em conta os jogadores que estavam emprestados e deixam de ter vínculo com o Tricolor, como Marco Antonio, Léo Gago e Busatto. 
 
Com isso, o objetivo de reduzir a folha de pagamentos em 30%, se não está atingido se vê perto disso. Só com Kleber Gladiador, Zé Roberto e Fernandinho, o clube tira mais de R$ 1 milhão dos gastos mensais. A folha de R$ 7,5 milhões no ano passado teria que cair para até R$ 5 milhões. E não está distante da marca.
 
E ainda há cinco jogadores que podem ser negociados. Mesmo apreciado por Luiz Felipe Scolari e aguardado em Porto Alegre para o começo da temporada, o atacante boliviano Marcelo Moreno ainda pode ser vendido. Basta um clube atingir a marca de 6 milhões de euros para comprar 55% dos direitos do jogador.
 
Outro cotado para ser negociado é Luan. O Grêmio definiu preço de 12 milhões de euros pelo atleta e está inclinado a aceitar ofertas com tais números. Já viu o Valencia, da Espanha, ofertar 10 milhões de euros e os 2 milhões que faltaram não devem atrapalhar um eventual acerto, desde que os espanhóis subam a proposta. 
 
Com cifras bem menores, Matías Rodríguez e Werley também podem ainda ser liberados. O primeiro atua no Grêmio sob contrato de empréstimo e pertence à Sampdoria, da Itália. Pretendido pelo Boca Juniors, ele será avaliado durante a pré-temporada. Já Werley não conta com total apreço do comando técnico e aguarda propostas para sair. 
 
Outro na relação dos que ainda podem ser negociados é o paraguaio Cristian Riveros. O Olimpia insiste na contratação do marcador de 32 anos cujo contrato com o Grêmio vence no meio de 2015.
 
Enquanto isso, dois novos atletas apenas foram oficializados. Marcelo Oliveira, vindo do Palmeiras, e Douglas, que se desligou do Vasco. Nesta terça-feira, o terceiro nome oficializado será Frickson Erazo, do Flamengo. E ninguém mais até o início dos treinos, marcado para dia 8 em Porto Alegre e dia 11 na cidade de Gramado, na serra gaúcha, que receberá a equipe por 10 dias durante a pré-temporada.
 
Assim, o Tricolor abre espaço para as categorias de base. Mais de 10 jogadores vindo dos times inferiores se unirão ao elenco principal e serão observados. Foi a maneira encontrada de promover talentos e com eles garantir também a saúde financeira do clube, já que das vendas de atletas produzidos em casa surgirão as cifras aplicadas na formação de novos grupos. 

Mais Futebol